segunda-feira, 18 de junho de 2012

Duas pontes

Nesse ano, o governo da China inaugurou a ponte da baía de Jiaodhou, que liga o porto de Qingdao à ilha de Huangdao. Construída em quatro anos, esse colosso sobre o mar tem 42 quilômetros de extensão e custou o equivalente a R$2,4 bilhões.


Há poucos dias, o DNIT escolheu o projeto da nova ponte do Guaíba, em Ponte Alegre. Confiado ao Ministério dos Transportes, o colosso gaúcho deverá ficar pronto em quatro anos. Com 2,9 quilômetros de extensão, vai engolir R$ 1,16 bilhões.


Intrigado e curioso, o jornal Zero Hora publicou um trabalho matemático de confronto númerico resumido no quadro abaixo:


Os números informam que, se o Guaíba ficasse na China, a obra seria concluída em 102 dias, ao preço de R$ 170 milhões. Se a baía de Jiadhou ficasse no Brasil, a ponte não teria prazo para terminar e seria calculada em trilhões. Certamente esta obra monumental, mais monumental ainda pela quantidade de dinheiro a ser gasto se tornará mais uma exemplo de corrupção institucionalizada e, consequentemente, impune.
Em tempo: O Ministério dos Transportes é da cota do partido "PR" para ficar na base aliada do Governo Dikma, que assim, financiado por propinas, barganhas e permutas ilegais, estará prontinho para enfrentar as próximas eleições e com dinheiro vadiando em caixa. Isso no Brasil porque na China todos seriam fuzilados e seus órgãos doados para transplantes.

Pesquisa Bira Viegas; Adaptação Carlos Fernandes

Momento lírico 35 (Especiá!!!)


MATUTO NO SÃO JOÃO

(Karl Fern)

São João é uma festa matuta
Com forguedo e muito forró
De toda as festa do mundo
Essa é mermo a mais mió!

Nem me chegue com conversa
Hômi! Num tem comparação!
Pode ser em quarquer lugar
É bom demais, Viva São João!

E num ano de muita fartura
Aí é que a coisa fica séra
É canjica, pamonha, bôlo...!
Se tira a barriga da miséra!

Se junta conhaque e quentão,
Cachaça boa rola no cento
A festa vai ficano animada
E vai rolano noite a dento!
No terreiro queima a fogueira
Tem uns doido sortano balão
Inquanto nós pega as nêga
Pra forrozá no mei do salão!

O sanfoneiro num pode parar
Os casá vai dançano na tria
Tem até uns mais amostrado
Pede pra formar uma quadria!

Eu num vou nessa parte não
Bom mermo é dançá juntim
Tomá uma lapadinha de cana
Pra isquentá mais um poquim!

É a diversão dos nordestino
Que pelo o Brasí se espaiô
Se faz tudo na maió alegria
Quem já viu logo se apaxunô!

E quereno um arasta-pé especiá
Num perca um só segundo
Se achegue aqui nas Campina
No maió São João do Mundo!!!



Momento lírico 34


Soneto: O AMOR

(Karl Fern)

Sentimento humano sublimante e perfeito
Perfume poético de aromas insuperáveis
Adorável canção de acordes intermináveis
Um querer que vem lá do íntimo do peito.

Miragem em alguém de detalhes adoráveis
Um viver em harmonia e sem preconceito
Capricho e cumplicidade com devido respeito
Guarda de simples momentos como memoráveis.

Empatia mútua e um sonhar compactuado
Refúgio da beleza e do prazer de ser amado
Ausência de segredos pra quem dá felicidade;

Virtuose vibrante de ternura e sensibilidade
Fogueira de afagos com paixão e sensualidade
Encanto e sedução para o coração conquistado.