sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Momento lírico 121



QUERÊNCIA INFINDA
(Karl Fern)

Entre loas de melódica saudade
Imagino tua deleitável imagem
Como a esperançosa miragem
Envolvendo-me com suavidade
Paradigma da sã sensualidade
Tentadora e mais mimosa ainda
Uma visão estonteante e linda
Deslumbrante fada mensageira
Amante impetuosa e feiticeira
Protótipo da querência infinda.

Como uma seiva aromatizante
Emanada de uma rosa solitária
Mesmo sendo ação imaginária
Galopa num sonho triunfante
Brilhante, cristalina e fulgurante
Cascata de suasória intimidade
Movida pela revolta ansiedade
Nessa cruciante ausência aflitiva
Uma permanência compassiva
Fonte alcoviteira de misticidade.

Mergulhado nessa obscuridade
Falta-me a desejada companhia
Alegra-me saber que algum dia
Encontrei-me amado de verdade
Alcancei essa intensa felicidade
Eu sei quanto foi venusto sentir
Se amanhã não puder me seguir
Não vou lamentar por completo
Pois quem já conheceu teu afeto
Jamais se vituperará por existir!

Vitamina A

Conhecido também como retinol, o nutriente é uma vitamina lipossolúvel e pode ser facilmente obtido através da alimentação diversificada e saudável. Consumir vitamina A é um dos hábitos mais importantes para o corpo.
Encontrado na alimentação colorida, esse nutriente é fundamental para o fortalecimento do esmalte dos dentes dando um sorriso bonito, essencial para a manutenção de uma boa qualidade da visão, fortalece o desenvolvimento dos ossos, deixa os cabelos mais bonitos, reforça o sistema imunológico e protege a pele dos radicais livres e as mucosas.
Os alimentos ricos em vitamina A são laticínios, gema de ovos, peixe, azeite de dendê, frutas e legumes laranjas e amarelos como batata doce, abóbora, cenoura, manga, folhas verde escuras como alfafa, folhas de mostarda, couve, brócolis, escarola, espinafre e fígado. A de origem animal é denominada vitamina A pré-formada. Já a vegetal é designada carotenóide de provitamina A.
É importante saber que a vitamina A é sensível à oxidação pelo ar. A perda de atividade é acelerada pelo calor e pela exposição à luz. A oxidação das gorduras e dos oleosos, tais como manteiga, margarina e óleos de cozinha, pode destruir as vitaminas lipossolúveis, incluindo a vitamina A. Cozimentos por longos períodos podem provocar perda de 25% do nutriente.
A carência dessa vitamina pode ser notada por sintomas como cegueira noturna, fotofobia, redução do olfato e do paladar, ressecamento da parte branca e da córnea dos olhos, dermatite, estresse e endurecimento das membranas mucosas dos tratos respiratório, gastrointestinal e urinário. Se você está notando alguns desses sintomas estará mais sujeito ao risco de infecções. É recomendável que antes de qualquer mudança na sua alimentação, consultar um nutricionista.
Os vegetarianos que não consomem ovos e laticínios necessitam de carotenóides de provitamina A de forma a prover as suas necessidades da vitamina, e devem ingerir no mínimo cinco doses de frutas ou vegetais diariamente, dando preferência aos de cor verde escura, laranja e amarela.
A ingestão diária recomendada é de 900 microgramas (3.000 UI) para homens e 700 mcg (2.300 UI) para mulheres. O limite máximo é de 3.000 mcg (10.000 UI). No Brasil, a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS), em 2006, revelou que a deficiência da vitamina A afeta 17,4% dos menores de cinco anos e 12,4% das mulheres em idade reprodutiva. Em crianças, os maiores graus dessa inadequação foram encontrados nas regiões Nordeste (19,0%) e Sudeste (21,6%).
Mas cuidado, o excesso de ingestão de vitamina A pode provocar dor de cabeça, ressecamento da pele com fissuras, náuseas, dores nos ossos e articulações, perda de cabelos, aumento do baço e fígado, irritabilidade, cansaço, falta de apetite e alterações nas enzimas hepáticas. Essa hipervitaminose pode ocorrer através de suplementação alimentar, portanto, cuidado com a ingestão de suplementos.