quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Impostores da dieta

Há alimentos comprados prontos com a promessa de serem mais naturais e saudáveis, quando, na verdade, são fontes de gordura, açúcar, conservantes, principalmente sódio, e outros componentes que podem estragar a dieta e a saúde. Passe longe desses impostores da dieta, entre eles atum em lata, suco de caixinha e até lanche natural.
Muitos dos produtos intitulados saudáveis ou light, por exemplo, têm excessiva concentração de sódio para serem conservados e precisam de moderação no consumo, como peito de peru e biscoito de água e sal.
Veja uma lista de oito produtos que nutricionistas apontam como perigosos à saúde e que precisam de atenção na hora da compra e do consumo.
Suco de caixinha - apresenta alta quantidade de conservantes e corantes (prefira fazer o suco da fruta natural).
Lanche natural - os ingredientes desse lanche têm maior teor de gorduras, podem ter conservantes e a maioria desses sanduíches prontos não tem tomate, alface ou cenoura ralada.
Iogurte com sabor - nem sempre o sabor é da fruta natural, e sim de aromatizantes artificiais e, embora desnatados, são ricos em açúcar.
Cereal matinal sem açúcar - os cereais podem ser encontrados sem açúcar, porém, o sódio usado para aumentar a data de validade do produto é o vilão. 
Biscoito de água e sal - campeão de sódio, dependendo da quantidade consumida, é melhor ficar com o pãozinho francês.
Barrinha de cereal – podem ter alta quantidade de açúcar e contribuir com o acúmulo de gordura no abdômen e no quadril.
Peito de peru e atum em lata – rico em sódio, apresenta conservantes químicos e, segundo alguns especialistas, pode conter substâncias cancerígenas. Quanto ao atum, é mais saudável optar pelo armazenado em água em vez de óleo. 
Sopa de pacote - além de pobre em nutrientes, o produto é um dos mais ricos em sódio. 
ATENÇÃO: Não se deve começar uma dieta sem consultar um nutricionista!

Fonte: MINHA VIDA - http://www.minhavida.com.br/alimentacao/galerias (via e-mail)


Praça Dr J Augusto

Enquanto isso em Jardim do Seridó...

Já foi assim...

e hoje está assim!

BONS TEMPOS! BONS TEMPOS!...

Nos tempos do bonde...

Por dentro era assim: 
(com poucos passageiros)


Por fora era assim: 
(viajando lotado) 

Fonte: Prof. ADINALZIR LAMEGO (Rio de Janeiro)

Momento lírico 129

DISTÂNCIA
(Karl Fern)

A distância é uma fogueira
Que machuca de verdade
Estopim de uma saudade
Que se aproxima sorrateira
Com seu viés de interesseira
Em conspurcar a felicidade.

Carrega tristeza e ansiedade
Alcançando um alvo ferido
Aflige um coração partido
Alia traços de ingenuidade
Expondo rude a fragilidade
Gera angústia sem sentido.

Nesse redemoinho perdido
Flutua ingênuo pensamento
Maculado pelo afastamento
Temeroso de ser esquecido
Amargura o solitário tolhido
Na inquietude do afastamento.

E tu que estás tão distante
Não esqueças que eu existo
Pois de ti eu nunca desisto.
Saudade é mesmo conflitante
Apesar de parecer lancinante
É um sentimento benquisto!


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Biografias de brasileiras - 16


Laudelina de Campos Melo (1904 - 1991)
Líder feminista brasileira nascida em Poços de Caldas, Estado de Minas Gerais, incansável lutadora pelos direitos do negro e das empregadas doméstica no Brasil. Filha de pais eram negros alforriados pela Lei do Ventre Livre (1871), aos sete anos de idade, começou a trabalhar como empregada doméstica e passou por uma infância de exploração, discriminação e racismo, o que levou a desenvolver dentro de si a indignação com a desigualdade no país.
Aos 12 anos, perdeu o pai de forma trágica, em um acidente no corte de madeira, no Paraná, e teve, então, que abandonar os estudos, ainda na escola primária, para assumir o cuidado dos cinco irmãos menores, para que sua mãe fosse trabalhar em um hotel. Com 16 anos começou a atuar em organizações de mulheres negras e foi presidenta do Clube 13 de Maio, que promovia atividades recreativas e políticas.
Foi para Santos, São Paulo, aos 20 anos, onde se casou, teve um filho e se tornou ativista do grupo Frente Negra Brasileira que abrigava várias entidades com propósitos de ampliação política e cultural para a população negra. Sua atuação em movimentos populares e sua militância ganhou um peso político e reivindicatório com sua ligação ao Partido Comunista Brasileiro. Criou uma Associação das Empregadas Domésticas (1936), fechada seis anos depois (1942), quando atividades políticas foram proibidas em função do Estado Novo. Após a abertura política a associação retornou as atividades, com ela à frente como presidente.
Convidada pela família para a qual trabalhava como governanta para ser gerente do hotel fazenda que tinham em Mogi das Cruzes, São Paulo (1948). Com a morte de sua patroa (1951), mudou-se para Campinas, onde se integrou ao movimento negro da cidade e denunciou que as empregadas negras eram preteridas, protestando contra os anúncios racistas do jornal Correio Popular. Fundou a Associação Profissional Beneficente das Empregadas Domésticas (1961), para defesa dos direitos das empregadas domésticas e intermediação de conflitos entre patroas e empregadas, uma vez que não havia legislação trabalhista para a categoria. Com problemas políticos e de saúde, desvinculou-se da entidade (1968) mas retomou a direção ( 1982).
Sua atuação foi exemplo para que fossem criadas associações no Rio de Janeiro (1962) e em São Paulo (1963) e que deu origem ao Sindicato dos Trabalhadores Domésticos (1988). Atuou nas universidades brasileiras por mais de 30 anos, até seu falecimento. Em seus últimos dias, foi eleita, por reconhecimento de sua competência, Chefe do Departamento de Sociologia, da Pontifícia Universidade Católica - PUC, Rio de Janeiro. Faleceu em Campinas em em 22 de maio, como um símbolo da luta por tornar visível o trabalho doméstico, denunciar sua desvalorização e buscar conquistar direitos trabalhistas e dignidade, explicitando a situação de profunda pobreza, racismo e machismo na qual vivem milhares de mulheres negras em todo o país.
Fonte: SÓ BIOGRAFIAS

Pneumonia química

A pneumonia química é causada pela inalação de substâncias agressivas ao pulmão, como a fumaça, agrotóxicos ou outros produtos químicos. Quando aspiradas, essas substâncias vão para os pulmões e inflamam os alvéolos - estruturas que fazem o transporte do oxigênio para o sangue. Essas infecções dificultam as trocas respiratórias, causando a doença e a insuficiência respiratória.
A pneumonia por aspiração é outra forma de pneumonia química. Esse tipo é causado quando as secreções orais ou o conteúdo do estômago é aspirado para os pulmões. A inflamação vem dos efeitos tóxicos do ácido gástrico e das enzimas sobre o tecido do pulmão. Bactérias do estômago ou da boca também podem causar uma pneumonia bacteriana.
Os principais sintomas de uma pneumonia química são tosse e falta de ar, mas dependendo de uma série de fatores de intoxicação, essa doença pode apresentar também irritação no nariz, olhos, lábios, boca e garganta, náuseas e dores abdominal, no peito, na respiração e de cabeça, sintomas de gripe, fraqueza ou desorientação. Em casos mais graves, também é possível observar febre, queimaduras nas mucosas ou pele, palidez e lábios suando, raciocínio alterado e inconsciência, inchaço dos olhos ou língua, voz rouca ou abafada e saliva espumosa resultante de tosse forte.
Esses sintomas podem demorar dias para aparecer. No caso da fumaça, por exemplo, pode levar até três dias para o corpo manifestar irritações na garganta ou secreções levemente rosadas, fora a tosse e a falta de ar
Se houver contato com alguma substância química e na presença de algum desses sintomas, encaminha o paciente imediatamente ao hospital. É importante comunicar ao médico se houve contato com alguma substância química, quando e por quanto tempo.
Fonte: MINHAVIDA (http://www.minhavida.com.br/).

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Vaidade masculina: fazer a barba

Depois de um barbear a pele tem para se refazer das agressões e não é só com os cortes ou dos pelos que encravam. O próprio ato da raspagem é uma agressão, pois a oleosidade da pele fica prejudicada com isso. Assim, é um grande erro dispensar uma espuma, um creme ou gel específico. Eles ajudam a manter seu rosto macio e devidamente hidratado. Veja como age cada um desses produtos específicos:
Gel - indicado para peles mais oleosas ou com acne (adolescentes, principalmente). Com ele, a lâmina desliza melhor e a chance de ocorrerem cortes diminui bastante;
Espuma - amolece o pelo, exigindo menos força e, portanto, pressão sobre o rosto. Rende ótimos resultados em homens de barba muito grossa e com facilidade para encravar os pelos;
Creme - também forma uma película grossa sobre a pele, facilitando o deslizamento da lâmina. Mas, diferente do gel, o creme também ajuda na hidratação e, por isso, é recomendado para peles secas.
Já a finalização do barbear deve ser a mesma: trate de ir à perfumaria e comprar uma loção pós-barba sem álcool, que contenha alantoína, aloe vera ou azuleno na fórmula (basta ler o rótulo para identificar). Esses ingredientes acalmam a pele, que acabou de ser agredida.
Por último nunca reutilizar a lâminas de barbear descartáveis. Insistir em reaproveitá-las não tem nada de econômico. Depois de usada, ela perde o corte e só irrita o rosto. Os pelos encravam e há o risco de desenvolver foliculite, uma espécie de inflamação. E assim, fica mais barato jogar a lâmina no lixo do que gastar com dermatologistas e remédios depois!
Fonte: MINHA VIDA (http://www.minhavida.com.br/)


Elasticidade dos seios

É certo que nem toda mulher terá sua vaidade afetada com o caimento dos seios quando ficarem mais velhas, pois a hereditariedade é o fator mais significativo. A medida que a idade avança, irá acontecendo a flacidez de todos os tecidos do corpo e, consequentemente, das mamas, umas menos acentuadamente por causa do fator genético.
Além dos efeitos do fator genético, há uma série de hábitos que podem acelerar esse caimento natural, como fumar, beber e sol em excesso. O fumo e o álcool têm substâncias que quebram a proteína elastina, que forma as fibras elásticas da pele, prejudicam a circulação sanguínea e os níveis de oxigenação dos tecidos. O excesso de sol acelera o processo de degeneração das fibras colágenas.
Na prevenção é preciso variar a alimentação com boas fontes de nutrientes que ajudam na produção de colágeno e elastina, proteínas que dão sustentação à pele e evitam a flacidez. Alimentos com vitaminas A e C, cobre, zinco e cálcio são boas opções. Já alimentos ricos em açúcar e carboidratos simples devem ser moderados, pois podem acelerar o processo de envelhecimento da pele.
Mulheres com seios muito grandes podem se beneficiar da sustentação fornecida pelo uso do sutiã, porém seu uso durante o sono não é um fator importante para a prevenção da flacidez. Durante corridas ou prática de outros esportes as mulheres devem usar um top bem justo, pois o balanço dos seios força as estruturas de sustentação das mamas, provocando flacidez.
A afirmação de que amamentar faz as mamas caírem é controversa. Porém e certo que perder muito peso ou emagrecer e engordar a toda hora - o famoso "efeito sanfona" - prejudica a elasticidade da pele e, consequentemente, promove flacidez nos seios.
Fonte: MINHA VIDA (http://www.minhavida.com.br/)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O primeiro bonde do Brasil

Em 30 de janeiro de 1859, começava a circular experimentalmente o primeiro bonde do Brasil, por iniciativa  do médico escocês e empresário do ramo de ferrovias, Thomas Cochrane 1805-1873) que, para tal, criou a "Companhia de Carris de Ferro da Cidade à Boa Vista".
A inauguração dos serviços regulares se deu em 26 de março de 1859, com a presença de do Imperador D. Pedro II e sua esposa. A força animal foi substituída em 1862 pelo vapor, mas a empresa, não conseguiu superar dificuldades financeiras e faliu em 1866.
O Dr. Thomas Cochrane era natural da Escócia (Reino Unido), filho de Basil Cochrane primo irmão do seu homônimo e nobre escocês, político e escritor, Admiral Thomas Cochrane, considerado o fundador do Marinha do Brasil (Lord Thomas Alexander Cochrane, 10.º conde de Dundonald e único marquês do Maranhão, nasceu em Annsfield, 14 de dezembro de 1775 e morreu em Kensington, 31 de outubro de 1860). 
Formado em medicina, transferiu-se para o Brasil na década de 1830, fixando-se na capital do império, Rio de Janeiro. Em 1839, assinou contrato com o governo brasileiro para a construção de 450 km. de estrada de ferro entre o Rio de Janeiro e São Paulo, projeto que não levou adiante por não ter conseguido levantar os recursos necessários.
Foi um dos introdutores da homeopatia do Brasil, tendo fundado, com o Dr. Benoit Jules Mure, médico francês, e vários outros colegas, o Instituto Homeopático do Brasil, em 10 de março de 1844. Casou-se, em 16 de maio de 1845, na Igreja de São João Batista do Icaraí, Niterói (RJ), com Helena Augusta Velasco Nogueira da Gama, viúva de seu colega também escocês, o Dr. Robert Wallace MacFarlane, cujos dois filhos adotou.
Residiu com a família na Chácara da Tijuca, conhecida pelo nome de Castelo, posteriormente Parque Cochrane, a qual ele comprou em 21 de novembro de 1855, em nome de sua esposa. Em 1858, no Rio de Janeiro, construiu a primeira linha de bondes (puxados a cavalo) do país (esse tipo de transporte existia então apenas nos Estados Unidos, França, Chile e México), a qual foi inaugurada em 30 de janeiro e batizada pelo Imperador D. Pedro II em 26 de março de 1859. Faleceu em 1873.
Ilustração e informação originais do amigo Prof. Adinalzir P. Lamego, via facebook.


domingo, 27 de janeiro de 2013

Momento lírico 128

ROSAS MIMOSAS
(Karl Fern)

Primorosas joias da natureza
Virginais, coloridas e graciosas
Mágicas, atraentes e viçosas
Com seu perfume e delicadeza
Encantam na alegria e na tristeza
São elas as enigmáticas rosas.

Ainda em botão são formosas
São como comedidas donzelas
Abrem-se multicores e singelas
Exibem suas virtudes airosas
Românticas, lindas, luminosas
Acariciadas parecem mais belas.

Tornam mais lindas as aquarelas
Nas telas enfeitam os trabalhos
Em ramalhetes ou tenros galhos
Suas pétalas reluzem singelas
Solitárias nas vistosas lapelas
Dos uniformes e dos agasalhos.

Banhadas em gotas de orvalhos
Irradiam reflexos brilhantes
Ficam audazes e insinuantes
Mesmo caídas nos assoalhos
Presas em penteados grisalhos
Não deixam de ser fascinantes.

Em proporções semelhantes
As mulheres são como as rosas
Desabrocham sensuais e ciosas
Mostram-se meigas e cintilantes
Angelicais em seus semblantes,
Inconspurcadas e voluptuosas.

Abrem-se fecundas e deliciosas
Exalam seu indelével perfume.
Brilham em seu incrível lume
E se orvalham esplendorosas
Românticas, intensas, mimosas
Com luz própria igual vagalume!


Origem da palavra “carioca''

No século XVI, as águas do Rio Carioca eram as mais puras para se beber e às preferidas dos portugueses e índios, os índios afirmavam que as mulheres que tomasse banho nesse rio, ficavam bonitas e quem bebesse de sua água ficava com a voz boa para cantar.
Em 1503 , em um dos braços desse rio, os portugueses construíram uma casa de feitoria , os índios muito desconfiado com essa casa a chamaram de ''Cari – Óca'' ( Casa de Branco), dano origem assim ao nome Rio Carioca e ao gentílico de quem nasce na cidade do Rio de Janeiro.
Esse rio atualmente só aparece em algumas partes próximas às estação do Corcovado e suas águas são bastantes poluídas , muito diferente das águas limpas e claras admiradas pelos índios e portugueses. Seu contorno original acompanhava a sinuosidade da Rua Almirante Alexandrino em Santa Teresa, pois esta rua a principio foi uma trilha, construída a mando de Portugal para que as águas do rio fosse vigiada contra a poluição.
Texto e Redação: Junior Silva, Guia de Turismo / Equipe Nostalgia Tour (reprodução)

Refrigerantes

Infelizmente o refrigerante é uma a bebida que definitivamente não faz bem ao organismo do consumidor. Confira aqui quais são as principais razões para que se deva parar de tomar – ou pelo menos diminuir o consumo – dessa bebida tão saborosa, tão viciante para algumas pessoas, mas intensamente prejudicial à saúde:
1. A grande quantidade de açúcar faz com o que corpo libere enzimas que podem catalisar a energia proveniente dessa substância e o armazene como gordura, além de forçar o organismo ainda perder vitaminas e minerais;
2. Os dietéticos foram feitos para quem quer emagrecer, mas estudos têm provado que acontece o oposto. Os refrigerantes “zero” e light possuem substâncias que imitam o açúcar, fazendo com que o organismo compreenda que a glicose está sendo absorvida e promova um desequilíbrio no consumo de açúcar posterior;
3. As latinhas de refrigerante são revestidas com uma resina chamada bisfenol, substância que pode afetar diretamente em disfunções hormonais que influenciam desde a obesidade até a ocorrência de câncer;
4. Os refrigerantes mais consumidos no Brasil são os que possuem base em cola ou guaraná. Isso significa o consumo de cafeína, substância responsável por dilatações dos vasos sanguíneos, excitação e liberação de adrenalina e aumento da pressão arterial;
5. As quantidades compostos químicos existentes nos refrigerantes, tais como xaropes, aromatizantes, acidulantes, açúcares, corantes e adoçantes, são compostos que podem ser utilizados até mesmo para dissolver um rato ou ossos.

Só sei que era assim! - 02

Reclame das carrocerias CIFERAL
Fonte: PROF. ADINALZIR (via facebook)


Só sei que era assim! - 01

"Reclame" das pastilhas VALDA

Fonte: PROF. ADINALZIR (via facebook)


sábado, 26 de janeiro de 2013

Momento lírico 127

DOÍDA SAUDADE
(Karl Fern)

Seria eu um poeta sonhador
Solitário e indigente de carinho
Imaginando até taças de vinho
Na penumbra noturna sem cor
Sob uma tênue luz sem fulgor
Sobre o leito, o precioso ninho.
Apesar de estar tão sozinho
Pintando tais cenas de amor?

Talvez não seja tão triste assim.
Dos espasmos da cruel solidão
Revoam nuvens de emoção
Desenha-se encantado jardim
Reflui o perfume do jasmim
Viceja essa virtual sensação
Insinua-se delírio e fascinação
Acaricio o seu imaginário cetim.

Quando há amor de verdade
Sobejam magia e lembrança
Aportam ensejos de confiança
Não se esconde doída saudade
Toda hora segue uma vontade
Em tudo se respira esperança
Há um sonho de eterna aliança
Na ânsia de dividir felicidade!


sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Receitas de Aparecida – 20


ESCONDIDINHO DE CARNE SECA
Ingredientes:
- 02 kg quilo de mandioca descascada;
- Água suficiente para cozinhar mandioca;
- 02 colheres de sopa de manteiga;
- 02 colheres de sopa de leite em pó;
- sal a gosto;
- 02 colheres de sopa de manteiga;
- 150 ml de manteiga de garrafa;
- 1 cebola cortada em tirinhas;
- 400 gramas de carne seca dessalgada, cozida e desfiada;
- ½ pimentão verde cortado em tirinhas;
- ½ pimentão vermelho cortado em tirinhas;
- ½ pimentão amarelo cortado em tirinhas;
- Salsinha, cebolinha e coentro picados a gosto
- Rodelas de cebola e dos pimentões a gosto;
- 50 ml de azeite pra untar o refratário;
- 100 g de queijo parmesão ralado;
- 300 g de queijo mussarela ralado;
Modo de preparo:
Numa panela, em fogo brando, coloque a mandioca descascada e cubra com água suficiente para cozinha-la. Deixe a mandioca cozinhando por 29 minutos, até ficar macia. Retire-a da panela com o auxílio de um garfo, e amasse-a bem com manteiga. (OBS: vá retirando os fiapos da mandioca). Reserve a mandioca e 500 ml de caldo de cozimento.
A parte, dissolva o leite em pó na água de cozimento da mandioca. Depois, incorpore à mandioca amassada e misture bem, até virar um purê. Acerte o sal. Numa panela em fogo médio, derreta a manteiga e coloque o purê de mandioca. Misture até ficar bem aquecido. Reserve.
Numa panela em fogo médio, coloque manteiga de garrafa e doure a cebola cortada em tirinhas. Junte carne seca dessalgada, cozida e desfiada e refogue bem. Adicione as tiras de pimentão verde, pimentão vermelho e amarelo. Desligue o fogo e junte salsinha, cebolinha e coentro picados a gosto. Tampe a panela e reserve.
Num refratário retangular (34cm x 27cm x 8cm), forre o fundo com algumas rodelas de cebola, rodelas de pimentões e regue com azeite. Depois, faça três camadas: Uma camada com metade da mandioca amassada. Polvilhe queijo parmesão ralado e queijo mussarela ralado. Leve ao forno pré-aquecido pra gratinar por 20 minutos a 180°C.
Fonte: ARAÚJO, M. A. – “Um prato diferente em seu final de semana”, Gráfica Villar, Parelhas, RN, 2011.


Momento lírico 126

POR QUE?
(Karl Fern)

Por que somos tão diferentes
Por que, se parecemos iguais?
Comparados entre os animais
Somos os únicos inteligentes
Não há explicações coerentes
Por que vivermos em desamor
Por que colher a tristeza e a dor
Sendo bom estarmos contentes
Por que sermos como dementes
Se o mundo é todo esplendor?

Por que se praticar a maldade
Por que o desprezo pelo irmão
Se se visar tudo com o coração
E buscar viver em fraternidade
É querer encontrar a felicidade?
Mas o nosso viés interesseiro
Em tudo quer ser o primeiro
E o que poderia ser vantagem
O ser inteligente faz bobagem
Desperdiça sua razão por inteiro.

Na vida sendo tudo passageiro
Por que não buscar ser amado
Sobreviver calmo e descansado
Deitar a cabeça no travesseiro
Partilhar o carinho e o cheiro
Abraçado a sua mulher amada
Deixar sua conquista encantada
Acordar feliz e inconspurcado
Sereno, triunfante e revigorado
De bem com a vida e alma lavada?

Por que na vida sabida limitada
Por que pensar ser o mais certo
Por que querer ser mais esperto
Ser dono da parte privilegiada?
Porque não olhar na alvorada
Ver o mundo renovado e feliz
Por que não ser um aprendiz
Das coisas nobres da existência
Por que não ter essa querência
Amar todos como Deus prediz?


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Consumo de açúcar


Reduzir o consumo de açúcar pode ter um impacto importante no emagrecimento saudável, e os resultados começam a ser visíveis já no segundo mês de regime. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a ingestão diária de açúcar seja limitada a 10% das calorias necessárias. Em uma dieta de 2.000 calorias, por exemplo, o recomendável é não ultrapassar quatro colheres de sopa rasas de açúcar. É importante ressaltar, no entanto, que essa quantidade também inclui alimentos industrializados que levam mel ou xaropes doces em sua composição.
Os resultados podem ser pouco consistentes em crianças porque geralmente elas são mais propensas a desobedecer às recomendações. Mas uma coisa é clara: o risco de obesidade infantil é bem maior entre aquelas que consumem maior quantidade de bebidas adoçadas, como sucos e refrigerantes.
Muitas pessoas têm receio de consumir adoçantes porque os rotulam de produtos químicos. É necessário que todos saibam que, apesar de ser agradável ao paladar, o açúcar branco e refinado recebe aditivos químicos no seu processo de industrialização, além de não possuir quantidades significativas de nutrientes.
Portanto, para manter a saúde sem tirar o doce da alimentação, a solução é trocar o açúcar por adoçantes. O jeito é substituir esse vilão por adoçantes (químicos ou naturais) mais saudáveis, que agregam valor nutricional à sua alimentação. Se possível procure um nutricionista para que ele escolha o adoçante que melhor se adapte à sua rotina alimentar.
Lembre-se que alguns adoçantes levam lactose em sua composição e, portanto, não são indicados para quem não pode consumir produtos derivados do leite, pois podem ter diarreias. Outros adoçantes contêm sódio, o que é contra indicado pra quem tem problemas renais ou de hipertensão.
Atenção! Consumir adoçantes em excesso não é suficiente para proteger o seu organismo do excesso de açúcar. Também é importante reduzir a ingestão de alimentos que se convertem facilmente em glicose graças ao metabolismo, caso dos carboidratos.
Fonte: MINHA VIDA (por e-mail)


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Humor: O "causo" do casamento e a alavanca!

Antigamente a população era bem menor e consequentemente os casamentos menos numerosos. Também os costumes eram mais rigorosos e esses enlaces mais bem programados! E se o casamento era em um sítio, então a festa era grandiosa. Convidava-se, além dos parentes, toda a vizinhança e amigos e realizava-se uma verdadeira festança de comes e bebes e mais um grandioso arrasta-pé!  Matavam-se animais de criação e várias galinhas, contratava-se um sanfoneiro e seus percussionistas e fazia-se um grande forró pra virar a noite. Alguns privilegiados ainda tinham o convite para dançar uma parte com a noiva, caso o noivo não fosse muito ciumento! O forró começava a boca da noite e de acordo com a disposição do tocador, podia amanhecer o dia. Não que o casal ficasse até o fim, mas ficavam por ali, dançando e recebendo cumprimentos, até que o “cansaço” vencia os pombinhos e eles aproveitavam pra saírem mais cedo, deixando o resto dos convidados na festança!
Contaram-me que foi mais ou menos assim a festa do casamento de Zé Tomé e Estefânia. E lá pela meia noite. Resolveram deixar a festa pra irem pra casa e começarem a festa particular deles. Os dois saíram pelo terreiro pra montar no cavalo e irem pra nova morada e, naquele escuro, Estefânia pisou em algo que não deu pra identificar. Então falou inocentemente para o noivo:
Zé! Eu pisei num negócio mole!
E aí o noivo imaginando até que ela tinha pisada numa bosta de gado, acendeu um fósforo pra ver a desgraça e viu uma alavanca grande de ferro estendida no chão. Havia acontecido foi que a noiva, no escuro, pisara na alavanca cilíndrica e ela rolara alguns centímetros sob seu sapato. Mas o noivo não interpretou bem assim, engrossou e falou brabo:
Você quer me encabular, Estefânia?  – e antes que ela perguntasse por que, ele continuou – Você quer dizer o que, se acha que essa lavanca de ferro é mole?...

Socorram nossos mananciais!

Faz-se necessária a criação de um programa de recuperação sanitária dos nossos mananciais, pois de nada adiantará o controle cadastral dos mesmos sem um trabalho de saneamento das bacias hidrográficas.
Todos sabemos que devido o descaso com o tratamento de esgotos e do lixo produzido nas comunidades urbanas, como também o depósito ao ar livre dos rejeitos de extrações minerais etc, tem feito com que a poluição generalizada provoque a contínua degeneração da qualidade da água acumulada nos nossos reser­vatórios.
É do conhecimento geral que embora os açudes sangrem normalmente, acumulando água para dois três anos posteriores, com alguns meses de verão suas águas tornam-se inadequadas para o consumo potável. Tornam-se “grossa”, como diz o sertanejo, exatamente por causa da poluição irresponsável e da exploração imobiliária de suas margens, pela falta de autoridade do poder público pra coibir as agressões ambientais cometidas pelos proprietários de terrenos das margens e moradores das vizinhanças!
Portanto as prefeituras têm uma grande responsabilidade sobre a saúde de seus munícipes e deve unir secretarias com câmaras municipais no sentido de desenvolver estudos e criar projetos para atrair recursos oficiais e até privados, para a manutenção saudável dos nossos mananciais. Uma providência fundamental para proteção do ambiente e como medida de saúde preventiva!
Pelo bem dos jardinenses, NÃO DEIXEM O AÇUDE DO RIACHO DO MEIO MORRER TAMBÉM!

Açude da Comissão


Conta a história que durante a violenta seca de 1977, Dom Pedro II (1825-1891) recebeu a visita do político jardinense Coronel José Thomaz D’Aquino Pereira (1839-1912), paraibano de nascimento e ex-intendente do município (1862-1868), que pediu a ajuda ao imperador para construção de um reservatório na cidade para amenizar os efeitos da seca que castigava os seridoenses. Foi atendido com uma verba (comissão!) e o açude na época foi construído com muito esforço e trabalho no chamado lombo de jumento. O açude foi concluído ainda na época do Império, no ano de 1886, e o nome Comissão partiu exatamente daquela verba.
Portanto o açude da Comissão é um marco histórico na existência de Jardim do Seridó. No entanto, encontra-se esquecido pelo poder público a muito tempo. Seria muito importante o tombamento deste verdadeiro monumento da história de Jardim do Seridó, uma história já muito desrespeitada por aqueles que justamente deveriam zelar por este patrimônio cultural. Urge a sua urbanização, transformando-o em uma área de lazer e a construção de, pelo menos, uma pista de caminhada para pedestres contornando sua bacia hidráulica!  
O matagal é uma vergonha e o lamaçal é um caso de saúde pública, principalmente para os que moram nas proximidades. Só a construção da rede coletora de esgotos, com a implantação de interceptores de esgotos sanitários em torno de sua bacia hidráulica, resolveria o problema do mau cheiro e das doenças que podem estar vindo de suas águas. E só eliminando o capinzal de suas margens é que vamos acabar com a proliferação de mosquitos que atormenta as pessoas da vizinhança. Também faz-se necessária a limpeza e a canalização das águas de sangria e, certamente, teremos o ar, temperatura e paisagem mais saudáveis e confortáveis.


Foto superior: Edvaldo Alves (via facebook)

Apresentação do currículo

Tenha sempre em mente na elaboração de seu currículo que ele será sua carta de recomendações feita por você mesmo! É a apresentação pessoal de sua competência, grau de confiança e objetividade profissional. É sua primeira impressão perante o contratante e geração das primeiras expectativas sobre alguém que normalmente nunca viu antes e do qual espera a prestação e serviço profissional e bem feito.
Esse documento tem que demonstrar que o candidato está preparado para o mercado de trabalho. Particularmente, nos dias de hoje, uma versão em inglês bem escrito aumenta as chances de convocação para entrevistas de emprego em empresas que exigem o domínio do idioma. Mas é essencial que só o apresente assim se você realmente domina esse idioma com fluência. O currículo em inglês deve ser atraente e objetivo, como o original, mas deve também conter os temos adequados e compatíveis com a língua bretã e não uma simples tradução literal.
Antes de tudo, qualquer currículo deve obedecer algumas regras básicas, independentemente do idioma, para que o pretendente não passe por constrangimentos: inserir informações  essencialmente verdadeiras, ter um máximo de duas folhas e ser escrito com fontes comuns, como Times New Roman, Tahoma, Verdana ou Arial, tamanho 12. O candidato deve ter em mente seu currículo vai ser apreciado por apenas alguns segundos. Portanto deve ter o objetivo de atrair o analista tanto em aparência como em volume. Por isso, é importante que ele seja sucinto e ao mesmo tempo atraente.