segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Humor: O "causo" do homem-cão



Meu colega Marco Aurélio contou que certa vez na casa de um seu antepassado distante apareceu um homem em verdadeiro estado de miséria, pedindo comida e aceitando qualquer tipo de trabalho. Seu parente, comovido, deu-lhe comida, mas não disse que não tinha emprego pra ele. Ele muito agradecido já ia saindo quando avistou a casinha do cachorro lá no canto do muro, mas não vendo cachorro nenhum perguntou se não tinha cachorro na casa. Com a negativa ele de imediato se ofereceu pra ficar no lugar. Queria apenas um cantinho pra focar e ter o que comer.
O hoje falecido parente de Marco não queria, mas ele insistiu tanto que o dono da casa teve dó e resolveu aceitar a ideia pra ver o que acontecia. E não é que o rapaz se acomodou na casinha e durante a noite ainda dava umas voltas em torno da casa dando uns latidos que era, segundo ele, para os ladrões pensarem que havia realmente cachorro ali.
E o dono da casa foi se acostumando e o “cachorro” também assumindo aquela “vida de cão”! Um certa noite o “cachorro” não latiu e o dono da casa achou que finalmente o seu “estranho empregado” tinha se cansado daquela vida e tinha ido embora. Logo cedo foi até a casinha do cachorro e para sua imensa surpresa, o rapaz-cachorro estava morto (envenenado!): TINHA COMIDO UMA “BOLA”!...

Dor de cabeça


Quando o assunto é dor de cabeça, a grande maioria, infelizmente, costuma procurar atendimento médico apenas quando ela aparece com crises intensas e, principalmente, muito frequentes.  Cerca de treze milhões de brasileiros apresentam esse desconforto diariamente e automedicar-se e não procurar um médico ainda são os erros mais comuns.
Mudar os velhos hábitos é o primeiro passo para acabar com o incômodo. É preciso preciso descobrir quais fatores estão relacionados ao aparecimento das crises. Estresse físico e emocional, barulho, luminosidade excessiva, dormir pouco, jejum prolongado, consumo excessivo de álcool, gorduras, sedentarismo: todos esses são apenas alguns dos motivos mais comuns para que a dor de cabeça apareça.
O uso excessivo de analgésicos, sem prescrição médica, pode transformar uma dor de cabeça esporádica em crônica, ou seja, quase diária. Quanto mais se toma analgésicos, menos efeito eles fazem, o que pode levar a pessoa procurar remédios mais potentes, ou aumentar sua dose. O uso demasiado de medicações analgésicas é hoje a principal causa da enxaqueca crônica.
Deve-se prestar atenção na dor e se a frequência dela não passar, procurar um médico especialista, em geral neurologista, pois dor é sinal de doença, que alguma coisa não vai bem. É um alerta de que algo está fora de ordem no seu corpo e eliminar esse sinal com analgésicos pode trazer consequências indesejadas.
Alimentação adequada, o exercício físico regular e mudanças de hábitos são tratamentos comuns contra a dor de cabeça crônica. Nunca pense que o melhor é esperar a dor de cabeça passar.