terça-feira, 27 de agosto de 2013

Vacinas para adultos

Na hora de cuidar da própria saúde, muitos adultos negligenciam as campanhas de vacinação. Em todas as fases de nossa vida, porém, estamos suscetíveis a infecções por vírus e bactérias que, se não tratadas, podem causar muitos problemas. Há doenças que prejudicam a imunidade mesmo na idade adulta.
As doenças crônicas que se manifestam mais na vida adulta são fortes indicadores de que o individuo precisa se vacinar. Existem vacinas tanto para bactérias como para vírus. Confira sete tipos de vacinas que os adultos precisam tomar, que merecem estar na sua carteira de vacinação:
- Tríplice-viral - para sarampo, caxumba e rubéola;
- Contra difteria e tétano;
- Contra a hepatite B;
- Contra pneumonia;
- Contra a febre amarela;
- Contra gripe;
- Contra HPV.
Fonte: MINHA VIDA (por newsletter!)

Momento lírico 192

PSEUDO-IMORTAIS
 (Karl Fern)

Neste mundo tão pequeno
De pensamentos plurais
Somos os reis dos animais
Sejamos branco ou moreno
Destilamos tanto veneno
Que nos tornamos imorais!

Da ganância somos escravos
Cobiçamos o que não temos
Além daquilo que vemos
Armamos pios conchavos
Pra ganhar alguns centavos
As vezes por pouco menos.

Para o irmão desgraçado
Não temos a mínima pena
Não nos importa a cena
Talvez um pobre coitado
Que vai pagando o pecado
De não ter ido a novena!

Seguimos sem humildade
Minguando nossos destinos
Por caminhos peregrinos
Como donos da verdade
Sem ver nossa fragilidade
Na natureza tão pequeninos!

Alguns até lembram de Deus
Quando olham ao derredor
Miram que estão na pior
Pedem socorro pr’os seus
Logo esquecem os céus!
Quando se põem melhor

A vida é mesmo assim
Um arco-íris de ilusões
Muitos se acham Sansões
Julgam-se nunca ter fim
Mas cedo ou tarde, enfim
Serão da terra só porções!

Momento lírico 191

VINGANÇA
 (Karl Fern)

A vingança tem muitas cores
Conta um saber popular
Amargurante de suportar
Curvar-se em suas dores
Suportar seus dissabores
Sem ânimo pra respirar.

Até num escrito qualquer
De aparência inocente
Sente-se a crueza pungente
O furor do mal-me-quer
Venha de onde ela vier
Só quem sabe é quem sente.

Onde só se viam louvores
Tempos venturosos atrás
Arco-íris rubro, azul, lilás
Soam ódios e rancores
E prazeres torturadores
Ecoando e tirando a paz.

Por que maltratar assim?
Tratar como erva daninha
Com arroubos e picuinha
Ficar lembrando o ruim
Tratar como um vil cupim
Quem foi abelha rainha?


Ambiente - As lontras da Califórnia

A vegetação marinha está diminuindo em todo o mundo devido ao uso excessivo de fertilizantes e outros nutrientes provenientes da exploração agrícola e das áreas urbanas em águas costeiras, impulsionando o crescimento de algas, que impedem que a vegetação marinha receba luz do sol e reduzindo esta flora.
Mas nas últimas décadas, a vegetação marinha do Estuário de Elkhorn Slough, no norte da Califórnia, voltou a crescer. Estudos de várias décadas do declínio e a recuperação dessa vegetação, constataram que o aumento da população de lontras (desde 1984) foi um fator chave para a recuperação do meio ambiente.
Estes animais não têm impacto direto na vegetação marinha, mas ajudam a preservá-la, ao comer grandes quantidades de caranguejos. Alimentando-se dos crustáceos, elas eliminam uma ameaça chave para as lesmas-do-mar. Por sua vez, as lesmas-do-mar comem algas e permitem que as plantas marinhas se mantenham saudáveis.
Assim, o retorno das lontras a um dos maiores estuários da Califórnia permitiu recuperar a vegetação marinha, que serve de habitat para os peixes e desempenha um papel essencial na proteção dos ecossistemas costeiros.
Isto significa que a presença de um predador ajudou a salvar o ecossistema. Este estudo proporciona um exemplo dos efeitos em cascata sobre o ecossistema pelos transtornos da cadeia alimentar.

Fonte: TERRA

Agentes biológicos de doenças

Os principais agentes biológicos encontrados nas águas contaminadas são os parasitas, as bactérias patógenas e os vírus.
Parasitas são animais unicelulares que se alimentam do sangue de outro. Nascem e/ou crescem e/ou se reproduzem em outros corpos organizados. Em geral são protozoários, vermes ou fungos. São exemplos de doenças conhecidas em nossa região:
-     provocadas por protozoários: as amebíases, tricomonas, doença de Chagas, malária, entre muitas outras;
-     provocadas por vermes: amarelão, lombrigas, filariose, solitária, esquistosomose, etc;
-     por fungos: micoses em geral (pé de atleta, candidíases, algumas dermatoses, etc.)
Bactérias são parasitas unicelulares que constitui a classe dos esquizomicetos, e cujos tipos morfológicos fundamentais são os cocos, os bacilos e os espirilos. As bactérias patógenas encontradas na água e/ou alimentos, constituem uma das principais fontes de morbidade e mortalidade em nosso meio. São os responsáveis pelos numerosos casos de enterites, diarreias infantis e doenças epidêmicas com resultados frequentemente letais. Exemplos de doenças bastante conhecidas em nosso meio, também provocadas por bactérias são: leptospirose, tifo, febre tifoide, brucelose, lepra, cólera, difteria, tétano, meningite, coqueluche e várias doenças venéreas, doenças nos olhos e na boca. OBS: chama-se morbidade a capacidade de produzir doença numa pessoa ou num grupo delas.
Vírus são diminutos agentes infecciosos, invisíveis, com algumas exceções, pela microscopia óptica, e que se caracterizam por não terem metabolismo independente e terem capacidade de reprodução apenas no interior de células hospedeiras vivas. São típicas doenças viróticas e comuns em nossa região, as gripes e resfriados, catapora (varicela), rubéola, sarampo, caxumba, febre amarela, raiva e hepatite e poliomielite viróticas e alguns tipos de doenças venéreas. Os vírus mais comumente encontrados nas águas contaminadas por dejetos humanos são os da hepatite infecciosa e da poliomielite.

Fonte: ABASTECIMENTO DE ÁGUA (Prof. Carlos Fernandes)

A água na natureza

A água é a substância simples mais abundante no planeta Terra e pode ser encontrada tanto no estado líquido, gasoso ou sólido, na atmosfera, sobre ou sob a superfície terrestre, nos oceanos, mares, rios e lagos. Também o constituinte inorgânico mais presente na matéria viva: cerca de 60% do peso do homem é constituído de água e em certos animais aquáticos esta porcentagem alcança 98% (SPERLING, 1996, p. 12).
Cientistas estimam que o nosso planeta tem três quartos de sua massa só de água (1,36 x 1018 m³ segundo SPERLING, 1996, p. 12) com 1,5 x 1012 metros cúbicos em estado livre no planeta (A. NETTO et alli, 1998, p. 536). Os mares e os oceanos contêm cerca de 97,4% de toda essa massa, as geleiras e as capas polares 2%, aquíferos subterrâneos 0,585%, rios e lagos superficiais 0,0140% e na atmosfera 0,001% (A. NETTO et alli, 1998, p. 536). Ou seja, apenas 0,6% de água doce dos quais 97,5% são de águas subterrâneas, 2,4% são de águas superficiais disponíveis em os rios e lagos, e 0,1% na forma de vapor d’água na atmosfera.
A maior parte das águas subterrâneas encontra-se em condições inadequadas ao consumo ou em profundezas que inviabilizam sua exploração. Diante desta situação é de importância fundamental para o futuro da humanidade, e sua própria sobrevivência, que se valorize a preservação dos recursos hídricos do planeta em suas condições naturais.

Fonte: ABASTECIMENTO DE ÁGUA (Prof. Carlos Fernandes - 2010)