domingo, 13 de julho de 2014

126 anos...

Morador da Vila Vicentina, em Bauru (SP), desde 1973, José Aguinelo dos Santos nasceu em 7/7/1888, em um quilombo de escravos, no Ceará, pode ser o homem mais velho do mundo. Ele conta que tinha uma irmã que batia muito nele e, ao todo, teve cinco irmãos. O local era grande e não havia camas. Além disso, dormia todo mundo junto e que a mãe era escrava. Mas que um dia ela acordou e não era mais escrava.
Adulto, saiu do Ceará até chegar ao interior de São Paulo para trabalhar na roça. Passou por algumas cidades antes de parar na região de Iacanga. Zé contou que trabalhou em uma fazenda de café e chegou à instituição através dono da propriedade.
Ele adora um prato de arroz e feijão, pouca carne e sem folhagens, e depois de um rápido cochilo. Consome em média um maço de cigarro todos os dias e odeia tomar banho. A psicóloga  do abrigo afirmou que às vezes é impossível levá-lo ao chuveiro.
Com uma saúde considerada perfeita pelos médicos. Zé caminha sozinho e enxerga bem. Não tem colesterol ou diabetes e não é hipertenso. Os únicos medicamentos que o idoso toma são uma vitamina e um comprimido para abrir o apetite, que acaba perdendo com a idade.
Fica muito pouco no quarto. Se não está na área sentado e fumando mais um cigarro, pode ser encontrado no refeitório ou no sofá do salão em frente à televisão ou assistindo as atividades da equipe de Terapia Ocupacional. Nos momentos sozinhos, ele começa a cantar músicas pouco conhecidas, modas da época que ele lembra.
Seu maior amigo é Odilon Camargo, de 73 anos, companheiro de quarto há 15 anos. “Ele para mim é como meu avô. É uma boa pessoa e um grande amigo. A gente conversa e trocamos cigarro também”, avisou.
Fonte: G1