sábado, 28 de janeiro de 2012

Gasoduto para o Seridó

Tenho minha preocupação como cidadão e técnico, para outro problema que me angustia. Os prefeitos, mas que não fique só na "iniciativa", devem se preocupar com.um assunto que merece uma imediata reivindicação: é a construção de um gasoduto para abastecer a indústria de transformação da nossa região. Só existe progresso com energia e água.
Por causa da falta de uma fonte alternativa de energia é que estamos presenciando uma desertificação progressiva pelo consumo desenfreado e irresponsável de lenha. Mas isto ocorre porque os produtores, especialmente os donos de olarias e de outros que no seus processos produtivos empregam calor, não têm outra fonte de energia. Esta seria o gás, que nosso estado produz, mas vende para a Paraíba e Pernambuco e não tem para seus próprios empresários. Especialmente Jardim do Seridó, que sempre teve uma vocação industrial, tendo sido em outros tempos uma das principais fontes de arreca­dação de impostos do Estado Rio Grande do Norte.
IMPRESSIONANTE!  Quando passamos pela BR e vemos aquele monte de lenha estocada no pátio da falida indústria dos Medeiros compreendemos a dimensão do desastre natural que está acontecendo em nosso Seridó, hoje um exemplo negativo nas publicações ambientais de todo o Brasil como a região de mais agressiva degradação natural do país.  
Precisamos urgentemente que esta fonte de energia chegue ao nosso município, para voltarmos a brilhar no cenário de progresso que nosso povo necessita, pois nosso área rural claramente nunca foi apropriada para a prática agropecuária, mas nem por isso nosso povo deixou de ser empreen­dedor.

Voto responsável

Infelizmente nota-se que muitos de nossos conterrâneos ainda votam por favores, por amizades, por paixão partidária ou por dinheiro (também isso não uma exclusividade jardinense!). E ainda há aqueles que querem apenas o poder e se aproveitam da situação! E assim nunca teremos progresso e nem poderemos ver nosso povão mais orgulhoso em ser jardinense!
Nós devemos escolher o candidato pelo perfil e histórico de administrador e pela sua vontade política de servir a população com a solução dos problemas e a construção de benfeitorias sociais e não com favores ilusórios para  “enganar” os cidadãos! Pelo comprometimento de um programa de governo e com a indicação de assessores de nível técnico indicado para cada missão. 
É fundamental que esse candidato tenha suas origens na região e que se comprometa com o atendimento pessoal à população da cidade e aqui despache durante seu mandato, para que possa sentir e ver os problemas do munidípio e ouvir os reclamos o povo! Devemos pensar e votar responsavelmente! Se errarmos, na próxima tentaremos consertar para recuperar o tempo perdido. Afinal, às vezes as aparências nos enganam... e enganam muito bem. Lembrem-se de votar pensando no lema: ADVERSÁRIO NÃO É INIMIGO!.

O problema dos lixões

Um assunto que o Ministério Público não pode relaxar é na cobrança para que o poder público tome providências quanto ao lixões. Todos sabem que as soluções para o problema do lixo mais convenientes para nossa região é a “compostagem” ou o “aterro sanitário”.
O aterro sanitário torna-se conveniente e viavelmente econômico para atendimento de populações acima de 50 mil habitantes. Então Jardim do Seridó, Acari, Carnaúba dos Dantas e Parelhas podiam muito bem fazer um projeto e buscar recursos para construir um aterro comum, que serviria para depositar de maneira segura seus detritos sólidos.
Para mim o local ideal é aquela planície do Serrote, entre Jardim e Pare­lhas, pois além de ser uma área hoje semideserta, é pouca habitada, tem uma lâmina de solo removível razoável para movi­mento de terra e é de fácil acesso, pois o local fica oa lado da estrada.
Até quando haveremos de conviver com todas as doenças causadas por lixões contaminados que carreiam micróbios, bactérias e vírus patogênicos e toda sorte de metais pesados diluídos para nossos reservatórios, prejudicando nossa população pelo consumo direto d’água ou quando consumimos o leite e a carne dos animais contaminados, assim como os peixes e outros alimentos proteínicos.
É desesperador perceber que todos os lixões e esgotos do Seridó oriental contribuem diretamente para contaminar o açude Passagem das Trairas. Eu não me surpreenderia se uma pesquisa revelasse que Jardim do Seridó fosse a cidade da região em que mais cresce os casos de cânceres. Provavelmente também casos de doen­ças de pele e de estômago.
Iniciativas como a de um projeto de um aterro sanitário seriam ações que deixariam qualquer gestor na história, mas me parece que suas competências não percebem que o futuro depende das ações do presente. Será que a luz no fim do túnel está justamente no poder e na lucidez do Ministério Público? Felizmente ainda percebemos uma chance de nos mantermos otimistas!