quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Momento lírico 388

NOITES E DIAS NA VIDA
(Karl Fern)

As pessoas desde crianças
Sonham poder e esperanças
Viver além das inocências puras
Nada sabem desta vida de pecados
Que nem todos os dias são ensolarados
Nem as noites são completamente escuras!

Quando vem a adolescência
Começam a duvidar da ciência
Viver é uma série de aventuras
Seus pais conselheiros antiquados
Mas nem todos os dias são ensolarados
Nem as noites são completamente escuras!

Adultos correm pra crescer
Jamais olham para agradecer
Viver é domar o mar e as alturas
Os pais aparentam fardos pesados
Pois nem todos os dias são ensolarados
Nem as noites são completamente escuras!

Quando ficam cinquentões
Fartos de rotinas e obrigações
Viver é navegar idades maduras
Seus pais estão sendo enterrados
Mas nem todos os dias são ensolarados
Nem as noites são completamente escuras!

Já velhos ficamos perdidos
Da sociedade são entes banidos
Viver lembra tempos de ternuras
Sentem-se pelos filhos abandonados
Que nem todos os dias são ensolarados
Nem as noites são completamente escuras!

Infeliz sentimento de vazio
Bate um arrependimento tardio
Viver preso em terminais clausuras
É que se têm cristalinos aprendizados
Que nem todos os dias são ensolarados
Nem as noites são completamente escuras!

Humor... miserável!