quarta-feira, 31 de julho de 2013

Sobre o IDHM de Jardim do Seridó

   O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de Jardim do Seridó foi de 0,663, em 2010. O município ficou situado na faixa de Desenvolvimento Humano Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) ocupando a 2828ª posição em relação aos 5.565 municípios do Brasil, sendo que 2827 (50,80%) municípios ficaram em situação melhor e 2.738 (49,20%) municípios em situação igual ou pior. Em relação aos 167 outros municípios de Rio Grande do Norte, ficou na 15ª posição, abaixo de 8,38% dos municípios em situação melhor enquanto que 153 (91,62%) ficaram em situação pior ou igual. No Seridó ficou atrás somente de Caicó, Currais Novos e Parelhas.
Entre 2000 e 2010, a dimensão que mais cresceu em termos absolutos foi Educação (com crescimento de 0,160), seguida por Renda e por Longevidade. O município teve um incremento no seu IDHM de 59,38% nas últimas duas décadas, acima da média de crescimento nacional (47,46%) e abaixo da média de crescimento estadual (59,81%).
Entre 2000 e 2010, a população de Jardim do Seridó teve uma taxa média de crescimento anual de 0,06%. Na década anterior, de 1991 a 2000, a taxa média de crescimento anual foi de 0,12%. No Estado, estas taxas foram de 1,01% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e 2000. No país, foram de 1,01% entre 2000 e 2010 e 1,02% entre 1991 e 2000. Nas últimas duas décadas, a taxa de urbanização cresceu 13,10%. No último censo (2010) a população do município foi de 12.113 habitantes, sendo 9.835 na área urbana.
A mortalidade infantil (mortalidade de crianças com menos de um ano) em Jardim do Seridó vem sendo reduzida, mas ainda é alta: 22,9 por mil nascidos vivos em 2010 (acima da média nacional!). Segundo os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas, a mortalidade infantil para o Brasil deve estar abaixo de 17,9 óbitos por mil em 2015. Em 2010, as taxas de mortalidade infantil do estado e do país eram 19,7 e 16,7 por mil nascidos vivos, respectivamente.
Opinião particular: Não estamos tão ruins assim, mas poderíamos estar muito melhor se fôssemos mais unidos em prol do nosso desenvolvimento! A prova disso é que o crescimento populacional praticamente estagnou o que mostra as poucas oportunidades de trabalho para os jovens que se veem obrigados a saírem de sua cidade em busca de melhores dias!


terça-feira, 30 de julho de 2013

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Momento lírico 178

LEMBRANÇAS DE JS!
(versão ampliada)
(Karl Fern)

Dias e noites eu a ouvia
Lembro dela hoje ainda
Reminiscência bem-vinda
Da minha inocência sadia
Aquele som me marcaria
Como recordação infinda.

Escutava suas gravações
Variados chamamentos
Fugiam-me entendimentos
Mas intuíam-me emoções
Infantis inocentes ilusões
Trilhando contentamentos.

De mensagens a recados
Voz empostada e comedida
Da abertura à despedida
Assuntos eram decantados
Nos ditos dos namorados
Bilhetes pra uma querida.

“De alguém para alguém”!
Quem poderia descobrir?
Só um alguém iria sentir
Porque já sabia também
E que conhecia tão bem
A “página” que iria ouvir.

Uma missiva misteriosa
Da paquera desconhecida
Uma modinha oferecida
Pra alguém de blusa rosa
Deixava ancha e vaidosa
A donzela assim vestida.

Se houvesse mais de uma
Com aquela cor na veste
Era uma dúvida da peste
Sem conclusão nenhuma
Talvez sacanagem alguma
De um gozador inconteste.

Poderia ser ela ou aquela
Ia perturbada a mocinha
A dúvida atroz ia e vinha
Assim, para sair daquela
Vestiria blusa amarela
Em outra vez na pracinha.

Amores também findavam
E haja música de roedeira
Tocando a noite inteira
Repetidas que enjoavam
Os trabalhos encerravam
Com mais uma saideira.

Do romantismo à boemia
Na lembrança é um saldo
Da infância um rescaldo
Que comento com alegria
Recordando com nostalgia
A difusora de Seu Arnaldo!



sábado, 27 de julho de 2013

Humor: É mesmo assim...



Quem avisa...

Se você está pensando em sair com uma garota (tipo essa da foto!) para jantar e depois jantar, tenha cuidado com o que vai comer, pois perder uma noite promissora de sexo porque se encheu demais ou errado é o fim da picada. Isso acontece porque seu corpo vai precisar de mais energia para metabolizar os alimentos de difícil digestão.
Portanto não perca uma oportunidade de se divertir com a pessoa escolhida, por causa da gula ou da escolha de alimentos de lenta digestão! Por exemplo, consumo de álcool, por muitos associado como afrodisíaco, na verdade pode dar é muita sonolência. Cuidado com os excessos de champanhe ou de vinhos. Queijos também demoram para ser processados pelo corpo e gastam muita da sua energia para isso. Assim como batata frita e frituras em geral não são amigas do sexo também.
Ajude seu organismo nessa tarefa tão prazerosa. Os nutricionistas recomendam como alternativas para um jantar a dois antes de uma romântica noite de sexo, pratos a base de peixes, castanhas, frutas e saladas. Deixe aqueles alimentos para outros dias da semana!
Fonte básica: DIETA E SAÚDE  (via newaletter)


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Biografias de brasileiras - 23

Zaíra de Oliveira (1891 - 1952)
Soprano brasileira com formação clássica no Instituto Nacional de Música, atual Escola Nacional de Música e que também cantou música popular. Em concurso (1921) na escola de música, venceu o primeiro prêmio, porém a despeito de sua grande versatilidade, não recebeu o prêmio de viagem por ser negra, fato ocorrido 30 anos antes da promulgação da Lei nº 1.390, de 3/7/951, também conhecida como Lei Afonso Arinos, proposta pelo jornalista, escritor e jurista brasileiro de Paracatu, Minas Gerais, Afonso Arinos de Melo Franco (1905-1990), proibindo a discriminação racial no Brasil..
Conta-se que isso não a entristeceu, pois naquelas circunstâncias, a alta distinção conquistada no mais importante órgão oficial de ensino artístico da capital do Brasil lhe daria motivo justo de orgulho. Acompanhada pelo regional de Canhoto (Waldiro Frederico Tramontano 1908-1987), a cantora apresentava-se na Rádio Sociedade do Rio de Janeiro.
Gravou seu primeiro disco (1924), e no ano seguinte participou de festivais artísticos, dos quais o do Teatro Municipal de Niterói, onde cantou Tosca, de Puccini (Giacomo Antonio Domenico Michele Secondo Maria Puccini ou apenas Giacomo Puccini 1858-1924), Berceuse, de Nepomuceno (Alberto Nepomuceno 1864-1920) e Schiavo, de Carlos Gomes (Antônio Carlos Gomes 1836-1896), além de A despedida e Cantiga praiana de Eduardo Souto (1882-1942), com letras de Manuel Bastos Tigre (1882-1957) e Vicente Carvalho (1866-1924), respectivamente. Apresentou-se também no Casino Copacabana Palace ladeada de Catulo da Paixão Cearense (1863-1946) e Gastão Formenti Gastão Formenti (1894-1974). Casou-se (1932) com o violonista e compositor Ernesto Joaquim Maria dos Santos, o Donga (1890-1974), e tiveram uma filha, Lígia.
Cantou ainda em vários coros de igrejas. Em seu livro Não acuso nem me perdôo, o embaixador Paschoal Carlos Magno (1906-1980) considerava-a uma das maiores cantores negras do mundo. Morreu no Rio de Janeiro e entre seus sucessos mais populares citam-se Cabeleira à la garçonne (1925), Dondoca (1927), Canção dos infelizes (1931), Pode bater (1931), Solange (1931) e Já mandei (1932)
Fonte: SÓ BIOGRAFIAS (http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/)


terça-feira, 23 de julho de 2013

Momento lírico 177


POEMINHAS DE RODAPÉS
(Karl Fern)

A SILHUETA
Num encantamento solitário
Dá saudade do teu sorriso
Tal como a chave do Paraíso
Expressa um divino cenário
De um dourado santuário
Bordado com rosas celestes
Brisa que sopra tuas vestes
Com tua suavidade feminina
Silhueta de doce menina
Esbelta como altos ciprestes.

***

MELHOR ASSIM
Um amor quando termina
Nem sempre finda por igual
Alguém fica passando mal
Tristeza um espaço domina
Mas o próprio tempo ensina
Entender a velada verdade
O que pra um é a liberdade
No segundo será também
Impossível fazer feliz alguém
Com a própria infelicidade!

***

CONTRASTE
E tu que estás distante
Não esqueça que eu existo
Pois de ti eu não desisto
Saudade pode ser frustrante
Mas também contrastante,
Um sentimento benquisto!


Bebida contra o frio

    Pra quem não gosta de vinho quente, chá de gengibre vai esquentar os seus dias frios! Além de ser uma bebida quentinha, o gengibre é um alimento termogênico - seu consumo eleva a temperatura corporal, aumentando o gasto calórico em até 10%
     Ingredientes:
          1 litro de água
          2 colheres (sopa) de gengibre picado
          1 rodela de limão sem casca
          Adoçante a gosto

    Modo de Preparo:
Ferva a água por aproximadamente 10 minutos. Junte o gengibre e o limão e abafe. Coar e servir bem quente..
Fontes: MINHA VIDA

Vinho Quente

A melhor opção de bebida para as estações frias do ano!
Ingredientes:
5 litros de vinho tinto
Suco de 3 laranjas
1/2 pacote de noz moscada
1/2 pacote de canela em pau amassado
1/2 pacote de cravos inteiros
2 maçãs doces picadas
1 1/2 kg de açúcar
1 litro de água
Modo de Preparo:
Despeje tudo, menos as maçãs, em uma panela grande e esquente, sem deixar ferver. Quando estiver bem quente, junte as maçãs picadas e teste o tempero e sabor, sempre em fogo baixo.
Calorias por porção: 40 kcal
Fonte: MINHA VIDA

Piadinha...



segunda-feira, 22 de julho de 2013

Português!

   Discordo de toda essa tentativa de ridicularizar o termo “presidenta” e por tabela querer atingir a presidenta DILMA (que eu também não acho lá essas coisas toda!). A bíblia dos dicionários, o AURÉLIO, registra o termo como feminino de "presidente". Exemplificam até com o termo estudante pela não existência de “estudanta”. Para estes um exemplo: o feminino de "elefante" é "elefanta"! O português nunca foi permanentemente sistemático na variação ou derivação das palavras!
Há uma Lei Federal 2.749, de 1956, do senador Mozart Lago (1889-1974), meio ridícula até, que determina o uso oficial da forma feminina para designar cargos públicos ocupados por mulheres. Esta Lei Federal 2749/56, não foi revogada, ou seja, ainda é válida! Além do mais nossa Presidenta sancionou a Lei 12.605 de 03 de abril de 2012, a qual em sua ementa: Determina o emprego obrigatório da flexão de gênero para nomear profissão ou grau em diplomas.
Lei 12.605/12: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12605.htm
Lei 2749/56: http://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:lei:1956-04-02;2749
L12605 (www.planalto.gov.br): Art. 1o As instituições de ensino públicas e privadas expedirão diplomas e certificados com a flexão de gênero correspondente ao sexo da pessoa diplomada, ao designar a profissão e o grau obtido.


Crômio como nutriente

Biologicamente considera-se o cromo (ou crômio) em seu estado de oxidação Cr+3 um elemento químico essencial, por participar do metabolismo dos lipídios e dos hidratos de carbono, assim como em outras funções biológicas.
Tem-se observado que alguns dos complexos do crômio participam da potencialização da ação da insulina, sendo, por isso, denominado de "fator de tolerância à glicose", devido à relação com a atuação desse hormônio. A ausência de crômio provoca intolerância à glicose e, como consequência, o aparecimento de diversos distúrbios como o aumento da fome e a vontade de comer doce!
Sua carência nos seres humanos também pode causar ansiedade, fadiga e problemas de crescimento. Também funciona como um ótimo antioxidante e é benéfico para quem tem colesterol alto porque melhora a função do endotélio - um tipo de membrana epitelial que reveste, internamente, as câmaras do coração (aurículas e ventrículos), os vasos sanguíneos (artérias, veias e capilares) e os vasos linfáticos. É nessa estrutura que se depositam as placas de gordura.
Por outro lado o seu excesso pode causar dermatites, úlcera, problemas renais e hepáticos. A quantidade recomendada de cromo pode chegar a 200mcg por dia. Segundo o livro Modern Nutrition in health and disease, as melhores fontes desse mineral nos alimentos são:
- Levedura de cerveja: 112mcg cromo (1 colher de chá);
- Carne vermelha: 57mcg cromo (1 bife médio);
- Pão de trigo integral: 42mcg cromo (1 fatia);
- Trigo integral: 38mcg cromo (2 colheres de sopa);
- Pimenta malagueta: 30mcg (1 colher de sopa);
- Pão de centeio: 30mcg de cromo (1 fatia);
- Ostra: 26mcg de cromo (1 porção);
- Batata: 24mcg de cromo (1 unidade);
- Gérmen de trigo: 23mcg de cromo (3 colheres de sopa);
- Pimenta verde: 19mcg de cromo (1 unidade);
- Maçã: 14mcg de cromo (1 unidade);
- Banana: 10mcg de cromo (1 unidade);
- Cenoura: 9mcg de cromo (1 unidade).
Lembrar que os compostos de crômio no estado de oxidação Cr+6 são muito oxidantes e cancerígenos, com altos riscos de câncer de pulmão e nasossinusal, principalmente em profissionais frequentemente expostos em processos produtivos (Ver matéria anterior). Entretanto, não há casos comprovados de câncer para a exposição ao cromo metálico sozinho.
Fontes: MINHA VIDA / WIKIPEDIA


domingo, 21 de julho de 2013

Cubas

Sempre que possível, é aconselhável fazer com que a bancada seja o elemento que se vê ao abrir a porta de um sanitário, ao contrário do vaso, por exemplo, e as cubas podem ser o elemento de destaque destes ambientes. Se antes eram meras coadjuvantes, a grande variedade em design, formato, cores e matérias no mercado atualmente, têm feito com que elas assumam o papel de protagonistas e passem a ser determinantes na definição dos demais móveis e acessórios do compartimento. Os tamanhos e formas das cubas são muito variados, podendo ser arredondadas ou retas, altas ou baixas, estreitas ou largas.
Alguns modelos podem vir com furos para torneira e suporte para toalhas na própria peça. Os materiais podem ser cerâmicos, vidro ou até no mesmo material da bancada. As diferentes nomenclaturas vêm do tipo de instalação das cubas. Podem ser de embutir, coladas por baixo das bancadas, de semi-encaixe (parte por fora e parte por dentro da bancadas) e de apoio (colocada inteiramente sobre a bancada). Existe ainda cubas de sobrepor (deixam sua moldura aparente), cubas de parede (que dispensam bancadas) e as montadas (feitas no mesmo material e integrante da bancada).
As cubas de vidro e pedra são indicadas para lavabos, enquanto as de louça branca, pretas ou beges são recomendadas para banheiros comuns. A tradicional cuba de embutir deve ser bem pensada pois ocupa espaço dentro do móvel da bancada e comprometem a execução de um armário, por exemplo. As cubas de semi-encaixe são muito práticas para o dia-a-dia por evitarem que água caia no piso! As arredondadas são mais práticas em termos de limpeza.
Fontes: DICAS DE ARQUITEURA / JORNAL DO ENCANADOR


Café da manhã

O café da manhã sempre foi uma refeição recheada de ideias, comentários e mitos entre os adeptos de cuidados com o perfil e a saúde. Vão desde não tomar café até a que se pode comer qualquer coisa e se modere nas outras refeições.
A premissa de "tomar café da manhã como um rei, almoçar como um príncipe e jantar como um mendigo" pode não se adequada para pessoas com diferentes estilos de vida. Há quem acorde com mais pressa e precise de esforço para se disciplinar a incluir um bom café da manhã, sem excessos ou restrições. De forma inversa, pode-se jantar bem, desde que se dê tempo suficiente para o organismo processar o alimento antes de ir para a cama.
Na verdade engorda-se quando o consumo de calorias ao longo do dia é maior do que o gasto com as atividades diárias. De maneira geral, não há uma hora exata para emagrecer ou engordar, o que vale é a somatória do dia. Apesar de o café da manhã ser uma refeição bem importante, os nutricionistas aconselham que ele deve representar cerca de 25% das calorias do seu dia,  dependendo, claro, da rotina de cada um. Com isso, em uma dieta de 2.000 calorias, o café da manhã representa 300 calorias.
A solução ideal mesmo é o equilíbrio na boa distribuição de alimentos ao longo do dia. Para quem tem o cuidado de efetuar essa distribuição veja estes três exemplos de café da manhã com as sugeridas 300 calorias:
1) 1 xícara (200ml) de café com leite desnatado + 2 fatias de pão integral light + 1 colher de sopa de margarina rica em poliinsaturados + ½ papaya;
2) 1 xícara de salada de fruta + 2 biscoitos integrais (ou ½ xícara de cereal matinal) + 1 copo de bebida de soja zero;
3) 1 pão francês integral + 1 fatia de queijo branco + 1 copo de suco de fruta sem açúcar.
Curiosidade: O brasileiro consume, em média, 83 litros de café por ano!

Fonte principal: Revista MARIE CLAIRE


sábado, 20 de julho de 2013

Cromo hexavalente

Compostos de cromo hexavalente (Cr6+) são aqueles que contém o elemento cromo no estado de oxidação +6 e tem como característica mais conhecida ser usado no curtimento de peles e por seu alto poder de toxidade.
Cromatos, os quais são compostos de cromo (VI), são frequentemente usados como pigmentos para fotografia, pigmentos diversos, tintas, pirotecnia, plásticos e outros. Eles podem ser usados para a produção de aço inoxidável, corantes têxteis, preservação da madeira, curtimento de couro, e como anti-corrosivo e em revestimento de conversão. Eles são usados como inibidores de corrosão, mas devido a seus altos níveis de toxicidade eles têm sido substituidos por alternativos.
Cromo hexavalente é reconhecido como um carcinogênico humano (isto é, cancerígeno), via inalação. Trabalhadores em diferentes ocupações são expostos a cromo hexavalente. Exposições ocupacionais ocorrem principalmente em trabalhadores que:
- manuseiam pigmentos secos contendo cromo;
- utilizam spray de tintas contendo pigmentos com cromato;
- operam banhos de cromagem;
- trabalham na usinagem de peças de metais cromados.
Na foto um exemplo de trióxido de cromo: trióxido de cromo.
Fonte: WIKIPEDIA


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Momento lírico 176


VERSOS NA AREIA
(Karl Fern)

Escrevi um poema na areia
Ouvindo som da maré cheia
Pranteando árduo desgosto.
A brisa soprou-me o enredo
Por entre frestas do penedo
Mimando a derme do rosto.

Suspirei num lamento vago
Tão triste quanto cansado
Desatento e sem fantasias.
Infesto limbo de desamor
Pintei o transe da minha dor
Em soltos versos de poesias.

Quisera que uma onda serena
Da que apagou meu poema
Apiedasse de minha aflição
Sorrateira e delicadamente
Apagasse definitivamente
As mágoas do meu coração.

Este poeminha faz parte da projeto MINHAS RIMAS II,
para a qual estou a busca de patrocínio!


Florestas

As principais florestas do planeta rumam para a extinção. Extremamente vulneráveis, as florestas estão perdendo a batalha. A cobertura verde, que já ocupou 46% da superfície terrestre, vem sumindo de forma gradativa – com maior velocidade nos últimos 50 anos.
Atualmente, ocupa 31% do planeta, segundo o Relatório Estado das Florestas, publicado em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU). O documento também revela que a taxa média líquida de perda de florestas está em 5,2 milhões de hectares por ano.
Os dados levam a uma constatação óbvia: muitas florestas perderam áreas significativas e caminham para a extinção, enquanto outras aparecem apenas em registros literários. São justamente os livros que ajudam a entender esse desfecho.
Fonte: Terra

Municípios x Saneamento básico

Dados inéditos do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que 71,8% dos municípios não possuíam, em 2011, uma política municipal de saneamento básico. A estatística corresponde a 3.995 cidades que não respeitam a Lei Nacional de Saneamento Básico, aprovada em 2007. A maioria (60,5%) não tinha acompanhamento algum quanto às licenças de esgotamento sanitário, além da drenagem e manejo de águas pluviais urbanas e do abastecimento de água. Em quase metade das cidades do país (47,8%), não há órgão de fiscalização da qualidade da água.
Segundo a "Pesquisa de Informações Básicas Municipais", 1.569 cidades possuíam políticas dessa natureza, isto é, 28,2% dos 5.564 municípios brasileiros. A Lei 11.445, que dispõe sobre diretrizes nacionais para o saneamento básico, determina que todas as cidades devem elaborar seus respectivos planos municipais. O decreto diz ainda que as prefeituras precisam estabelecer mecanismos de fiscalização quanto ao abastecimento de água, esgotamento sanitário, entre outros. No entanto, 4.060 municípios (73%) ainda não aprovaram normas neste sentido, para qualquer um dos serviços de saneamento básico.
Entre as cidades que têm estrutura específica, isto é, gestores públicos responsáveis por ações referentes ao tema, 768 (48,9%) definiram metas e estratégias por meio de planos municipais devidamente aprovados pelo poder legislativo local. Já 759 municípios (48,4%) utilizavam prestação de serviços e/ou realizavam processo licitatório. Menos da metade (46,1%) das cidades que possuem planos municipais de saneamento básico direcionam esforços para ações emergenciais e de contingências.

Fonte: JORNAL DO ENCANADOR ( http://www.jornaldoencanador.com.br/)