segunda-feira, 11 de março de 2013

Briografias de brasileiras



Maria Lacerda de Moura (1887 - 1945) 
Escritora feminista brasileira nascida em Manhuaçu, Estado de Minas Gerais, historicamente envolvida intensamente com o movimento operário anarquista e considerada uma das pioneiras do feminismo no Brasil e uma das poucas ativistas que se envolveu diretamente com o movimento operário e sindical. 
Desde jovem se interessou pelo pensamento social e pelas ideias anticlericais e formou-se na Escola Normal de Barbacena (1904), onde continuou a lecionar. Como líder comunitária, iniciou um trabalho junto às mulheres da região, incentivando um mutirão de construção de casas populares para a população carente da cidade e fundou a Liga Contra o Analfabetismo. Como educadora, mudou-se para São Paulo e começou a dar aulas particulares e a colaborar na imprensa operária e anarquista brasileira e internacional.
Publicou (1918-1919) dois livros sobre a instrução das mulheres como instrumento trans-formador de suas vidas e assumiu a presidência da Federação Internacional Feminina, entida-de criada por mulheres das cidades de Santos e São Paulo. Inseriu em seus estatutos (1921) a proposta de modificação do currículo de todas as escolas femininas, incluindo uma disciplina sobre a História da Mulher. Lançou a revista Renascença (1923), publicação cultural divulgada no movimento anarquista e entre setores progressistas e livres pensadores.
Deixou o magistério público, mas continuou atuando como educadora através da imprensa operária. Adepta do amor livre, a favor da educação sexual e contra a moral vigente, reconhecia que as relações com o corpo, os homens, a família e o trabalho eram temas mal discutidos no movimento feminista convencional no período. Antifascista e antimilitarismo, tornou-se conhecida não só no Brasil, mas também no Uruguai e Argentina, onde esteve convidada por grupos anarquistas e sindicatos locais.
Depois do episódio em que jovens estudantes e trabalhadores paulistas invadiram o jornal pró-fascista italiano Il Piccolo (1928), como resposta a um artigo que caluniava violentamente a pensadora libertária, ela passou a viver numa comunidade em Guararema, São Paulo, no período mais intenso da sua atividade intelectual (1928-1937). Afastou-se do movimento feminista quando passou a acreditar que a luta pelo direito ao voto significava apenas um avanço pontual e que beneficiaria principalmente as mulheres da elite, sem abalar as estruturas patriarcais.
Morreu no Rio de Janeiro e entre os seus numerosos livros destacaram-se Em torno da educação (1918), A mulher moderna e o seu papel na sociedade atual (1923), Amai e não vos multipliqueis (1932); Han Ryner e o amor plural (1928) e Fascismo: filho dileto da Igreja e do Capital (1928). 
Fonte: MINHA VIDA (por e-mail!


Problemas de ereção

Saiba diferenciar episódios esporádicos da disfunção erétil. A disfunção erétil por causas orgânicas costuma aparecer a partir dos 50 anos por conta do envelhecimento natural, ainda que o indivíduo seja saudável. Um homem que começa a ter problemas de ereção por causas orgânicas pode desenvolver problemas emocionais que levem à disfunção erétil psicológica. Sofrer episódios esporádicos de perda de ereção antes dos 50 anos é completamente normal. O casal deve começar a se preocupar apenas quando o problema se torna frequente, prejudicando a vida a dois. Neste caso, procure um urologista para descobrir a causa e começar um tratamento.
Ao perder a ereção pela primeira vez, o homem deve tentar manter a interação entre o casal. Lembrar que o intervalo entre final de uma relação e uma nova ereção é de cerca de 20 minutos. Para isso, é fundamental a compreensão entre os dois.
A disfunção erétil também pode ser sintoma de diabetes, pois essa doença leva a uma lesão neurológica progressiva dos nervos periféricos (neuropatia diabética), impedindo uma sequência de fatores que levariam à ereção. Assim o controle rígido sobre as taxas de açúcar no sangue é fundamental para se reduzir e muito o risco de ter disfunção erétil",
Problemas de ereção põem ser decorrentes do tabagismo. O pior é que o quadro pode não ser revertido depois que o homem abandonar o cigarro. Continuar fumando, por outro lado, faz com que o problema piore ainda mais.  A obesidade, também, pode prejudicar a ereção, tanto por gerar acúmulo de gordura nas artérias como por questões psicológicas.
É importante saber que a disfunção erétil apresenta quatro níveis, sendo o mais grave a de perda total da capacidade de ereção. Ter uma ereção parcial em todas as relações, entretanto, já caracteriza um quadro de disfunção e, nesse caso, o homem deve buscar ajuda. Um médico deve ser procurado ainda quando, após um episódio de perda de ereção, o homem perceber redução da libido. Neste caso, é possível que ele seja vítima de problemas hormonais.
 Fonte: MINHA VIDA (por e-mail!


Mais fotos do encontro!



Fotos BIRA VIEGAS

Relatório do Domingão (Bira Viegas)

Atendendo um pedido particular, eis aqui o relatório de atividades e registros deste domingo (10/03) nas terras Jardinenses, dividindo alegrias e a satisfação de me encontrar em meio a tantos amigos!

 


"Blog Bira Viegas, segunda-feira, 11 de março de 2013
UMA DAS MELHORES FARRAS DA MINHA VIDA
Ontem (10), não marquei presença nem no Principado dos Viegas, muito menos, no Quiosque do Deda e na Churrascaria do "Gauchinho do Sertão", em Carnaúba dos Dantas.
Fiquei em Jardim do Seridó, mas precisamente no bar de João Roque e de lá fiz "fincapé", pro bar de Antonio Imaculada. Lugares simples nos quais me sinto em casa.
Companhia do fraterno amigo professor Carlão de Mozinha e dos jardinenses mestres na sanfona, "Chico de Manoel de Rita" e "Zé de Olina", acompanhados dos músicos: Geraldo de Caraolho, Irailson de Salete, Dedé do Pandeiro, Augusto do Pandeiro e Ramos. Só pessoas do bem.
Farra das melhores que já encarei. Só na base do forró pé-de-serra curtindo as músicas de Luiz Gonzaga, Elino Julião, Dominguinhos, Janduí Finizola e claro... Amazan.
Cerveja bem geladinha. Pinga de primeira e tira-gostos regionais. Não teve nenhum tira-gosto 'peba'. Segurei a onda até o início da noite. E de tanque cheio dei "ares de Vila Diogo" em busca de casa.
Cheguei, espichei a velha rede e tome ronco. Acordei minutos atrás com dona Iris ao meu ouvido, determinando: - Vai trabalhar!!! (Vou pensar no assunto).
NOTA DO BLOG:
Que bom seria se as nossas autoridades culturais criassem um programa de incentivo aos nossos músicos 'populares'."

BLOG BIRA VIEGAS (08:33:00 http://www.bira-viegas.blogspot.com.br/)

BIRA VIEGAS (via e-meail)