sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Momento lírico 137

ANGÚSTIA
(Karl Fern)

Que fosse um fio do teu cabelo
Ou o longínquo som de teu falar
Mesmo um desenho desse olhar
Sendo só teu, por mais singelo
Um parco sinal pra mim é belo
Tudo que é teu me faz sonhar!

Quisera está sempre por perto
Mirar teu rosto a todo instante
Comtemplar tão doce semblante
Absorver aquele sorriso aberto
A meiguice ciosa, o olhar experto
Curtir teu perfume contagiante.

Os cachos de cabelos ondulados
Oscilando pelo balanço do andar
Emoldurando casto rosto angular
Presos por diademas prateados
Enobrecido por fios entrelaçados
Embevecido, adoraria mimosear.

Tecidos da leve blusa tremulantes
Encobrindo seios bem delineados
Suspensos e pelo luar iluminados
Perfeitos e levemente oscilantes
Firmes, impulsivos, exuberantes,
Elegantes, atrevidos, encantados.

O perfil desse corpo emoldurado
Pela réstia de filetes de claridade
Entrevejo imagens da felicidade
O coração agita-se descompassado
Carente de ternura, quase imolado
Atormentado pela brisa da saudade.

Lembranças abraçam-me soluçantes
Saudade, sentimento mui ingrato
Tua ausência torna tudo abstrato
Escapam-me suspiros angustiantes
Entre desejos e sonhos incessantes
Solitário apego-me ao teu retrato!