sexta-feira, 12 de junho de 2015

Momento lírico 370

QUERER ETERNO
(Karl Fern)

Te conheci na intimidade
Reinei por cada cantinho
Cobri teu corpo de carinho
Domei limites da sanidade
Dei meu amor de verdade
Na magia do ousado ninho.

Tu foste meu nobre vinho
Qual sorvia com tal querer
Que a cada um amanhecer
Via-me novamente sozinho
Só por ficar um pouquinho
Longe desse íntimo prazer.

Teu cheiro vinha convencer
Embevecia-me ver sorrindo
Teu abraço ia-me despindo
Do pudor em te pertencer
Teu beijo apressava-me crer
Na ânsia de te ir invadindo.

Néctar das carícias surgindo
Seguia curvas embriagantes
Buscando talhes insinuantes
Em ébrios laços sucumbindo
Minha fina seiva explodindo
Na mais mimosa das amantes.

Na nudez de copos arfantes
A lúcida volúpia consumida
Ouvia tua voz quase sumida
Lábios abrindo-se flamejantes
O mais lindo dos semblantes
“És o homem da minha vida!”

Ainda permaneces querida
Mas foste pra muito distante
Do sedutor desejo flamante
Que esplandeceu minha vida
Não há esperança concebida
Mas uma saudade exultante!

Total de cães e gatos no Brasil

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS 2013), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada em 2/6/2015, traz novos dados sobre animais de estimação nos lares do país. O instituto aponta que 44,3% dos domicílios do país possuem pelo menos um cachorro, o equivalente a 28,9 milhões de unidades domiciliares. Os dados se referem a 2013.
Mais cachorros que crianças – O dado mostra que, no Brasil, existem mais cachorros de estimação do que crianças. De acordo com outra pesquisa do IBGE, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), em 2013, havia 44,9 milhões de crianças de até 14 anos.
Os números indicam ainda que o Paraná é a unidade da federação em que mais casas têm cachorro: 60,1%. O Distrito Federal está na outra ponta da lista – 32,3% das residências têm pelo menos um cão.
Gatos – Em relação à presença de gatos, 17,7% dos domicílios possuem pelo menos um, o equivalente a 11,5 milhões de unidades domiciliares. A população de gatos em domicílios brasileiros foi estimada em 22,1 milhões. Os piauienses são os maiores amantes dos gatos, já que há pelo menos um em 34,2% dos seus domicílios. O Distrito Federal, com 6,9% , é a unidade da federação em que menos lares têm gatos.
Vacina – A pesquisa indica ainda que 75,4% dos lares que têm cão ou gato deram a vacina no período de um ano antes da data da pesquisa. Isso significa que um em quatro desses animais domésticos não havia sido vacinado – a imunização contra raiva deve ser anual.
Fonte: G1


Morre a voz da contagem regressiva

Jack King, ex-chefe de Relações Públicas da Nasa e dono da voz que anunciou a contagem regressiva da decolagem da missão Apollo 11, a primeira a levar o homem à Lua, morreu nesta quinta-feira (11/06/2015) na Flórida, Estados Unidos, aos 84 anos, vítima de uma insuficiência cardíaca.
King, conhecido popularmente como a "Voz do Apollo", morreu em um hospital perto do Centro Espacial Kennedy, onde ele realizou a contagem histórica para o lançamento da nave em 16 de junho de 1969.
Quatro dias depois, a nave com os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins pousou na Lua, permitindo que no dia 21 de julho de 1969 Armstrong se transformasse no primeiro homem a pisar em superfície lunar.
Além da Apollo 11, King, nascido em Boston (Massachusetts), realizou a contagem regressiva de centenas de outras missões da NASA.
Fotos NASA Great Images in Nasa Collection  (montagem Carlos Fernandes)
Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)


Não falta terra para produção

Relatório mundial sobre bioenergia e sustentabilidade, coordenado por cientistas brasileiros, diz que não há falta de terras no planeta para a produção de bioenergia. O estudo, desenvolvido por 137 especialistas de 24 países, mostra também que a expansão de áreas destinadas a fontes de energia renováveis não coloca em risco a produção de alimentos – pelo contrário, pode ajudar a desenvolver a agricultura.
Foi a primeira vez, em 72 edições, que o Brasil coordenou as pesquisas  do trabalho. Ele foi coordenado por cientistas ligados aos programas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), teve apoio da própria fundação e do Comitê Científico para Problemas do Ambiente (Scope, na sigla em inglês), agência intergovernamental responsável pela iniciativa, associada à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco)..
O estudo concluiu que existe terra suficiente no mundo para uma contribuição significativa de bioenergia em uma matriz energética mundial sustentável. Ressalva também que essa contribuição pode chegar a ser um quarto da energia utilizada no mundo em 2050. Hoje, a participação da bioenergia é de aproximadamente 10% na matriz energética mundial.
De acordo com a pesquisa, entre as regiões em que há mais terras para desenvolvimento da bioenergia estão a África e a América do Sul. Segundo o estudo, a expansão de áreas destinadas a fontes de energia renováveis não colocará em risco a produção de alimentos. Não existe nenhuma evidência de que tenha acontecido substituição de alimentos na agricultura pela produção de bioenergia no mundo. O maior problema da fome é falta de dinheiro para comprar comida. Não é falta de comida.
A pesquisa completa, denominada Bioenergy & Sustainability, pode ser encontrada no endereço http://bioenfapesp.org/scopebioenergy/index.php/chapters  (em inglês)
(Fonte: Agência Brasil)