sexta-feira, 15 de março de 2013

Sobre a cachaça

A cachaça é conhecida por mais de 2000 nomes, como abençoada, abrideira, água que passarinho não bebe, amnésia, birita, codório, conhaque brasileiro, da boa, delas-frias, danada, divina, espevitada, espírito, fava de cheiro, fia do sinhô de engenho, gasolina de garrafa, geribita, imaculada, januária, lambida, levanta velho, lisa, malta, mandureba, maria branca, mé, néctar dos deuses, paratí, pitú, preciosa, queima goela, refrigério da philosophia, rum brasileiro, salinas, semente de arenga, suor de alambique, terebintina, tinguaça, uca, uma que matou o guarda, vinho de cana, vocação, ypióca, etc. Talvez a palavra com mais sinônimos na língua portuguesa e talvez em qualquer outra língua.
O caldo de cana é composto por água (85 a 95%), álcool etílico (4 a 12%), ácido lático, ácido acético, ácido butírico, os ésteres desses ácidos, glicerina, os álcoois superiores (o propílico, iso-propílico, butílico, isobutílico, amílico, iso-amílico), furfural (aldeído piromúcico), acúcares, materiais nitrogenados, bagacilhos, células de levedura, bactérias, etc.
O processo de fermentação é sem dúvida o mais importante para a qualidade do produto final. A fermentação ocorre por ação de leveduras, principalmente a Saccharomyces cerevisae, levedura que apresenta a melhor resistência a altos teores alcoólicos. Ao caldo de cana destinado à fermentação dá-se o nome de mosto.
Fonte principal: REVISTA SAÚDE (ano 04,  n° 06, nov 2012)

Receitas de Aparecida - 21


CUSCUZ COM CARNE SECA
Ingredientes:
· 500g de Carne Seca (cortada em cubos)
· 01 Vidro de Palmito
· 01 Lata de Ervilha com Milho
· 01 Lata de Azeitonas Verdes
· 03 Ovos (cozidos e cortados em cubos)
· 01 Pacote de Farinha de Milho
· 01 Cebola
· 01 Tomate
· Cheiro verde (a gosto).
Modo de preparar:
Retire o sal da carne e frite. Refogue a cebola com todos os outros ingredientes e junte à carne. Faça o cuscuz e misture tudo. Arrume em uma forma de buraco. Depois desenforme e decore a seu gosto.
Fonte: ARAÚJO, M. A. – “Um prato diferente em seu final de semana”, Gráfica Villar, Parelhas, RN, 2011.

Momento lírico 149

INSTANTE FINAL
(Karl Fern)

A dor me consumia
Revolver-me até tentava
Vontade não me faltava
O corpo não respondia
Muitas vozes eu ouvia
Mas eu nem balbuciava.

O mal me dilacerava
As pessoas se condoíam
Comigo também sofriam
Não a dor que me matava
Ouvi alguém que chorava
Pela tristeza que sentiam.

Ajudar-me não podiam
Nada poderiam mudar
Restava pra Deus rezar
Milagre divinal pediam
Pois só os céus deviam
Meu destino remontar.

Sentia o tempo andar
Dolorido e devagarinho
Parecia mais sozinho
Deles todos me afastar
Por algo invisível no ar
Ia-me pra outro caminho.

Num instante mesquinho
Foi que tudo escureceu
Não vi o que aconteceu
Definitivamente quietinho
Alguém disse baixinho:
Deus o tenha, ele morreu!