sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Momento lírico 208

A NUVEM
(Karl Fern)

Parecendo no espaço perdida
Descolada nessa imensidão
Até um vento lhe dá vida
Definindo a certeira direção.

Fazendo sombra pelo chão
Essa nuvem flui alvissareira
Faz lembrar de uma canção
Sobre uma certa “passageira”.

Desfila solitária e bailarina
Navegando pra seu destino
Leve como densa neblina
Em um revoado peregrino.

Pela força do vento levada
Pra algum lugar escolhido
Com sua água abençoada
Alagar o chão ressequido.

Deixando a terra molhada
Forjando entusiasta alegria
Comemoram sua chegada
Acabando extensa agonia.

Também já fui só um dia
Vivia perdido e desolado
Então surgiu um anjo guia
Que se postou ao meu lado.

Plantou sonhos e planos
Fez-se a sombra adorada
Livrou-me dos desenganos
Parceira nessa caminhada.

Não é digno ser sozinho
A felicidade não tem cor
Não se vive sem carinho
A vida é estéril sem amor!