quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Momento lírico 193

UMA PORTA SEM JANELAS
(Karl Fern)

Eram paredes vermelhas
Embaixo de mágicas telhas
No meio uma porta aberta
Uma abertura sem tranca
Envolta em névoa branca
De uma suavidade incerta.

Não se mostravam janelas
Mas as paredes tão belas
Pareciam mandar convites
Um chamado misterioso
Algo intrigante e delicioso
Uma atração sem limites.

Via-as cada vez mais perto
Em tal nevoeiro encoberto
Ouvi uma afável palpitação
Indo encantado e risonho
Senti que estava em sonho
Entrando em seu coração.
Fonte: MINHA RIMAS II                                                 


Difteria e tétano

A difteria é causada por uma bactéria, que é contraída pelo contato com secreções de pessoas infectadas. Ela afeta o sistema respiratório, causa febres e dores de cabeça, em casos graves, pode evoluir para uma inflamação no coração.
A toxina da bactéria causadora do tétano compromete os músculos e leva a espasmos involuntários. A musculatura respiratória é uma das mais comprometidas pelo tétano. Se a doença não for tratada precocemente, pode haver uma parada respiratória devido ao comprometimento do diafragma, músculo responsável por boa parte da respiração, levando a morte. Ferir o pé com prego enferrujado que está no chão é uma das formas mais conhecidas do contágio do tétano.
A primeira parte da vacinação contra difteria e tétano é feita em três doses, com intervalo de dois meses. Geralmente, essas três doses são tomadas na infância. Então confira a sua carteira de vacinação para certificar-se se a vacinação está em ordem. Depois delas, o reforço deve ser feito a cada dez anos para que a imunização continue eficaz.
Existe, pois, a vacina dupla tipo adulto para difteria e tétano. É nesse momento que os adultos cometem um erro, deixando a vacina de lado.

Fonte: MINHA VIDA (por newsletter!)

Dores durante o sexo

Desconforto pode indicar desde doenças cervicais a distúrbios psicológicos. Para algumas mulheres a penetração pode ser dolorida e desconfortável. Mas sentir dor durante o sexo é um forte indício de que há algum problema, seja físico ou psicológico.  Pode ser sintoma de doenças vaginais provocadas por bactérias ou fungos. Em alguns casos indica patologias vulvares e doenças cervicais, como mioma e endometriose. 
As patologias que podem provocar dor durante a relação sexual são infecções na vagina e vulva, como a candidíase, tumores benignos e malignos, doenças do aparelho urinário, como as cistites, lesões dermatológicas causadas por doenças sexualmente transmissíveis e traumatismos. Nesses casos, a dor costuma desaparecer após o tratamento da doença que provoca o desconforto.
Outra razão para sentir dor ou ardência durante a penetração é a falta de lubrificação. Esse problema pode acontecer, entre outros motivos, porque não houve estimulação suficiente nas preliminares. Por isso é tão importante que os parceiros tenham liberdade para conversar sobre o assunto. A lubrificação com produtos à base de água não prejudica o preservativo. Este problema é bastante prevalente nas mulheres que entram na menopausa. 
Para algumas mulheres, a dor na relação sexual nada tem a ver com infecções ou patologias cervicais. Nesses casos mais raros, a dor é provocada por fatores psicológicos como o vaginismo, um a contração involuntária, recorrente ou persistente, dos músculos do períneo adjacentes à vagina. Isso acontece sempre que há tentativa de penetração.  É um problema mais comum em mulheres jovens e naquelas que apresentam história de abuso ou traumas sexuais. Para quem sofre desse distúrbio, o tratamento deve ser individualizado e a orientação geral é procurar primeiramente o ginecologista.
Fonte: MINHA VIDA (via newsletter)