domingo, 7 de abril de 2013

Momento lírico 159

O ÓDIO
(Karl Fern)

Ódio é um sentimento indefenso
Temerário proceder de antipatia,
Repulsa profana, inversa da alegria
Expressão antagônica ao consenso
Despropósito infernal do bom senso
Caminho contraditório da alforria.

Desejo de arruinar uma harmonia
Teimosia direcionada à inimizade
Alcance do prazer pela iniquidade
Alimento angustiante que asfixia,
Arquitetura da vingança em agonia
Confusa inequação de insanidade.

Delirante presunção de hostilidade
Doentia impetuosidade da frustração
Intempestiva e irracional obstinação
Manto impiedoso da bestialidade
Aberrante descontrole da sobriedade
Leviandade temperada pela emoção.

Na mágoa injustificável da frustração
Civilidade cede espaço ao primitivo
Pensamento inquieto que faz cativo
Inexistência de lucidez e de afeição
O perdão jaz aniquilado no coração.
Âmago puído pelo desejo ofensivo.

Espinho lancinante e possessivo
Anseio maledicente e repugnante
Rancor conselheiro desconfortante
Tormento íntimo de míope objetivo
Desequilíbrio sorumbático punitivo
Ressentimento cruel e dilacerante.

Carecia o homem ser mais tolerante
Assegurar e primar à boa companhia
Essa diabólica sanha não conheceria
O mundo seria abençoado e radiante
O prazer de viver, mais humanizante
Referto de amor, sonhos e calmaria.