segunda-feira, 9 de abril de 2012

O Vaticano

O Estado da Cidade do Vaticano, com seus 0,44 quilômetros quadrados de superfície, é o menor e o menos populoso país do mundo. É independente e situa-se no centro de Roma, Itália, como a sede da Igreja Católica Romana. Tem como soberano o Papa, autoridade máxima da Igreja, que também é chamado de Pontífice Romano ou Sumo Pontífice.
É limitado por cerca de 4 quilômetros de fronteira e foi fundado com o Pacto de Latrão, firmado entre a Igreja e o governo italiano, através de Benito Mussolini, em 11 de fevereiro (1929), durante o pontificado de Pio XI, encerrando uma luta de seis décadas depois do desmoronamento dos Estados Pontifícios.
O Pacto de Latrão foi assinado pelo Cardeal Gasparri, então o Cardeal Secretário de Estado da Santa Sé. Por esse tratado, o governo italiano reconhecia o Vaticano como Estado soberano. Por seu lado, a Santa Sé cedia à Itália todas as terras dos antigos Estados Pontifícios, que o Papa havia governado desde o século V até 1870, quando o Piemonte tomou à força os territórios pontifícios. Entre 1870 e 1929, os Papas se consideravam prisioneiros no Vaticano, com relações cortadas com o Estado italiano, que conquistara Roma pela força.
Na figura acima vê-se Mapa do Vaticano com destaque para a localização da Basílica e a Praça de São Pedro, local de contato do Papa com a multidão de fiéis que visitam a Santa Sé diariamente.
Fonte: SÓ BIOGRAFIAS (http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/RolPapas.html)

Abre teu olho, Jocimar!

Em eleição tudo é possível e ainda falta muito tempo (em termos de campanha!) para o próximo mês de outubro. Mas se um fato novo muito significativo não acontecer e que provoque uma profunda reversão do cenário atual, fica muito difícil apostar na reeleição de Jocimar com seu novo companheiro de chapa.
Ele ganhou com cerca de 300 votos (o que equivale a 150 votos mudando de lado!) e agora tem o desfalque dos votos de Patrício Júnior (por baixo 1000 votos) e os votos de Geralda (no mínimo uns 300). O alento seriam os votos de Zé da Noite? (quantos? 100?) e os de Anchieta (300?).
Acho a situação muito parecida com a do tempo da reeleição do Doido! Não apostaria que ele teria mais de 3000 votos e, mantidas as atuais expectativas, a chapa da situação sofreria uma derrota de pelo menos 1200 votos!
Portanto, se a situação quer ter alguma chance, mãos a obra, faça alguma coisa pela cidade e não só fique culpando administrações anteriores. Isso já faz muito tempo e quem assume é para administrar soluções e não para recordar problemas! Lembre-se: "Quem sabe faz e quem não sabe arranja desculpas!" 
Não confie que só orações, milagres (?!) e choramingos em programas de rádios vão resolver. Eleição é coisa puramente materialista e criada pelo homem. Deus não vai mudar voto de ninguém e muito menos votar! ABRA SEU OLHO, Prefeito!!!
Não sou especialista, mas é minha opinião!

Defendendo o voto facultativo!