segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Momento lírico 307

INDEFINIÇÃO
(Karl Fern)

Amor é ligação nobre e singular
Em versos nem sei como o defino
Para uns é um perene conquistar
Pra outros é um traço do destino.

O amor é um sentimento divino
Alma querida dourada de afeição
Um poema delicioso e cristalino
Algemando devaneios ao coração.

Labaredas de encantos e sedução
Que nosso corpo ansioso percorre
Amar engalana o ego de emoção
Faz renascer quem o amor acorre.

Por amar demais ninguém morre
O amor embriaga com sublimidade
Quem dera viver sempre de porre
Desta sã embriaguez de felicidade!


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Momento lírico 306

INTIMIDADE
(Karl Fern)

A beleza da imagem toda nua
Refletindo esta nobreza só sua
Brilhante sob água a lhe banhar
Pela fresta entra o claro da rua
Atropelando o insigne raio da lua
Na avidez deste corpo iluminar.

Enquanto ela trauteia contente
Suas mãos deslizam suavemente
Em um bailado rítmico e sensual
Tateando cantinhos docemente
Banhando-se leve e divinamente
Uma princesa e sua tez de cristal.

Depois que se sente renovada
Numa toalha de felpas enxugada
Perfuma-se no seu puf relaxante
Em seu corpo nada sobre nada
Talvez aspire apenas ser amada
Dar seu corpo ao amado amante.

O silêncio vagueia no vão vazio
Desejo de mulher aquece o frio
Com lábios rubros meio risonhos
Exibe seu corpo como em desafio
Junto a pélvis a perfeição do cio
Entre quatro paredes voam sonhos!


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Momento lírico 305

DESABAFO
(Karl Fern)

Fundada por um idealista
Esta gigantesca empresa
Grande pela sua natureza
Com todo petróleo a vista
Seu monopólio extrativista
Sendo nosso com certeza

Contudo por pura safadeza
Um bando de índole ladina
Todos agindo na surdina
Conseguiram a vil proeza
Por no limiar da pobreza
Essa brasileira cristalina!

Uma tal de “Passadena”
Que não valia um tostão
Por um esquema ladrão
Veio rimar com propina
Mostrando a triste sina
Do idioma e da nação!

Por roubo em profusão
Nosso orgulho nacional
Com este grupo marginal
Tomando a administração
Entrou em um turbilhão
Um verdadeiro bacanal.

E o que não valia nada
Como foi firmado acima
Junto com a Abreu e Lima
Custou uma fortuna danada
E cadê a produção falada?
Era maligna pantomima!

Ferindo nossa autoestima
Algo me derruba doente
Parece um povo demente
Não reconhece este clima
Atos desta praga sublima
E ainda vota nessa gente!


Na contra-mão...

O Japão anunciou que colocará seu programa de caça às baleias na Antártida de volta à ativa em 2015. A decisão foi criticada pela Comissão Internacional de Baleias (IWC, na sigla em inglês), entidade internacional formada em 1946 por diversos países para firmar compromissos de preservação das baleias. A Comissão havia decidido, através de uma resolução, que a caça japonesa não tem propósitos de pesquisa – e portanto não é justificável.
O Japão começou seu programa de caça às baleias em 1987, um ano depois que o acordo internacional foi colocado em vigor. A caça às baleias para fins comerciais é proibida pela Comissão desde 1986, mas o Japão tinha um acordo de exceção que o permitia caçar para objetivos científicos. Em março deste ano, porém, o Tribunal de Justiça da ONU (Organização da Nações Unidas) considerou que o que os japoneses estavam fazendo não tinha fins científicos.
Isso fez com que o Japão tivesse que abandonar o programa de caça às baleias na Antártida neste ano. O país continuou apenas o programa menor que tem no Pacífico Norte. Segundo o Tribunal de Justiça da ONU, o Japão já capturou cerca de 3.600 baleias minke desde que o seu programa atual de caça começou, em 2005.
O governo japonês enfrentou uma revolta global e recebeu reclamações inclusive de Estados Unidos e Austrália, dizendo que o programa é uma ‘fachada para a caça comercial’. A carne de baleia é tradicionalmente apreciada no Japão, mas a procura por esse tipo de iguaria tem diminuído no país.
(Fonte: UOL)


domingo, 21 de setembro de 2014

População deve crescer até 2100

Um estudo feito pela Universidade de Washington e pela Organização das Nações Unidas (ONU) concluiu que a população mundial deve continuar crescendo ao longo de todo o século, podendo chegar a 10,9 bilhões em 2100. Os dados surpreendem, na medida em que projeções anteriores estimavam que a população mundial chegaria ao pico em 2050, estabilizando-se em seguida.
Os resultados, publicados nesta quinta-feira (18) na revista “Science”, se baseiam em uma análise estatística das mais recentes projeções populacionais feitas pela ONU, que incluem os resultados dos censos de 2010 e algumas pesquisas mais recentes de até 2012.
 “O consenso nos últimos 20 anos é que a população mundial, que é atualmente cerca de 7 bilhões, cresceria até 9 bilhões e estabilizaria ou provavelmente diminuiria”, diz um dos autores do estudo, Adrian Raftery, professor de estatística e sociologia da Universidade de Washington.
Segundo os pesquisadores, a principal razão para a população mundial não se estabilizar até o final do século é o aumento na população da África. Análises feitas no passado tinham projetado que a fertilidade na África iria diminuir, seguindo a tendência observada na Ásia e na América Latina. Porém, a fertilidade no continente africano continua subindo.
A média de filhos nas famílias africanas é de 4,6 por mulher, em parte devido à falta de contraceptivos. Diante disso, a atual população da África, de cerca de 1 bilhão, deve crescer até um patamar entre 3,1 e 5,7 bilhões até 2100, segundo o estudo.
Outro fator levado em conta pelo estudo é a dinâmica da epidemia de HIV na África: a mortalidade pela doença têm diminuído consideravelmente no continente, impactando também no crescimento populacional.
(Fonte: G1)


Foto de astronomia do ano

De um eclipse sobre o Quênia até um céu sereno preenchido com uma aurora verde cintilante. A competição “Fotógrafo de Astronomia do Ano”, realizada pelo Observatório Real de Greenwich, em Londres, apresenta o cosmos que vai além do nosso planeta por meio de fotos deslumbrantes.
Foram centenas de participantes de 51 países, com fotos divididas nas categorias Terra e Espaço, Pessoas e Espaço, Nosso Sistema Solar, e Espaço Profundo.
Foto de astronomia do ano é de aurora boreal na Islândia. O vencedor geral foi o britânico James Woodend, que ganhou o prêmio principal de Fotógrafo de Astronomia de 2014 com uma foto da aurora verde cruzando o céu islandês e refletida na lagoa glacial de Vatnajökull.
Shishir Shashank Dholakia, de 15 anos, dos Estados Unidos, ganhou na categoria Fotógrafo Jovem do Ano. As fotos vencedoras estão expostas no Observatório Real de Greenwich até 22 de Fevereiro de 2015.
Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)


sábado, 20 de setembro de 2014

Evolução X Doenças

Entender como o corpo humano evoluiu ao longo de milhares de anos pode ajudar a entender as doenças que mais afetam a população hoje e pensar em estratégias para preveni-las e tratá-las. Muitas das doenças comuns de hoje e que não afetavam tanto nossos antepassados – como as doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e Alzheimer – podem ter relação com um descompasso entre a evolução do corpo humano e a evolução cultural.
Apesar de o corpo humano continuar evoluindo e se adaptando, isso ocorre de forma muito mais lenta do que as mudanças ambientais e culturais. No período paleolítico, por exemplo, os homens comiam de 1 a 4 kg de açúcar por ano. Já a quantidade de fibra anual era de 40 kg. Hoje, um americano médio come de 45 a 50 kg de açúcar por ano e só 7 kg de fibra. A quantidade de atividade física praticada também é cada vez menor. A consequência é que há, hoje, muito mais doenças relacionadas à obesidade e à falta de atividade física.
As adaptações evolutivas têm como objetivo garantir a capacidade de reprodução do ser humano, mas nem sempre promovem a saúde. A gordura é especialmente importante para a reprodução. Portanto, ter vontade de comer açúcar e gordura também é uma evolução.
A tendência é que a medicina evolutiva saia da academia e entre para a prática clínica da medicina. Se você olhar para as prateleiras de livros de auto-ajuda nos EUA e Europa, há muitos livros de sobre medicina evolutiva (sobre a dieta do Paleolítico, por exemplo). Então os pacientes também estão interessados. Nem sempre eles estão entendendo direito, mas têm um enorme interesse nisso. Currículos de cursos de medicina como o da Universidade de Yale já incluem disciplinas de medicina

Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)

Momento lírico 304

ALMA TRISTE! (soneto!)
(Karl Fern)

Hoje a saudade aninhada em meu peito
Faz redemoinhos em volta deste coração
Rola em meu rosto um filete de emoção
Lágrima tristonha com rastro imperfeito.

Emaranhados pela brisa dessa recordação
Meus cabelos montam penteado desfeito
No desencanto de lençóis sobre meu leito
Minha alma lateja agoniada em comoção.

Sonhos perdidos num futuro do pretérito
Retirado sem qualquer resquício emérito
Nas sobras um insano paiol de imensa dor

Como um destino traçado na eternidade
Foram-se todos os instantes de felicidade
Largando amarguras na poeira desse amor!


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Momento lírico 303

BANCO DE PRAÇA
(Karl Fern)
Sentado no banquinho da praça
Numa sombra de castanholeira
Observo as folhas da palmeira
Bailando em constante graça
Quando leve brisa lhe abraça
Pondo-a balouçante e faceira!

Sozinho nesta cena lisonjeira
As imagens voam ao passado
Acho-a sorrindo ao meu lado
Entregue na paixão verdadeira
Nos amando pela tarde inteira
Em sonho de amor encantado!

Mas o que parecia imaculado
Passou como canção seresteira
Deixando denso rastro na poeira.
Uma lágrima do olhar marejado
Desce por meu rosto machucado
Refletindo o bailado da palmeira!


terça-feira, 16 de setembro de 2014

Soníferos x Alzheimer

A utilização de certos soníferos e tranquilizantes da família das benzodiazepinas por longos períodos pode aumentar sensivelmente o risco de se desenvolver Alzheimer, revela um estudo franco-canadense publicado no site do “British Medical Journal” (thebmj.com). Os pesquisadores concluíram que o consumo de benzodiazepinas durante mais de três meses está associado a um risco 51% maior de desenvolver a doença.
As benzodiazepinas constituem, incontestavelmente, ferramentas preciosas para tratar ansiedade e insônia temporárias, mas os tratamentos devem ser de curta duração e não superar os três meses, destacam os especialistas.
Os resultados do estudo vão na mesma direção das advertências lançadas pelas autoridades de saúde de vários países sobre a utilização de benzodiazepinas, especialmente em pessoas mais velhas, devido aos efeitos secundários de ordem cognitiva.
Segundo a agência francesa de segurança de medicamentos (ANSM), 11,5 milhões de franceses consumiram ao menos uma vez a benzodiazepina no ano de 2012, entre os quais 7 milhões por ansiedade e 4,2 milhões transtornos do sono.
(Fonte: G1)


A camada de ozônio está se recuperando

A frágil camada de ozônio que protege a Terra está começando a se recuperar, principalmente por causa da progressiva eliminação, desde a década de 80, de alguns elementos químicos de latas de refrigerantes e aerossol, uma rara notícia positiva sobre a saúde do planeta. Cientistas disseram que o crescimento demonstra que a união mundial pode neutralizar o desenvolvimento de uma crise ecológica.
Pela primeira vez em 35 anos, cientistas foram capazes de confirmar um aumento estatístico significativo e sustentado no ozônio estratosférico, que nos protege da radiação solar que causa câncer de pele, danos à agricultura e outros problemas. De 2000 a 2013, os níveis de ozônio cresceram 4 por cento em latitudes norte a cerca de 30 milhas (48 kms) de altura na avaliação do ozônio feita a cada quatro anos por 300 cientistas, divulgada pelas Nações Unidas.
A camada de ozônio vinha se tornando cada vez mais fina desde o final dos anos 70. Clorofluorcarbonos produzidos pelo homem, chamados de CFCs, emitiam cloro e bromo, que destruíam as moléculas de ozônio suspensas no ar. Após um alerta de cientistas, países ao redor do mundo concordaram com um tratado em 1987 para eliminar progressivamente os CFCs. Os níveis desses elementos em alturas de 30 a 50 milhas estão diminuindo. Sem o pacto, em 2030 dois milhões de casos extras de câncer de pele seriam registrados por ano no mundo.
Paradoxalmente, gases de efeito estuda, que retém o calor – considerados a maior causa do aquecimento global – também estão ajudando a reconstituir a camada de ozônio. O relatório diz que a ampliação do nível de dióxido de carbono e outros gases esfria a estratosfera superior, e o ar mais frio aumenta a quantidade de ozônio.
Em outra tendência preocupante, os elementos químicos que substituíram os CFCs contribuem para o aquecimento global e estão aumentando. No momento, eles não representam grande ameaça, mas é esperado que aumentem dramaticamente até 2050 e façam “uma enorme contribuição” para o aquecimento global.
A camada de ozônio ainda está longe de ser recuperada. Elementos químicos devoradores de ozônio e de longa duração que ainda permanecem na atmosfera criam anualmente um buraco no extremo do Hemisfério Sul, e o buraco não foi fechado. Além disso, a camada de ozônio ainda está cerca de 6 por cento mais fina do que na década de 80.
(Fonte: G1)


A partícula de Deus e o fim do mundo

O físico Stephen Hawking pode ter preocupado muita gente ao revelar que uma partícula elementar, teoricamente surgida após o Big Bang e conhecida como Partícula de Deus, poderia provocar o fim do mundo. Ele escreveu essa teoria no prefácio de seu novo livro, Starmus, e disse mais: isso pode acontecer a qualquer momento, sem que nenhum aviso seja emitido.
Os cientistas acreditam que uma mudança no estado de energia do universo pode fazer com que ele sofra uma deterioração catastrófica. Isso quer dizer que uma bolha de vácuo poderia se expandir a velocidade da luz no espaço destruindo tudo o que encontrasse pela frente.
Essa partícula, chamada de Bóson de Higgs, foi prevista pela primeira vez em 1964 por um grupo de cientistas, incluindo Peter Higgs, preenchendo uma lacuna que faltava no modelo padrão da física das partículas e explicando três das quatro forças fundamentais existentes no universo: as forças fortes, fracas e eletromagnéticas.
A massa dessa partícula é necessária para manter a estabilidade do universo. Se esse estado entra em colapso, o universo fica instável, provocando um evento catastrófico. Mas, de acordo com cientistas, embora o potencial de Higgs governe o vácuo em que estamos e seu estado de energia possa sofrer mudanças, é improvável que o mundo acabe nos próximos bilhões de anos.
(Fonte: Terra)


Momento lírico 302

A LENDA DO CASAL PERFEITO!
(Karl Fern)

Conta uma lenda popular
Que havia em certo lugar
Um jovem rico e formoso
Era um excelente partido
Porém muito precavido
Exigente e meticuloso!

Decidiu que iria se casar
Mas só após encontrar
Pra isso a mulher perfeita
Assim foi à sua procura
Até encontrar a criatura
Que atendia sua receita.

Quando lhe fez a proposta
A surpresa da sua resposta
Doeu-lhe dentro do peito:
“Não posso lhe desposar,
Pois também tou a procurar
Pra mim um homem perfeito!”

Moral da história: Quem procura a perfeição, encontrará a solidão!


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Momento lírico 301

DESCRENÇA
 (Karl Fern)

Eu sinto que a incerteza
Corrói como um pecado
Que me deixa magoado
E agonia minha natureza
Mas bem pior é a tristeza
De não se ver acreditado!

Acordo perdido e frustrado
Sorumbático e impotente
Traz um penar permanente
Que me esboroa desolado
Mesmo com perdão dado
Não dá pra tirar da mente.

Brota uma dor recorrente
Enquanto não há confiança
Descrença mata esperança
Gera uma ferida plangente
Deixa meu coração doente
Guarda perversa lembrança.

A verdade é como criança
Que não deixa de crescer
Novos ares hão de nascer
Germinando paz e bonança
Conforma o tempo avança
Sei que vou lhe convencer.

E quando a verdade vencer
Seu coração desconfiado
Finalmente estarei curado
Deste degradante padecer
Por fim, poderei esquecer
E esta mágoa será passado.


domingo, 14 de setembro de 2014

Momento lírico 300

CONFORMISMO
(Karl Fern)
Como eu queria você aqui
Quanto desejo o seu abraço
Acariciar atrevido seu regaço
Sorrir admirando você sorri
Recitar loas de amor pra si
Sonhar flutuando no espaço.

Absorver com desembaraço
O aroma desse corpo quente
O beijo dessa boca ardente
Apossar-me de cada pedaço
Senti-la presa em meu laço
Fazê-la toda minha somente.

Mais eis que vejo de repente
Que isso é apenas um sonho
Então me recolho tristonho
Numa solidão vil e demente
Daquelas que abriga na gente
Um conformismo enfadonho!


sábado, 13 de setembro de 2014

Momento lírico 299

O BEIJO AO LUAR
(Karl Fern)

 No silente cantinho da praça
Teu rostinho referto de graça
Sombreava a penumbra do luar
E a brisa leve riscou tua testa
Com fios de cabelos em festa
Excitando o verde do teu olhar.

Trouxe teu corpo enternecido
Colado ao meu peito aquecido
Emanando uma ternura infinita
Nada mais no meu pensamento
No universo naquele momento
Ninguém poderia ser tão bonita!

Minhas mãos tatearam teu rosto
Apaixonado e meu amor posto
Vi a boca mais linda do mundo
Dos teus lábios em rito perfeito
Do desejo vindo dentro do peito
Sorvi um beijo divino e profundo!


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Momento lírico 298

SEXTILHAS
(Karl Fern)

SOLIDÃO!
Solidão maltrata a gente
Deixa a alma ressacada
Faz o cristão meio demente
Com a natureza amuada
É igual a dor de dente
Dói mais na madrugada!

©

MURIÇOCA
Ô bichinho chato, visse!
É muriçoca, seu menino
Seria bom não existisse
Eita que inseto traquino!
Queria saber quem disse
Que a praga toca violino?

©

TOPADA
Coisa chata é uma topada
Traz uma gozação imunda
A vítima fica encabulada
Mesmo que não se contunda!
Por que nunca cai sentada
E passa logo a mão na bunda?

©

BUCHADA REDORMIDA
Fui comer uma bendita buchada
Na barraca de Dona Margarida
Ela disse que tava bem apurada
A danada tava mesmo era ardida
Ah, que dor de barriga amolestada
Nunca mais como buchada dormida!