terça-feira, 29 de maio de 2012

Opine e divulgue, por favor!


Gostou desse blog? Ajude-me a divulgá-lo!
Mande-me um comentário! 
Pode ser através de um email para


Também pode enviar-me sugestões.
Quaisquer participações terei enorme satisfação
em recebê-las e avaliá-las!

O importante é fazermos algo para que a Internet
possa se tornar mais educativa e útil para todos!

Ponha um link em seu blog ou sua página e mande-me
o link do seu blog
para reciprocidade da cortesia!

Exageros alimentares

É comum em ocasiões especiais, em eventos comemorativos, festas em família, quando naturalmente a comida é farta (no 0800, como é dito no popular!) cometerem-se exageros alimentares. As vezes conscientemente usamos da desculpa de que ”é apenas essa vezinha”. Mas depois da festança os desconfortos podem incomodar bastante.
Alguns avisos inerentes e preventivos podem ser lembrados antes que sejamos tentados passar da conta nos limites do nosso estômago:
1. As comidas gordurosas ficam mais tempo no estômago que as outras e podem causar indigestão;
2. O grande consumo de álcool provoca falta de açúcar no sangue e desidrata;
3. A cafeína quando consumida em excesso tira o sono, acelera o ritmo cardíaco, faz a pressão subir e os rins trabalharem mais, aumentando a vontade de urinar;
4. As substâncias estimulantes presentes nas fórmulas de energéticos causam ansiedade, agitação e dor de cabeça;
5. Em geral as bebidas disponíveis nessas ocasiões não hidratam, e sim, tem ação diurética, que faz o organismo eliminar líquido.
Esses excessos contribuem para o mal-estar e a ressaca. O estômago fica sensível e no dia seguinte é comum  "perder a fome"!. Os especialistas recomendam uma alimentação leve, mas nada de dieta anti-intoxicante.
É importante não investir na automedicação. Em caso de uma intoxicação, devido a comidas estragadas ou a alergia a algum alimento, procure um médico. 
Lembrar: COMER DEMAIS PODE CAUSAR UM MAL ESTAR E PREJUDICAR O ORGANISMO.
Fonte: Yahoo Súde (http://yahoo.minhavida.com.br/alimentacao/videos/12550-comi-demais-e-agora)

Reprodução em gatos

Uma das coisas mais chatas pra quem não gosta de gatos é justamente aqueles miados estridentes e característicos e de grande alcance que acordam ou incomodam toda a vizinhança. Muitos de nós já fomos acordados alguma noite por esses miados que lembram o choro de uma criança. Para melhorar aprender a tolerar este incomodo sonoro, vale a pena saber mais um pouco sobre gatos! Afinal quem é que não gosta de um saudável encontro de amor?
Vivendo entre 15 e 19 anos, uma gata entra no cio pela primeira vez aos cinco meses quando se torna sexualmente adulta. O cio dos gatos não têm períodos determinados. Nos climas temperados os acasalamentos são mais frequentes durante a primavera e podem durar de três dias a três semanas. Se a fêmea não é fecundada, ela começa imediatamente um novo período de cio.
É nessa época que a fêmea emite um grito característico e de grande alcance para chamar a atenção de todos os machos da vizinhança (Já pensaram se a mulherada fosse assim?). O comportamento do animal se torna subitamente selvagem, inquieto e anda dia e noite à procura de algum companheiro. Os machos travam combates implacáveis para terem a primazia, mas no fim das contas a fêmea será copulada por todos os machos disponíveis. Numa mesma ninhada, cada filhote pode ser de um pai diferente.
A gestação pode variar de 59 a 69 dias e, curiosamente, a mãe prepara um leito confortável, num lugar tranquilo e escondido, pois se o pai encontrar, matará todos os filhotes.
Fonte: SAÚDE ANIMAL http://www.saudeanimal.com.br