segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Álcool x Direção

Momento lírico 61


O MENESTREL
(Karl Fern)
Quis um menestrel sonhador
Encantar a venerável amada
Com uma canção refinada
Que narrasse todo seu amor.
E assim o enamorado cantor
Principiou sua peça cantada. 

Mas tudo que o poeta intuía
Nunca lhe deixava satisfeito.
O poema que queria perfeito
E a mais enternecida melodia
Não demonstrava toda fantasia
Que lia em seu próprio peito. 

Escrevia motes de ansiedade,
Confessava a enorme emoção,
Falava do enfeitiçado coração...
E embevecido nessa felicidade,
Sentiu que um amor de verdade
Não caberia numa única canção. 

Tal como o exultante menestrel,
Também manifesto emocionado
Que não me percebo habilitado
Pra descrever com lápis e papel,
Lousa ou quadro e giz ou pincel
A sensação de estar apaixonado!