quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Momento lírico 303

BANCO DE PRAÇA
(Karl Fern)
Sentado no banquinho da praça
Numa sombra de castanholeira
Observo as folhas da palmeira
Bailando em constante graça
Quando leve brisa lhe abraça
Pondo-a balouçante e faceira!

Sozinho nesta cena lisonjeira
As imagens voam ao passado
Acho-a sorrindo ao meu lado
Entregue na paixão verdadeira
Nos amando pela tarde inteira
Em sonho de amor encantado!

Mas o que parecia imaculado
Passou como canção seresteira
Deixando denso rastro na poeira.
Uma lágrima do olhar marejado
Desce por meu rosto machucado
Refletindo o bailado da palmeira!