quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Momento lírico 211

ACORDES PARA DOIS
(Karl Fern)

Na cama os corpos quentes
Perdem cismas e pudores
Juntam-se desejos ardentes
Clímax de vibrantes amores.

Nesse descontrole dos cios
Misturam-se anseios afoitos
Enchem-se os espaços vazios
No manto louco dos coitos.

Isento de todos os medos
Mútuos rogos sem limites
Castelo de íntimos enredos
No mais doce dos apetites.

Descontrole do consciente
Volúvel atração delirante
Dual fôlego intermitente
Em um cavalgar palpitante.

Num murmurar encantado
Entranhas da alma rumoreja
Ode de um ritual orvalhado
Ecos de uma divinal peleja.

Êxtase ofegante e explosivo
Licor vibrante e magistral
Seivas do gestual instintivo
Apoteose de um vendaval.

Bento suor de vivas gotas
Essência da generosa libido
Sussurros, risos, vozes rotas
Fragrâncias do gozo ungido.

Poema do precioso querer
Suspiros de insana canção
Fogueira de sonho e prazer
Selvagem ritual da criação.


Colina, o nutriente!

Um nutriente essencial comum nas vísceras de animais - principalmente no fígado - mas que também se faz presente no ovo é a colina. Componente do complexo B de vitaminas, ela preserva as membranas celulares de todas as células do organismo, deixando-as íntegras e permeáveis à entrada de vitaminas e minerais. Trata-se de uma amina natural encontrada nos lipídios presentes na membrana celular e no neurotransmissor acetilcolina.
A colina também otimiza a comunicação dos nervos com os músculos e reduz o acúmulo de homocisteína no sangue. Os níveis elevados dessa substância estão associados às doenças do tipo cardiovascular, de Alzheimer, assim como a osteoporose.
Sabe-se, ainda, que a colina reduz a inflamação crônica, melhora o funcionamento hepático e previne o acúmulo de gordura no fígado. Entretanto, é por jogar a favor da memória e da concentração que a substância se destaca. Consumir alimentos ricos em colina preserva neurônios e aumenta a produção de acetilcolina, um neurotransmissor que melhora a memória, a capacidade de aprendizado e o humor.
A ingestão diária recomendada é de 550 mg diários para indivíduos adultos do sexo masculino, de 425 mg diários para indivíduos adultos do sexo feminino e ligeiramente superior, cerca de 450 mg diários durante a gravidez. As fontes principais de colina são alimentos como o ovo, fígado de galinha, vitela e de vaca, a mostarda, cereais integrais, entre outros.
Fonte: MINHA VIDA (via newsletter)                            


Azia - Quando procurar um médico!

Estima-se que 10% dos adultos apresentem esse sintoma diariamente e cerca de 40% experimentam o problema em algum momento da vida. Pesquisas revelaram que no Brasil, em 22 cidades, mostrou que 12% da população sente esse desconforto, uma ou duas vezes por semana, e 7% mais de duas ou três vezes no mesmo período.
Para os especialistas, o ritmo da vida moderna, que impõe a prática de refeições rápidas e irregulares, é uma das causas da ocorrência desse sintoma de vez em quando. Sentir azia, regurgitar e ter maior dificuldade de digestão, após um abuso ocasional no comer ou beber, é considerado normal. Mas quando essa sensação é muito frequente, como duas ou três vezes por semana, ou se ela aparece mesmo sem que tenha havido exageros alimentares, há algum problema que merece investigação.
A azia pode ser um estado fisiológico e, portanto, natural, se acontece espaçadamente. Se ela persiste e se repete por longo período de tempo, procure um gastroenterologista para avaliar o caso. Procurar ajuda especializada tem uma razão de ser. A reincidência do sintoma pode estar relacionada ao mal mais prevalente do tubo digestivo, a doença do refluxo gastroesofágico que pode resultar até em câncer no esôfago!                                                 
Fonte: MINHA VIDA (via newsletter)