segunda-feira, 23 de março de 2015

CO2 para de subir

Enquanto a economia do planeta cresceu 3%, as emissões globais de dióxido de carbono (CO2) do setor de energia pararam de subir em 2014 pela primeira vez em 40 anos, exceto em anos com crise econômica, como 1992 e 2009. De acordo com um comunicado, no ano passado as emissões do gás poluente foram de​ 32,3 bilhões de toneladas em 2014, na comparação a 2013.
A paralisação do crescimento das emissões está ligada a padrões ecológicos de consumo de energia na China, o maior país emissor de carbono, à frente dos Estados Unidos, e em nações desenvolvidas. Na China, 2014 viu uma maior geração de eletricidade a partir de fontes renováveis, como energia hidráulica, solar e eólica, e menos queima de carvão.
A COP 21, cúpula das Nações Unidas que deve acontecer em Paris, tem o objetivo de obter um acordo para limitar as emissões globais que, segundo um painel internacional de cientistas, o IPCC, são responsáveis por provocar mais ondas de calor, inundações e elevação do nível do mar.

Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)

Poluição do ar X AVC

Pesquisadores do Centro Médico Langone, hospital da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos, divulgaram um novo estudo que sugere que a poluição do ar tem relação com um possível estreitamento das artérias carótidas, responsáveis por transportar o sangue arterial do coração para o cérebro. O entupimento delas pode provoca um acidente vascular cerebral (AVC).
Com os dados, eles descobriram que quem vivia em endereços com maior presença de poluição particulada ficou mais propenso ao estreitamento de suas artérias carótidas internas em relação a quem vivia em áreas menos poluídas. A análise foi feita entre os anos de 2003 e 2008, com a ajuda de índices de poluentes obtidos pela Agência de Proteção Ambiental (EPA).
As principais fontes de emissões do material particulado  (conjunto de poluentes como poeiras, fumaças e todo tipo de material sólido e líquidos suspensos na atmosfera) são os veículos automotores, processos industriais e queima de biomassa. Esses agentes contaminantes causam danos graves à saúde, segundo cientistas.
Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter