sábado, 2 de junho de 2012

Sobre o bocejo

Primeiramente sempre bocejamos quando estamos com sono. Em geral o bocejo acontece em situações de tédio, fadiga ou cansaço. O bocejo é uma ação involuntária, na qual abrimos a boca e respiramos fundo. Até hoje, não se sabe exatamente o que provoca o bocejo, embora haja várias teorias para explicar por que bocejamos, todas hipotéticas e nenhuma com comprovação científica. 
Quando abrimos a boca em bocejo absorvemos uma grande quantidade de ar, o que estimula ainda mais o sono. Bom, outro fator do bocejo também pode ser por causa de irritabilidade, quando estamos sensíveis e agitados, assim também ansiosos ou nervosos. Mas isso depende muito de cada pessoa e de cada situação.
Biologicamente o bocejo provoca o aumento do ritmo do batimento cardíaco, elevando-o em até 30%. Segundo estudiosos começamos a bocejar ainda como fetos, às 11 semanas de vida. Vários animais, tais como felinos, cachorros e peixes, por exemplo, também bocejam.
Outro aspecto interessante e muito misterioso para a ciência é que, quando vemos e ouvimos alguém bocejar ou lemos algo sobre o tema, existe uma grande probabilidade de bocejarmos também. Completamente inexplicável!
Fonte (ilustração) BLOG ERRE DE RUDSON (http://errederudson.blogspot.com.br/2008/05/bocejo.html)

Nova ortografia - Lição 01

      Algumas alterações importantes foram introduzidas na ortografia da língua portuguesa pelo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, assinado em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990, por Portugal, Brasil, Angola, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e, posteriormente, por Timor Leste, países que têm a língua portuguesa como idioma oficial. No Brasil, o Acordo foi aprovado pelo Decreto Legislativo no 54, de 18 de abril de 1995.
      O acordo não elimina todas as diferenças ortográficas observadas, como por exemplo: em Portugal não se usa o acento circunflexo! Mas é um passo em direção à pretendida unificação ortográfica desses países.
      O que foi alterado para emprego comum ainda gera dúvidas em muita gente que procura escrever corretamente. Assim, resolvemos publicar neste espaço, uma serie de lições sobre essas alterações, uma colaboração da Professora Lucena Fernandes e baseada na obra Guia Reforma Ortográfica (2008) do Prof.  Douglas Tufano

Lição 1 - Mudanças no alfabeto
O alfabeto passa a ter 26 letras. Foram reintroduzidas as letras k, w e y. O alfabeto completo passa a ser: A, B, C, D e E; F, G, H, I, J e K; L, M, N, O e P; Q, R, S ,T e U; V, W, X, Y e  Z.

Referência bibliográfica: Tufano, D. “Guia Reforma Ortográfica”,  Editora Melhoramentos Ltda, 1.ª edição, São Paulo, SP, 2008.  

Voto consciente

Uma pesquisa realizada pela OIT e Unesco avaliou a educação em 40 países. O professor brasileiro tem o terceiro pior salário do mundo. A situação do Brasil só não é pior do que a dos professores do Peru e Indonésia. No Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos 187 países avaliados, o Brasil ocupa a 84º posição, bem atrás de Uruguai, Chile e Argentina. E os governos ainda dizem que a educação é prioridade.
E nas próximas eleições todos os candidatos vão apresentar e prometer como  principal bandeira de lutas SAÚDE e EDUCAÇÃO. E o pior: todos os eleitores vão acreditar! Ou fingirem que acreditam e fingirem que querem mudanças! Tantos os perdedores como os vencedores!
E o que vai acontecer? NADA! Pois serão os mesmos: CANDIDATOS e ELEITORES! E outras eleições virão e outras promessas em vão se repetirão! Nem as formas de negociarem o voto muda! Infelizmente é assim e assim será! Um abnegado idealista aqui outro ali, mas não o suficiente para alguma mudança. Eu vou fazer minha parte, mas não tenho nenhum otimismo. Sinto que serei mais uma vez como o beija-flor da fábula do incêndio!
Se me perguntam É HORA DE MUDAR? Eu respondo JÁ PASSOU DA HORA! Sinceramente: Acho que nesses meus sessenta anos de vida, já conheci tempos mais sérios! Antigamente o trabalhador trabalhava e o rico também! Hoje o rico rouba  e o  trabalhador... Ah! Esse tá doido para pegar uma boquinha também para deixar de trabalhar...
Essa mentalidade só mudará através de um efetivo programa de governo de educação massiva de conhecimento e cidadania! E quem vai querer mudar a educação do povo? A pergunta já parece uma  piada!