domingo, 25 de março de 2012

Momento lírico 05


NUMA VARANDA ENLUARADA
(Karl Fern)

A paz noturna campeia em minha rua
Silenciosa, adormecida e iluminada,
Enfeitada com o brilho da luz da lua,
Mais lírica por estar mais prateada.

Uma suave brisa meu corpo acaricia
E na varanda me encontra e me acalma.
Minha mente abrandada a aprecia
Um perfume generoso vem-me a alma.

Por sobre os baixos telhados frontais
Diviso o distante perfil do horizonte.
Como a sonhar a visão se estende mais
Rumo ao céu que cai por trás do monte.

Num perfeito e radiante firmamento
Há uma nuvem isolada, estacionária.
Pouco a pouco mudando a todo momento
E desenhando uma figura imaginária.

Parece-me delinear um delicado rosto,
Com cabelos no mais lindo desalinho,
Esvoaçantes como a agradar meu gosto.
Emocionante... assanhando devagarinho...

Incrivelmente, lentamente vou sentindo
Aquele rosto generoso a me olhar.
Penso feliz que ele me está sorrindo,
Quase sinto em desejo me acariciar.

Reconheço mentalmente aquela imagem!
É de alguém, como em um luminoso altar
Enviando-me uma esperançosa mensagem,
Contando-me que em breve vai voltar.

Um suave e insinuante sentimento
Envolve sutilmente meu carente coração,
Sublimando meu ego a cada momento,
Massageando-me com a mais pura emoção.

A solidão submissa vai-se embora,
Nem importa se ela houve de verdade.
Em seu lugar o que interessa nessa hora,
É ter no rosto um sorriso de felicidade.

Cuidado com o consumo exagerado de grãos

Mesmo as versões integrais podem fazer mal se consumidas em excesso
Um dos alimentos mais populares e mais consumidos no mundo tem um gosto indigesto para algumas pessoas. Rico em glúten, o pão feito com farinha de trigo causa um processo degenerativo em pessoas que sensíveis a essa proteína, ou seja, em indivíduos que foram diagnosticados com doença celíaca. Alguns estudos mostram que esse quadro pode aumentar até quatro vezes o risco de morte prematura, causar depressão, facilitar o aparecimento do mal de Alzheimer, déficit de atenção e hiperatividade. Há evidências também que a sensibilidade ao glúten possa ser a causa de muitas condições neurológicas e psiquiátricas.
A maioria dos médicos defende que durante a formação do feto, cérebro e intestinos têm origem nos mesmos tecidos, que formam o sistema nervoso central e o sistema entérico. Daí se dizer que os intestinos são nosso segundo cérebro. Esses órgãos trabalham em sintonia e um afeta o outro: se o sistema gástrico não é saudável, sofremos com ansiedade, depressão, mau humor e ainda abrimos portas a doenças sérias como esquizofrenia. Não surpreende: é nos intestinos que a maioria da serotonina é produzida. Esse neurotransmissor tem diversas funções em nosso organismo, e a sua falta está diretamente ligada à incidência de depressão, ansiedade e distúrbios alimentares.
Mesmo pessoas que não tenham doença celíaca precisam tomar cuidado com o consumo de alimentos que utilizam farinha de trigo refinada.
Consumo de farinha refinada
Mesmo pessoas que não tenham doença celíaca precisam tomar cuidado com o consumo de alimentos que utilizam farinha de trigo refinada em sua composição. Os maiores responsáveis pelos efeitos negativos do trigo são a aglutinina e a lectina, proteínas que se associam rapidamente a carboidratos e não fazem bem ao corpo.
Antes de achar que diminuir o consumo de trigo é fácil, considere o quanto consumimos de alimento processado com farinha de trigo. Ele está no pão, em bolos, biscoitos, tortas e em vários outros alimentos. Colocar outros grãos na dieta para substituir o trigo, principalmente na forma de farinha refinada, é uma boa maneira de evitar esses efeitos. Milho, linhaça, grão de bico e quinua, são alguns exemplos de alimentos que não contém glúten e são ricos em nutrientes importantes, como minerais e vitaminas.
Todos os grãos contribuem para aumentar a resistência à insulina e à leptina, que estão na origem da maioria das doenças crônicas. Portanto, mesmo com as versões citadas a cima, modere o consumo de grãos. Não vacile: os processos inflamatórios, quase sempre silenciosos, destroem a saúde aos poucos, às vezes de forma irreversível.
(Fonte G1)

Para leituras, discussão e debates

EM DEFESA DO AÇUDE COMISSÃO
Para que a polêmica não morra e os poderes públicos assumam uma solução.
PREMISSAS:
1 – Nos meus tempos de infância e adolescência usei esse açude foi nossa fonte de água, carregando-a de galão em galão porque a água do Rio Seridó (das cacimbas de Seu Inácio Soares!) era salobra e não prestava nem para lavar roupa e, assim como eu, muita gente pobre da cidade fazia o mesmo;
2 – Que lá existia uma lavanderia que todas as “lavadeiras” da cidade limpavam suas roupas e demais tecidos dentro deste edifício e que alguém, inexplicavelmente e com muita ignorância histórica, derrubou;
3 – Que o referido açude serviu e ajudou muito gente ainda viva a sobreviver sem passar sede ou adoecer por falta de higiene;
4 – Que com sua evaporação diária, certamente este espelho de água ajuda com alguma parcela a aliviar a quantidade de calor ambiental e aumentar a unidade relativa do ar, melhorando nosso conforto ambiental;
5 – Que nenhuma cidade que se preze abandona ou acaba com seus espelhos d’água urbanos (João Pessoa: Parque Solon de Lucena; Campina Grande: Açude Velho; Rio de Janeiro: Rodrigo de Freitas; Belo Horizonte: Pampulha;... É só pesquisar - ou lembrar por onde passeou ou morou - e ver os inúmeros exemplos);
(Com certeza os caicoenses nem pensam um dia secar o Itans para venderem sua lama e lotearem sua área? E olhe que lá a área um enormemente maior e tem muitas vezes mais lama!)
6 – Que o açude já estava lá quando esses moradores em suas margens chegaram para ocupar suas margens e jogar seus esgotos dentro dele sem nenhuma preocupação em construir pelo menos uma fossa de vergonha;
7 – Que a consciência histórica, ambiental e ecológica dessas pessoas é do tamanho da cabeça do alfinete, ou não têm nenhuma.
COMPARAÇÃO:
As pessoas que querem a destruição do açude, comportam-se exatamente como aquelas que após serem criadas, cuidadas e servidas com todo carinho pelos pais, esquecem de tudo que foi feito e os desprezam. Podemos fazer a seguinte comparação:
a)       quando os avós ou pais ficam velhos mandam para qualquer abrigo para ficarem com suas propriedades (que ele juntou durante anos),  ocuparem sua casa (que sempre foi sua morada)  e gozarem de seus benefícios sociais (barganhando antecipadamente seu espólio, inclusive suas aposentarias);
b)       quando o pobrezinho da Comissão está velho, querem manda-lo “embora” (arrombando-o) para venderem sua lama (que ele juntou durante anos), ocuparem sua bacia hidráulica (que sempre foi sua morada) e gozarem de seus benefícios sociais (barganhando antecipadamente seu espólio, inclusive a valorização imobiliária de sua área);
Então, com o nosso Comissão, em agradecimento pelo seu passado de serventia e sua importância ecológica, devemos revitalizá-lo para que possamos apreciar sua beleza e deixar nossa paisagem mais alegre, tal qual devemos fazer com nossos pais, em agradecimento pelo seu passado de serventia: cuidá-los e deixá-los viver na velhice uma renovação e revigorá-los para que possamos apreciar suas felicidades e alegrias.
CONCLUSÃO:
Quero dizer para estas pessoas que pensam acabar com o Açude da Comissão, que desarmem seus espíritos e vamos juntos salvar nosso histórico reservatório, exigindo dos poderes públicos seu tombamento oficial e, consequentemente, o projeto e construção da drenagem das águas servidas afluentes para sua bacia hidráulica e eliminar seus capinzais, despoluindo-o, e construir em seu entorno uma pista dupla para ciclistas e para pedestres desenvolverem suas caminhadas, certamente com ar, temperatura e paisagem mais saudáveis e confortáveis.
Secar o açude apenas fará com que os esgotos que hora se acumulam em sua bacia se espalhem pelo resto da cidade canal abaixo, prejudicando uma área muito maior e com muito mais gente.
Vamos fazer como os londrinos que a mais de cem anos atrás uniram-se para salvar o Rio Tâmisa! Ou será que estamos mais de cem anos atrasados ou simplesmente pior: ainda estamos imbuídos do espírito ganancioso dos colonizadores europeus.
Só a construção da rede coletora de esgotos resolve o problema do mau cheiro e das doenças que podem estar vindo de suas águas. E só eliminando o capinzal de suas margens é que vamos acabar com a proliferação de mosquitos que atormenta as pessoas da vizinhança.

Paisagens de Jardim do Seridó / RN





Textos recomendados

Se o leitor gosta de informações sobre história da antiguidade, recomendamos ler o resumo histórico sobre Alexandria, no Antigo Egito, publicado no sítio SÓ BIOGRAFIAS, na página
http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/Alexandria.html

Momento lírico 04


FELICIDADE
(Karl Fern)

Será que existe as tais vidas passadas?
Almas gêmeas, reencarnações, coisas assim?
Como entender que após tantas andadas,
Só agora tu vieste ter a mim!

Terá sido um singelo golpe da sorte?
Talvez um destino previamente traçado?
Ou foi o meu instinto sagaz e forte,
Em local e no momento abençoado?

Lindas explicações, sonhos bem lembrados.
Formulação de pensamentos subjetivos.
Não importa, eu me sinto premiado,
Envolvido de mansinho em teus motivos.

Um sorriso que me encantou de alegria!
A ternura de um olhar mais que brilhante!
Teu cheirinho embriagante noite e dia.
Feliz abraço carinhoso e flamejante.

O teu beijo doce, delicioso e atrevido.
Essa pele tênue a meu tato excitada.
Em tuas carícias com afeição fui envolvido,
Na intimidade de teu corpo fiz morada,

Se isso for pra se viver eternamente,
Nesse prazer com tamanha intensidade.
Acredito desde já que finalmente
Eu encontrei minha real felicidade!