terça-feira, 15 de janeiro de 2013

50% da comida produzida vira lixo


Calcula-se que quatro bilhões de toneladas de alimentos são produzidas anualmente no planeta e que quase metade dos alimentos produzidos no mundo, ou seja, 2 bilhões de toneladas anuais, nunca chegam a ser consumidos e têm como destino o lixo.
O desperdício se deve a múltiplos fatores, incluindo a falta de estruturas adequadas, as ofertas comerciais que animam o consumidor a comprar mais que o necessário ou as suas manias que os obrigam comprar quantidades excessivas. A demanda dos supermercados por produtos cosmeticamente perfeitos também ajudam esse desperdício. Só no Reino Unido, até 30% dos cultivos de hortaliças não são colhidos porque sua aparência não cumpre com os critérios exigidos pelos consumidores.
São alimentos que poderiam alimentar suficientemente a crescente população mundial, bem como os que hoje sofrem com a fome. A população mundial superou os sete bilhões de pessoas no final de 2011, e calcula a FAO que um bilhão de pessoas passam fome. Portanto existe uma produção de alimentos mais que suficiente para alimentação de toda essa população.
Técnicas agrícolas e de engenharia e infraestruturas de transporte e de armazenamento inadequadas provocam este grande impacto a quantidade de alimentos desperdiçados. Também é um desperdício desnecessário de terra, água, adubagem e recursos energéticos que se utilizam para a produção, o processamento e a distribuição desses alimentos. Por exemplo, estima-se que cerca de 550 bilhões de metros cúbicos de água - outro bem escasso em muitos países - são usados anualmente para cultivar produtos que nunca chegam ao consumidor.
Portanto, urge a luta contra este tipo de desperdício. Por exemplo, a ONU deve trabalhar em conjunto para ajudar a mudar a mentalidade das pessoas sobre o desperdício e reduzir práticas que conduzem ao desperdício por parte de fazendeiros, produtores de alimentos, supermercados e consumidores. Caso contrário pode-se progressivamente aumentar o risco de uma crise alimentar a partir de meados do século em curso.
Fonte: YAHOO

Humor: O "causo" do abismo!


Hoje de saudosa memória, era conhecido pelos amigos da instituição e colegas de trabalho, como “Santa Luzia”, por ser paraibano dessa cidade. Era assalariado como ex-combatente e vigilante da UFPB. Na juventude foi sapateiro em Jardim do Seridó e, dizem, um excelente jogador de futebol, um elegante “center-for” de 1,80 de altura! Sempre alegre e conversador, onde estivesse sempre estava proseando para pessoas em sua volta e contando aventuras, frequentemente sobre seu passado. Suas curiosas histórias sempre chamavam a atenção e bota “curiosa” nisso! E uma ocasião ele me contou esta!
Santa Luzia: - Certa vez eu ia com mais dois primos meus, caçando na serra de Santa Luzia quando, de repente, paramos na beira de uma garganta de serra, estreita, mas tão profunda que a gente num via nem o fundo! Aí, a gente querendo atravessar, achamos um pau de carnaúba e estendemos ele,  atravessado sobre o abismo, criando uma espécie de ponte e, então, dava pra passar. Só que demos uma burrada grande! Em vez de ir um de cada vez, enquanto os outros segurassem o pau, fizemos a besteira de ir os três de uma só vez!... O pau "revelou" e nós caímos de buraco a baixo...
E parou como se desse por encerrada a narrativa. Só que Inácio, outro funcionário que tudo ouvia, perguntou: - E aí, Santa Luzia?!
E ele prontamente respondeu: - Aí o que?  Oxente! Uma queda daquela fundura... morremos todos três!...           


Depilação pubiana

A depilação pubiana é um procedimento estético cada vez mais comum e não oferece riscos, desde que seja aplicado de forma correta e higiênica. Não impacta o sistema reprodutivo da mulher e é considerada uma das razões do desaparecimento, por exemplo, do Phthirus púbis, o popular chato. Na antiguidade os pelos pubianos protegiam a mulher da entrada de bichos na vagina. Hoje esse problema praticamente está descartado, pois as condições de higiene são muito melhores.
Apesar de não haver risco para a pele sensível da região genital feminina, as clientes devem procurar profissionais com experiência e locais higiênicos para realizar o procedimento. No caso de depilação a laser – mais caro –, o procedimento precisa ser feito por pessoal bem treinada. Por ser uma região do corpo mais delicada, ao usar a lâmina é preciso escolher produtos mais sensíveis, especialmente voltados para o público feminino. No caso do método com cera, o produto não pode estar em uma temperatura muito alta, pois pode provocar queimaduras na pele. Se a pessoa tiver alguma reação alérgica ao método, deve trocar o tipo de cera ou interromper o uso dela por algum tempo, substituindo-a pela lâmina.
Importante: O material utilizado uma vez deve ser descartado, pois a reutilização da cera de depilação pode oferecer riscos de contaminação de doenças sexualmente transmissíveis, as DSTs. Entre as DSTs que podem ser transmitidas ao reutilizar uma cera de depilação, estão o vírus da hepatite, do papiloma vírus humano (HPV) – que causa verrugas nos genitais –, micoses e infecções bacterianas como impetigo, que dá uma ferida, dói, coça e pode virar uma úlcera.