sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

BNDES e Saneamento (2014)

Os financiamentos aprovados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a área de saneamento totalizaram, no ano passado, R$ 1,9 bilhão para 13 projetos, com aumento de 118% em relação a 2013, quando foram liberados R$ 869,3 milhões.
No âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), criado em 2007, as operações de financiamento para saneamento contratadas pelo BNDES somam R$ 16,4 bilhões. Desse montante, R$ 6,2 bilhões foram direcionados para projetos selecionados pelo Ministério das Cidades no âmbito do PAC Saneamento 1 e 2.
Segundo a assessoria do BNDES, estima-se que, de 2007 a 2014, os recursos da instituição tenham contribuído para o fornecimento de serviços de abastecimento de água a 4 milhões de pessoas e de esgotamento sanitário a 5,4 milhões, em todo o país.

(Fonte: G1)

Venda de animais em pet shops

A partir de agora, o público não poderá mais ter contato direto com animais à venda em pet shops. O contato só será permitido em situações de “venda iminente”. A regra faz parte de uma resolução do Conselho federal de Medicina Veterinária (CFMV) que entrou em vigor em 15/01/2015. O objetivo da Resolução 169/2014, segundo o conselho, é garantir a segurança e o bem-estar dos animais que estejam sob o cuidado de pet shops, feiras ou exposições.
A resolução determina também que o animal seja mantido em um espaço adequado, limpo, sem excesso de barulho e com luminosidade, temperatura e umidade adequadas. Os bichos devem ter espaço suficiente para se movimentar e acesso fácil a água e alimentos. É bom lembrar que situações de maus-tratos não são apenas um ato doloso, mas também culposo.
A norma determina ainda que os animais a venda estejam com todas as vacinas em dia. Aqueles que tiverem alterações de comportamento devido a estresse deverão ser retirados do local de exposição. O responsável técnico pelo cumprimento dessas regras deve ser um médico veterinário, ainda segundo a nova resolução.
(Fonte: G1)

Momento lírico 336

PERDIDO
(Karl Fern)

O lume da vela acesa
Fere o negro da escuridão
Mas não tira a sensação
Nem me livra da tristeza
Que prende com vil certeza
As dores no meu coração.

E as lágrimas da solidão
Ardem contra alma ferida
E para cada gota vertida
Soma-se o choro da ilusão
Que em soluços de comoção
Cunham meu sofrer em vida.

Sem paradeiro ou guarida
Nesse patamar de incerteza
Resta suportar a torpeza
Por esta querência perdida
Encontra na chama tremida
O lume da vela acesa!