quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Fertilidade masculina

A medida que vão envelhecendo, os homens apresentam redução progressiva na qualidade e quantidade do esperma. Normalmente a partir dos 45 anos, começam a ter mais dificuldades de ereção, desânimo, perda de libido e falta de disposição.
Muitos desses homens podem estar iniciando uma fase chamada Distúrbio do Envelhecimento Masculino, caracterizada por um declínio das faixas hormonais e da qualidade seminal e redução do volume de líquido produzido na próstata. Por isso, ao notar os primeiros sintomas, o ideal é procurar um médico.
Quanto mais saudável são os hábitos, maior a longevidade e maior a qualidade do esperma. Fazer exercícios físicos, evitar excessos na alimentação, acabar com os vícios prejudiciais para a saúde e até mesmo ter um relacionamento afetivo estável irão ajudar a aumentar sua fertilidade e qualidade de vida.
Alguns hábitos podem prejudicar seriamente a fertilidade masculina e também antecipar essa fase. Por exemplo, a obesidade, o consumo de álcool e drogas ilícitas, o tabagismo, o uso de anabolizantes e a exposição à poluição podem fazer a qualidade do esperma piorar.
Por fim, os testículos são muito sensíveis e ficam dentro de uma bolsa que precisa ter uma temperatura menor que a do corpo. Por isso, o saco escrotal é externo e pendurado. Um homem obeso ou que usa roupas apertadas, força seu saco ficar em contato com as partes do corpo, aquecendo-o e prejudicando a qualidade dos seus  espermatozoides.
A medicina já demonstrou que há uma redução na concentração e na motilidade dos espermatozoides e uma relação com o aumento de problemas genéticos com a idade e o feto. No entanto, as evidências também demonstram pouca ou nenhuma influência na capacidade de gerar uma gravidez. Redução na fertilidade e na qualidade deles não significa eliminação total dos espermatozoides!