quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Momento lírico 68


VENDAVAL
(Karl Fern)

Esta paixão louca e selvagem
Impregnou-me do prazer total
Converteu-me num feliz mortal
Seguiu-me em serena viagem
Divisando a adorável miragem
Que imploro nunca ter um final!

Atingiu-me como um vendaval
Surgindo com afeição incontida
Iluminando meu espaço de vida
Apresentou-se em feitura real
Despertou meu ego sentimental
Envolvendo-me letal, atrevida!

Molde de mulher mais querida
Por teu abraço eu clamo e grito
O sorriso é sempre mais bonito
Tua boca é minha suave bebida
Minha alma por ti está perdida
Teu corpo é meu desejo infinito.

Tua cama é meu paraíso bendito
No teu colo eu descanso quieto
Teus braços só me trazem afeto
Sinto-me parecendo mais bonito
Imune a qualquer tipo de conflito
Poderoso e feliz por completo.

Tu és o perfeito e folhoso abeto
Fruta de delicado e doce sabor
Uma rosa do mais sublime odor
Na natureza um angelical objeto
Lindo luar romântico e discreto
Uma prece às divindades do amor!