segunda-feira, 19 de maio de 2014

Como evitar infecções urinárias

Esse incômodo problema de saúde atinge praticamente metade das mulheres adultas. O problema tem, como sintomas clássicos, ardência e dor na hora de urinar, além de urgência frequente para ir ao banheiro. Embora não seja uma doença exclusivamente feminina, afeta muito mais esse público. Isso acontece por razões anatômicas, já que a uretra feminina é mais curta que a do homem, facilitando a ascensão de bactérias até a bexiga. Com tantas pessoas podendo ser afetadas por essa doença, alguns cuidados básicos de costumes e higienização são realmente eficazes para evita-la.
Por exemplo, nunca segurar a urina pois isso faz com que o trato urinário fique muito tempo sem ser “lavado”. Assim, também, beber pouca água significa urinar menos e, consequentemente, reduzir o número de higienizações do trato urinário, aumentando o risco de ter infecção urinária.
Após ir ao banheiro, cuidado com a limpeza, pois o principal micro-organismo causador da infecção urinária é uma bactéria encontrada na flora intestinal. Assim, após urinar ou defecar, a limpeza com o papel higiênico deve ser feita da frente para trás para não levar bactérias do ânus para o canal vaginal e, se possível, ainda, use uma duchinha para lavar a região.
Trocar o sabonete comum pelo sabonete íntimo não ajuda a prevenir infecções urinárias, pois o aumento da frequência de higienizações íntimas é que reduz o risco de infecções urinárias, e não o uso do sabonete íntimo.
Usar protetores diários pode favorecer infecções urinárias, pois eles favorecem o aquecimento da região e, assim, a sudorese, criando um ambiente perfeito para a proliferação de micro-organismos. Por isso, no período menstrual, quando a mulher precisa usar absorventes, os especialistas recomendam não permanecer mais de cinco horas com o interno e mais de seis horas com o externo. Sempre que possível, ainda, higienize o local com água e sabonete neutro ou sabonete íntimo.
Fonte: MINHA VIDA  (via newaletter)