segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Fuja das frituras

Os ditos salgados são uma excelente opção para quem quer comer um prato gostoso sem perder muito tempo com as panelas, mas consumidos na versão frita, acrescenta muitas calorias e gorduras ao prato, causando problemas como colesterol alto, obesidade e alterações hormonais.
Ao serem mergulhados numa panela de óleo ou azeite para ganharem o aspecto crocante carregam gordura do tipo saturada que pode fazer mal ao organismo e comprometer, principalmente a saúde do coração. Todos os alimentos de origem vegetal são pobres em gordura saturada, já os alimentos de origem animal possuem bastante gordura saturada, especialmente os queijos curados, o bacon e o toucinho.
Danosa quando consumida em excesso, a gordura sozinha não é a única culpada pela fama que a fritura leva de alimento pouco saudável. Quando um alimento é colocado para fritura em óleo vegetal a uma alta temperatura, ele se desidrata e perde nutrientes, principalmente substâncias antioxidantes como a vitaminas E, tornam-se mais calóricos, menos nutritivos e péssimos para a saúde.
Por apresentar uma composição parecida com a do estrogênio, a gordura saturada, quando em excesso, assume a função deste hormônio no organismo e causa alterações importantes em sua produção podendo provocar alterações de humor e na pele. Ela altera as funções hormonais de forma bastante intensa, provocando problemas de raciocínio, de humor e até acne, alergias e urticárias.
Portanto, você que adora salgadinhos (eu também!) dê adeus às frituras e invista em assados! Veja alguns exemplos sobre o quantitativo de calorias:

Salgado
Assado
Frito
Um pastel de queijo           
 80 cal
110 cal
Um croquete de carne
 187 cal  
273 cal
Uma coxinha
210 cal  
250 cal
Batata (100 gramas)
95 cal
220 cal (Vixe!)

Fonte: MINHA VIDA (por e-mail!

Momento lírico 141

MINHA RAINHA
(Karl Fern)

Suas vestes esvoaçantes
Um airoso perfil delineia
Em seu contorno permeia
Magia e cores exuberantes
Refletem-se mais brilhantes
Nos vastos bancos de areia.

Espreita invejosa a sereia
Reabre a flor da açucena
Perante refulgente cena
Vem aos pés a maré cheia
A luz matutina encandeia
Sua delicadeza serena.

Sobre sua pele morena
Açoita a brisa marinha
Acariciando essa rainha
De forma suave e amena
Flutuando como um poema
No bailado da veste fininha.

E enquanto ela caminha
Meus olhos se deliciam
Vivos sonhos a acariciam
Certo de que ela é minha
Como uma fada madrinha
Deusa mimosa e querida.

Por ela daria minha vida
Nela guardo toda devoção
Tenho incansável afeição
Seu amor é minha guarida
Sem ela seria alma perdida
Musa da mais doce canção!

No fausto mar da sedução
Pulso de alegria e vaidade
O divino com sua deidade
Deu-me singular atenção
E plantou em meu coração
Uma muda de felicidade.

Momento lírico 140

UM SÍMBOLO
(Karl Fern)

Descendo do sol nascente
Em seu trajeto sinuoso
Prossegue altivo e garboso
Seja seco ou na enchente
Sóbrio em direção poente
Romântico, belo e copioso.

Redentor, rico e vigoroso
Admirável em seu caminho
Apressado ou devagarinho
No tempo mais chuvoso
Escoa num leito arenoso
No seu espaço ribeirinho.

Mesmo olhando-o sozinho
Não se foge das emoções
Vendo aqueles camaleões
Pontos de algum redemoinho
Donde se ouve o burburinho
Dos cardumes em profusões.

Enchendo desde os porões
Suas barragens grandiosas
Nas suas cheias caudalosas
Seu nome já deu canções
Muitas lendas e tradições
Em versos, rimas e prosas.

Símbolo das eras invernosas
No berço do algodão mocó
Na região é como um faraó
Reina em tradições gloriosas
Histórias mágicas e famosas
É o nosso Rio do Seridó!