sexta-feira, 31 de maio de 2013

Lançamento do "Minhas Rimas" em fotos

Professora Yêda declamando SER VERDADEIRO

Professora Cláudia declamando SINFONIA SERTANEJA

Cumprimentos!
Coquetel
Coquetel
Pré-cerimônia com Damião Carlos
Autor
Autor
Autor
Irmãos
Mãe e cunhada
Com a Secretária da Educação, Professora Marecilda e o Vereador Gilberto Brito
Mestre de Cerimônias Sebastião Morais e a uma visão da mesa
Plateia
Plateia (de pé meu amigo BIRA)
Plateia ( em 1° plano meu amigo JUNHÃO)
Plateia
Plateia
Plateia
Plaeia

Secretária de educação do Município, Professora Marecilda
Fila de autógrafos




terça-feira, 28 de maio de 2013

Aviso aos amigos leitores

Como esta semana estou em Jardim do Seridó, 
as postagens diárias só voltarão a 
velocidade normal a partir da próxima. 
Até lá e um grande e fraterno abraço! 


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Mais uma vez...

Renovo o convite para os admiradores do gênero e os jardinseridoenses em geral, para na 
próxima quinta-feira, às 19 horas e 30 minutos do dia 30/05/2013
prestigiarem o lançamento do meu primeiro livro de poemas, “MINHAS RIMAS”, 
no edifício sede da Câmara Municipal de Jardim do Seridó.
São 160 páginas de composições rimadas com o pseudônimo de KARL FERN, 
uma brincadeirinha com meu próprio nome: CARLOS FERNANDES. 
Um conteúdo extremamente eclético, 
tanto nas extensões como nos estilos, nas estruturas e até na linguagem, 
em quadras, sextilhas, decassílabos etc.

Renda das vendas no lançamento revertida para o
Abrigo Dispensário São Judas Tadeu

Se você não gosta de poesias, então aproveite a oportunidade deste lançamento 
para colaborar com nosso “abrigo dispensário” e
 depois dê um presente  
para alguém que gosta deste gênero literário. 


Assim como a cultura, os gestos também ficam para sempre na história de um povo!
(Karl Fern / Prof. Carlão) 
carlosfernandes@thcengenharia.com

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Ainda sobre ovos!

Conservação ideal
● Conserve os ovos na geladeira, mas longe da porta. Na porta há variação de temperatura.
● Só lave o alimento na hora de consumi-lo. Isso porque os ovos possuem uma membrana natural na sua casca que os protegem de bactérias.
● Depois de refrigerado, consuma o alimento em até dez dias
● Guardar os ovos com a ponta para baixo para a gema ficar centralizada.
● Gemas e claras duram dois dias na geladeira. Mas quando separadas, as claras tem validade maior: duram até uma semana.
● Os ovos não podem ser congelados com casca. Eles devem ser ligeiramente batidos, com adição de sal ou açúcar.
Dica de especialistas: O melhor desjejum para um estudante é um ou dois ovos cozidos antes de ir para a escola. Isso facilita o aprendizado!

Fonte: MINHA VIDA (por e-mail!


Humor do Facebook



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Momento lírico 166

BARCO DO ALÉM
(Karl Fern)

Meu Deus, foi tão repentino
Eu um ciclista sossegado
Um motorista embriagado
Irrompeu no meu destino
Louco espírito assassino
Sombra furiosa do perigo
Deu-me violento castigo
Fardo no solo estendido
Tombei fatalmente ferido?
Flui-me um estranho suor
Ouço vozes em meu redor
Não diviso nenhum vulto
Existe calmaria ou tumulto?
Imobilidade furta-me dor
Escuridão traz-me temor
Como tosco túnel de vento
Vertigens fundem tormento
Inerte sigo sem o indulto
Que peço ao divino oculto
Fito minh’alma num andor
Apático diadema furta cor
Saindo apressada de mim
Pressagiando algo ruim
Diluindo-se em luz difusa
Em direção incerta confusa
Invade-me extenuante vazio
O mundo pende por um fio
Coração ficando cansado
Meu sangue parece gelado
Meu Deus, por que tanto frio?
...

terça-feira, 21 de maio de 2013

Componentes do ovo


Estudos científicos recentes mostraram que onde se acrescentou 4 ovos 
por semana na dieta, não houve alteração no colesterol sanguíneo 
comparado ao grupo controle e os especialistas chegaram a conclusão 
que consumir um ou dois ovos, três a quatro vezes por semanaé saudável.

Sempre deliciosamente vaidosas!

Listar os procedimentos que as mulheres se submetem para ficar mais bonitas, atraentes, seguras e bem consigo mesmas chega a ser exaustivo. O padrão de beleza pede alisamento dos cabelos, dietas milagrosas, unhas feitas, depilação de todos o corpo e, mais recentemente, uma sucessão de procedimentos médicos ou quase médicos.
A última moda da cirurgia íntima das mulheres inglesas é mudar o formato da aréola dos seios para ficar mais atraentes. A técnica usada para isso é a mesma que mulheres que retiram as mamas por causa do câncer usam para redesenhar as aréolas, que passam por transformações com a cirurgia. É quase uma tatuagem, que recria a forma natural do corpo.
O que mudou é que mulheres que não passaram por nenhum problema de saúde resolveram usar a técnica para escurecer e aumentar a área com a desculpa de ficar mais sexy. Algumas mulheres aproveitam até para transformar a área em um desenho de coração ou estrela.
O pigmento usado no procedimento é um pouco diferente das tintas usadas em tatuagem, segundo os profissionais. Ele não fica azulado e desbota com o tempo.
As mudanças corporais pelas quais as pessoas vem se habituando a passar nos últimos anos ainda vai nos tornar uma sociedade de pessoas bem estranhas e com sérios problemas de imagem corporal.

Fonte: YAHOO MULHER


Perigos do banheiro público à saúde

O cuidado com a higiene é essencial para anular qualquer risco de pegar doenças em banheiros públicos. Tocar em objetos e, em seguida, levar a mão à boca ou não se higienizar corretamente são atitudes impensadas que podem ser responsáveis por problemas como infecção urinária, diarreia e hepatite A. Para esclarecer algumas questões, o Minha Vida elaborou a seguinte lista de procedimentos:
1 - Colocar papel na tampa do vaso para sentar é eficaz, pois evita ou diminui o contato direto com o vaso. Alguns banheiros disponibilizam sprays antissépticos, proteção plástica ou ainda um forro de papel para a tampa do vaso. Até mesmo o álcool gel utilizado para higienizar as mãos pode ser usado para limpar a tampa. Mesmo assim, nenhum método dispensa a lavagem das mãos;
2 - A tampa de um vaso sanitário público certamente está contaminada, mas, se após o uso a pessoa lavar as mãos corretamente, ela não estará se expondo a qualquer perigo. Recomenda-se ainda utilizar um papel para evitar o contato direto com a tampa e não levar as mãos às demais partes do corpo que não poderão ser higienizadas imediatamente;
3 - Se o papel higiênico estiver molhado, sujo ou em contato com o chão deverá ser deixado de lado. Se ele não apresentar qualquer irregularidade, seu uso poderá ser feito. Recomenda-se não usá-lo para estancar o sangue de ferimentos, porque, não sendo um papel esterilizado, o machucado aumenta o risco de infecções;
4 - Utilizar o sabonete apenas se for do tipo líquido, ou seja, sabonetes em barra devem ser evitados. Esses permitem que resíduos fiquem em sua superfície e ainda podem se tornar verdadeiras colônias de bactérias por acumular água no recipiente em que são guardados;
5 - Para secar as mãos usar apenas no papel descartável. A toalhinha  não é recomendada, pois não se sabe há quanto tempo está lá, por quem foi usada e como foi usada. Sem papel descartável, deixe as mãos secarem naturalmente ou seque-as na própria roupa;
6 - A torneira também oferece perigo de contaminação e, por isso, ela não deve ser tocada após a lavagem das mãos. Use o mesmo papel descartável que enxugou as mãos para fechar a torneira.  Nem todas as pessoas têm o costume de lavar as mãos após usar o banheiro, por isso, a torneira e até mesmo a maçaneta da porta acabam se tornando foco de micróbios. Tocar esses elementos após a higienização é contaminar-se novamente.
Fonte: MINHA VIDA (por e-mail!


sábado, 18 de maio de 2013

Humor: Curtinhas

O caipira foi ao médico:
- Doutor, antes de mais nada, queria dizer-lhe que fui ao farmacêutico, primeiro.
- Ah é? E que besteira ele mandou fazer?
- Disse que era para procurar o Sr.

Na  aula de biologia, o professor pergunta:
- Joãozinho, quantos testículos nós temos ?
- Quatro professor - respondeu o menino sem pestanejar.
- Quatro? Você ficou doido?
- Bem... Pelo menos os meus dois eu garanto!

Adão e Eva passeavam pelo paraíso e Eva pergunta: - Adão, você me ama?
E o Adão resmungando: - E eu lá tenho outra escolha?

O casal estava super animado na cama quando são interrompidos pelo  telefone. A mulher atende, e após desligar, fala ao companheiro: - Era meu marido... ele disse que vai chegar mais tarde hoje por que está jogando pôquer com você...
      
À noite, enquanto o marido lia o jornal, a esposa comenta:
- Você já percebeu como vive o casal que mora aí em frente? Parecem dois namorados! Todos os dias, quando chega em casa ele traz flores para ela, a abraça e os dois ficam se beijando apaixonadamente. Por que você não faz o mesmo?
- Mas querida, eu mal conheço essa mulher!
       
O ceguinho está parado na esquina, aguardando para atravessar a rua, quando um cachorro chega e faz xixi em cima da perna dele. Ao sentir o líquido escorrendo pela perna, ele imediatamente a mão no bolso, tira um doce e oferece ao cachorro.
Ao ver aquela cena uma senhora, observa: - Quanta bondade! O cachorro fez xixi em sua perna e ainda o senhor lhe oferece comida!
E o ceguinho: - Eu só quero saber onde é a cabeça dele para eu dar uma paulada!


Humor: o "causo" do chiado...

Nos idos anos 50 houve um casamento em Jardim do Seridó e o casal (não me lembro do nome deles!) depois da cerimônia fretaram um “carro de praça”, Mestre Cícero e seu jipe, para ir deixá-los no sítio, lá pelas bandas de São Roque, onde iriam morar.
No meio da viagem a noiva sentiu que não ia dar pra esperar e cochichou no ouvido do noivo que tava “apertada”. O noivo pediu pra o Mestre parar o carro pra ela descer e fazer seu xixi. Como era uma seca danada e não tinha nenhuma moitinha verde que desse pra ela se esconder, o noivo mandou ela ir pra atrás do caro, enquanto ele e o motorista ficavam esperando dentro do jipe.
Quando ela começou a sua “mijadinha”, os dois, esperando dentro do jippe, escutaram o barulhinho do xixi no chão! O noivo olhou para o Mestre e na falta de assunto e se mostrando macho, falou sério e arrastado: -  Hoje de noite em acabo com esse chiado!...
Foto de Mestre Cícero e seu jipe Willys (fonte: facebook)


quinta-feira, 16 de maio de 2013

Lançamento do MINHAS RIMAS!

     CONFIRMADO!      

Lançamento do livro de poemas
MINHAS RIMAS   
 Dia 30 de maio de 2013 
19 horas e 30 minutos 

  Câmara Municipal de Jardim do Seridó  

Renda das vendas no lançamento revertida para o
Abrigo Dispensário São Judas Tadeu

CONVIDO TODOS OS AMIGOS E CONTERRÂNEOS!


Poeminha para os amigos!


quarta-feira, 15 de maio de 2013

Momento lírico 165


O TAMARINEIRO DA PRAÇA
Karl Fern

Foste um grão pioneiro
Germinativo e vigoroso
Filho de fruto poderoso
Plantado como escoteiro
Germinou tenro, alvissareiro
Cuidado pra ser majestoso.

Regado com água e carinho
Zelado com muito apego
Cercado de luz e sossego
Foi crescendo de mansinho
Bocadinho a bocadinho
Num jardim de aconchego.

Longos galhos enfolhados
Ao cantar dos passarinhos
Que alegres faziam ninhos
Dava sombra aos namorados
Que felizes e apaixonados
Dividiam doces segredinhos.

Resistiu ao calor horroroso
Firme e forte indestrutível
Sol inclemente e temível
Sempre verde e garboso
Vicejando verde imperioso
Mote de poema sensível.

Abençoado pela natureza
Imponente e determinado
Por passeantes admirado
Radiante na própria beleza
Com tua espontânea nobreza
Mui frondoso e enramado.
.
Divertia nossas meninadas
Adultos muito te queriam
Suas vagens eles comiam
Até nas bolandeiras catadas
Ciosamente descascadas
Que graciosos consumiam.

Na altivez dos vegetais
Seu verde legava alegria
Débil luz da aurora refletia
Gotas de orvalho matinais
Como acordes siderais
Um som da brisa se ouvia.

Da praça foste estandarte
Lustre enlaçado de vaidade
Símbolo de divina castidade
Panteão natural de arte
Nativo monumento à parte
Ponto cardeal da dignidade.

Mas um malvado sortilégio
Sob arbítrio da intolerância
Suprassumo da ignorância
Perpetrou infame sacrilégio
Alguém achou ter o privilégio
De exceder-se em petulância.

Agente de espírito perverso
Do bom-senso desprovido
Na lâmina do trator bandido
Em um gesto controverso
Fez exatamente o inverso
Daquilo por Deus pedido.

Resistiu à violenta sanha
Defendendo a própria vida
Contra a truculência atrevida
Apunhalado em sua entranha
Numa atrocidade tamanha
Finou-se numa luta perdida.

Sombra que não existe mais
Pelo infortúnio consumida
No chão sobejou a ferida
Das raízes e restos mortais
Tombou sob as fúrias brutais
Do aço da máquina homicida.

Quem conheceu e admirou
Gozou tua sombra um dia
Olha com dor e melancolia
O vazio que tua ida deixou
Ver-se que teu mundo findou
Só há terra onde vida existia.

Numa redoma de maldades
Sobraram cinzas num canteiro
Num fatídico e cruel roteiro
Reina um arco-íris de saudades
Angustiado pelas perversidades
Não te esqueço tamarineiro!