segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Mudança climática irreversível

A mudança climática é uma realidade e já se tornou irreversível. A conclusão é de um grande relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), que será publicado oficialmente em novembro, mas que vazou para a imprensa nesta semana.
A emissão contínua de gases de efeito estufa provocará um maior aquecimento e, de longo prazo, mudanças em todos os componentes do sistema climático, aumentando a probabilidade de um impacto severo, generalizado e irreversível para as pessoas e os ecossistemas.
Se as emissões de gases de efeito estufa não forem limitadas, há riscos de a mudança climática ser alta ou muito alta até o final do século XXI. Além disso, os especialistas advertem que é provável que, em breve, as temperaturas subam mais de 2 graus Celsius em relação à média, chegando a uma variação de até 3,7 graus.
Outra conclusão do relatório é a de que os esforços para combater as alterações climáticas têm sido insuficientes. As mudanças climáticas que já ocorreram tiveram impactos generalizados e consequentes sobre os sistemas naturais e humanos.
O relatório de 127 páginas resume outros três relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Como o documento será lançado em novembro, após uma conferência da ONU em Copenhague, ele ainda pode sofrer alterações.
Fonte: TERRA - Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)


Momento lírico 296


FOLHAS SECAS
(Karl Fern)

Folhas que caem só importa
Pra quem vai varrer o chão
Pra nada serve mais não
São apenas matéria morta
Tiradas do batente da porta
Tangidas por um vassourão.

Sujeira é sua reles sensação
Da vida não traz lembrança
Que no auge de sua pujança
Davam sombra em profusão
Na paisagem dava emoção
Seu verde trazia esperança.

O tempo não para e avança
E entre a felicidade e a dor
A vida segue como um andor
Que baila conforme a dança
Num momento é só confiança
Em outro aufere só desamor!


Chá e café não prejudica o coração

O consumo de café ou de chá não prejudica o coração e nem tem relação com outras causas de morte, como infecções, segundo um estudo da Sociedade Europeia de Cardiologia, apresentado neste sábado em um congresso organizado por esta sociedade. O encontro reuniu até 3 de setembro mais de 30 mil cardiologista de todo o mundo em Barcelona e a pesquisa baseou-se no acompanhamento de 130 mil pacientes de entre 18 e 95 anos durante três anos e meio.
O resultado do estudo permite desmitificar a relação estabelecida historicamente entre o consumo de café ou chá e o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e também mostra que os consumidores de café são mais consumidores de tabaco, enquanto os de chá costumam ter hábitos cardiovasculares mais saudáveis.
Os responsáveis da Sociedade Europeia de Cardiologia também destacaram a importância do consumo regular de fruta, que pode diminuir em 40% o risco cardiovascular. Segundo um estudo elaborado pela Universidade de Oxford, após analisar durante sete anos meio milhão de pessoas de diversas zonas da China, que consumiam fruta de maneira regular, reduzem entre 25% e 40% os riscos cardiovasculares. Quanto mais fruta for consumida, mais diminuirá o risco.
Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)