sábado, 8 de junho de 2013

Momento lírico 169


Poeminhas complementares publicados no MINHAS RIMAS (I)
(Karl Fern)

A REALIDADE
Ser jovem é querer aprender
Pra depois se tornar professor
Portanto sejas um confessor
Para qualquer jovem criatura
Que na sua busca de aventura
Carece que indique o caminho
Assim não queiras ser o que já foi
Pois verás que a verdade mais dói
Pra quem a realidade esconjura.

***********************
O SONHO
Entre meus sonhos e planos
Há um sonho de fraternidade
Sonho em divisar a igualdade
Entre todos os seres humanos
Sem os propositais enganos.
Que jamais impere a falsidade
E as pessoas digam a verdade
Vivam o mundo sem hipocrisia
Livre de aleives e da paralisia
Da perversão e da canalhice
Com criação sem invencionice
E que tal sonho não seja utopia.

***********************
DONO DO MUNDO
Você que sempre mais quer
Que acha que tudo pode
Vale igual um fio de bigode
Perdido num lugar qualquer
Pois por mais que você tiver
Por mais que se ache forte
Não mudará a própria sorte
E por mais fortuna que fizer
Veja que cada dia que vier
Estará mais perto da morte!

Desperdício de comida

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas) todos os anos, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados. Isto significa que um terço da comida produzida no mundo vai parar nas lixeiras dos consumidores, vendedores, agricultores e transportadores. É um desperdício da ordem de US$ 1 trilhão e seria suficiente para alimentar 870 milhões de pessoas que passam fome e ainda sobraria comida.
Esse desperdício chega a ser uma ofensa para os que têm fome e representa um custo enorme para o meio ambiente, em termos de energia, terra e água, além de desperdiçar o combustível usado para o seu transporte. E além disso, a decomposição de comida elimina uma grande quantidade do gás metano para a atmosfera.
Outras partes desse mesmo problema é o desmatamento para ampliar áreas para a produção de alimentos e consumo, compra e coisas de descarte. Isso significa ser possível erradicar a pobreza e preservar o meio ambiente, desde que haja uma mudança na atitude dos consumidores, especialmente os das camadas mais ricas de todas as sociedades, incluindo as sociedades dos países em desenvolvimento, como o Brasil.
Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE (por e-mail! 08/06/2013)