terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Momento lírico 247


SONETO
(Karl Fern)

Um tempo te amei por inteira
Vivemos incontáveis loucuras
Ouvi de ti apaixonadas juras
Eras minha paixão verdadeira!

Foste minhas doces venturas
Viva aura da afeição primeira
Sonho de uma luz alvissareira
Celeste pirâmide de ternuras!

Mas um sonho jamais é eterno
Como página de algum caderno
Que um dia terminou rasurada,

Manchou-se o destino da gente
E quase que assim de repente
O tão lindo não era mais nada!