terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Informes sanitários

1.1. Saúde
Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença. É a melhor situação em que podemos viver!
As doenças podem ser causa ou efeito de problemas psíquicos (isto quer dizer mais ou menos "passar um aperreio de vida" ou "ficar ruim do juízo"). Por exemplo, preocupações com uma seca podem levar o agricultor nordestino do sertão a adquirir uma úlcera, ou o sofrimento provocado por uma doença incurável pode levar uma pessoa à loucura.


1.2. Doenças
As doenças podem ser as ditas orgânicas, ou seja, aquelas que não passam de uma pessoa para outra (por exemplo, arteriosclerose) ou as transmissíveis (como a gripe).
As doenças ditas transmissíveis são causadas por micróbios que entram no nosso corpo através do pele, da boca, das narinas, dos olhos, etc.


1.3. Imunidade
Imunidade é a resistência natural ou adquirida durante nossa vida pelo nosso corpo a um micróbio causador de doenças ou venenoso. É o principal meio de defesa do nosso corpo contra as doenças. Ela é realizada através dos chamados anticorpos que temos no sangue.
Nosso corpo é um composto de células, bilhões delas, arrumadas e distribuídas de acordo com cada ponto, órgão e função. Sendo assim, nosso sangue também contem alguns bilhões de células e entre elas estão os anticorpos que são células que formam as nossas chamadas defesas biológicas.
Muitos anticorpos são adquiridos da mãe ou através de vacinação. Outros são posteriores a uma doença. Para que uma doença ataque uma pessoa sadia é necessário que:

  • haja um micróbio causador e um local contaminado com este micróbio;
  • haja uma maneira deste micróbio sair daquele local e passar ou penetrar no corpo de uma pessoa sadia;
  • que a pessoa sadia esteja sem defesas biológicas no seu sangue, ou seja, seu corpo não contenha anticorpos suficientes para matar o micróbio (por exemplo, uma pessoa que nunca teve sarampo e não foi vacinada, possivelmente não tem anticorpo nenhum do sarampo!)
1.4. Medidas preventivas (individuais ou domésticas)
Para que as doenças não passem de uma pessoa doente ou portadora para outra sadia temos que tomar providências coletivas, ou seja em conjunto com todas as pessoas da comunidade. E para que possamos evitar várias doenças que conhecemos e podemos adquirir no nosso dia a dia, devemos tomar uma série de cuidados higiênicos, como os seguintes:
  • lavar as mãos sempre que for sair de sanitários e, também, antes das refeições, com bas-tante água e sabão, evitando-se a contaminação com bactérias e parasitas, principalmente;
  • enxugar, principalmente mãos e rosto, com toalha de nosso próprio uso, individual ou familiar (evita-se, por exemplo, a transmissão da Conjuntivite - doença crônica nos olhos, de causa infecciosa, que compromete córnea e conjuntiva, levando à fotofobia, dor e lacrimejamento);
  • evitar redes, lençóis, cobertores e cobertas, colchas de cama ou toalhas usadas por outras pessoas, principalmente desconhecidas, para não se adquirir vermes e parasitas que causam, por exemplo, as sarnas;
  • acabar costumes de chupar dedo ou roer unhas, evitando-se a transmissão de vermes;
  • lavar alimentos que serão ingeridos crus (como frutas e verduras) e ferver o leite (evitando-se transmissão de vermes e parasitas fo anoma leiteiro);
  • Não deixar expostos alimentos às moscas (guardar protegidos e em locais escuros, evitando-se a transmissão de vermes e micróbios parasitas);
  • não tomar banhos em águas suspeitas (evitando-se pegar micróbios parasitas);
  • cozinhar bem os alimentos (evita-se por exemplo a teníase - infecção causada por qualquer verme do gênero taenia);
  • ferver toda a água suspeita que será bebida (evita-se por exemplo a transmissão da cólera - doença infecciosa aguda, contagiosa, que pode manifestar-se sob forma de epidemia, caracterizada, em sua apresentação clássica, por diarréia abundante, prostração e cãibras; também chamada de cólera-morbo ou mordexim);
  • utilizar privadas higiênicas e fossas sanitárias protegidas, para isolamento e eliminação dos possíveis micróbios que possam causar mal a saúde;
  • não consumir enlatados com embalagem “inchada”, amassada ou enferrujada (é um sinal de que eles podem estar contaminados);
  • usar sumo de limão na pele para afastamento de mosquitos (burrachudos e muriçocas).