sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Humor: O "causo" do comício!

Essa história, digamos, é "meio "pesada", mas vale a pena ser contada!            
Anos depois de ter sido governador da Paraíba (1966-1971), João Agripino de Vasconcelos Maia Filho (1914-1988), ex-promotor público de Jardim do Seridó e um dos fundadores da União Democrática Nacional (UDN), resolveu ser novamente candidato a Deputado Federal (1981) e foi fazer um comício em Itaporanga no Vale do Piancó, na Paraíba.
E durante as oratórias falava um vereador seu cabo eleitoral e bem bajulador, pregando as virtudes de seu candidato, especialmente rememorando suas grandes virtudes como governador. Era Deus no céu e João Agripino na Terra, parodiando o sertanejo! E lá para as tantas, um espectador já cansado de ouvir tanta baboseira e “xaleirice”, uma verdadeira “babação” ao vivo, gritou bem alto e revoltado, lá do meio da multidão: - “DÊÊ O CUU A EÊÊLE!!!”.
Esse grito pegou o orador de surpresa que, extremamente injuriado, interrompeu seu discurso e voltando-se para João perguntou: - “Posso responder a esse safado, Doutor?”. João que era conhecido como gozador (por dentro certamente ele estava era rindo a valer da situação!) e sem se preocupar, respondeu: - “Pode rapaz! fique a vontade!”
O edil babão voltou-se para a multidão, sem mesmo saber quem tinha lhe ofendido (!) e segurando o microfone com muita raiva desabafou: - OLHE SEU FILHO DE UMA PUTA! “DAR” EU NÃO DOU NÃO, MAS EU COMO O SEU E O DELE!!!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

A arte de Geicifran


O artesão Geicifran em seu atelier

Filho do marceneiro, músico e também artesão jardinense Chico de Manoel de Rita e Dona Francisca Azevedo, o artesão-escultor Geicifran Francisco de Assis Azevedo nasceu na cidade de Jardim do Seridó/RN no dia vinte e cinco de fevereiro de 1988.
Despertou para arte ainda criança, quando observava o trabalho do seu pai, também artesão, esculpindo em madeira umburana, ajudando-o inclusive no acabamento das peças. Na adolescência tonou-se um grande admirador da arte de dois outros artesãos jardinenses, Júlio Cassiano e Neném de Chicó, e desse último recebeu orientações técnicas.
A partir de 2006 passou a produzir esculturas encomendadas, especialmente peças sacras populares e ex-votos. Paralelamente também produzia peças sobre costumes folclóricos regionais e do cotidiano seridoense, todas tendo como matéria-prima a madeira umburana.
Nesse período conheceu os comerciantes Antônio Marcos e Francisco Francinildo, proprietários da “Galeria de Arte Antiga e Contemporânea”, localizada no Centro de Turismo de Natal/RN, que passaram a encomendar e comercializar suas esculturas.
Em novembro de 2010, realizou o sonho da construção de seu próprio ateliê, anexo à sua residência, localizada à Rua Celso Ferreira de Morais, nº 33, bairro COHAB, na cidade de Jardim do Seridó/RN, onde atualmente continua trabalhando, esculpindo peças por encomenda.
Se você desejar conhecer um pouco mais sobre o trabalho desse talentoso escultor é só visitar o seu ateliê no endereço citado, ou entrar em contato com o mesmo através do Cel. (0xx84) 9914 7652.

Amostras da arte de Geicifran

Fonte: .Blogspot  AMIGOS DA CULTURA DE JARDIM DO SERIDÓ

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Receitas de Aparecida – 09


BOLO DE BANANA
Ingredientes:
    1 xícara (chá) de açúcar;
    1 xícara (chá) de farinha de trigo;
    1 xícara (chá) de leite;
1 colher (sopa) de fermento em pó;
8 colheres (sopa) de margarina;
4 bananas cortadas em fatias;
Açúcar e canela para polvilhar

Modo de Preparo
Misture bem o açúcar, a farinha, a margarina, o leite e o fermento. Coloque massa numa forma untada com farinha de trigo. Por cima, distribua as bananas cortadas. Finalize polvilhando g[bastante açúcar com canela. Leve para assar em forno médio.

Fonte: ARAÚJO, M. A. – “Um prato diferente em seu final de semana” , Gráfica Villar, Parelhas, RN, 2011.

Momento lírico 66

A GRANDE ALEGRIA
(Karl Fern)

A flor do mandacaru
Quando na mata viceja
Faz a paisagem sertaneja
Parecer algo celestial
Simboliza a alegria total
Pra tudo que ali habita
Não há coisa mais bonita
Nada mais é tão divinal.

Revela a chegada da chuva
A sagrada água do céu
Que livra o homem do véu
Da dor da seca inclemente
Que pensa pegar semente
Pra enterrá-la no chão
E cuidar da sua plantação
Crescendo viçosa e valente.

Não há diversão melhor
Que olhar o céu nublando
A barra de torres formando
Observar enormes clarões
Ouvir incontáveis trovões
Soprando um vento poente
Escurecendo todo nascente
Sinal de água aos montões.

E o banho de chuva, então,
Nada mais é tão delicioso
Feliz e totalmente ansioso
Logo uma biqueira alcança
Pinota e grita feito criança
Nem liga se água tá fria
Só Deus para dar tal alegria
De graça criar tanta festança.

E assim vive o seridoense
Com pouco se satisfazendo
Contra maldita seca torcendo
Namorando com o nevoeiro
Sonhando o tempo inteiro
Num ano bom de inverno
Sendo no seu labutar eterno
Um fiel e fervoroso guerreiro!

Valorize seu voto!


Observe o Programa de Governo de cada candidato!

OUÇA COM ATENÇÃO SEU DISCURSO!! 

Preste bem atenção como ele diz que vai fazer,
com quem vai fazer e quando vai fazer,
para depois poder cobrá-lo.

POLÍTICO ELEITO É PARA SER COBRADO E NÃO PARA SER DEFENDIDO! 

Fanatismo é idiotice!

Câncer de boca

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Opinião


Eu sou do tempo em que a Universidade era uma máquina de desenvolver conhecimentos! Hoje o conceito mudou para uma máquina de dar diplomas por cor, por classe, por origens, por nível social, por naturalidade,... menos por conhecimentos (isso é relevante!)!
Eu tenho reconhecer! Embora eu tenha sido de uma origem extremamente modesta, sou de outra era, pois naquele tempo o governo me deu uma escola pública básica de qualidade, mas eu tive que estudar (e como estudar!) para chegar onde eu cheguei! Realmente eu sou de outra era!
Devo ser um radical superado, como dizem os microfonistas de plantão (pra mim apenas isso!) de hoje, pois eu só entendo educação com escola básica de qualidade e não com diplomas universitários para pessoas que escrevem "Civil" com "S", por exemplo, ou não sabem quanto é 5 x 5!!!
 
O pior: Erram na prova quanto é 5x5 e depois vão brigar pela nota com o professor, alegando que o importante é o "raciocínio"... Pode? O que diabos uma "peste" dessas pensa ou raciocina?

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

28 de agosto de 1941 – No ar o Repórter Esso

O mais histórico noticiário do rádio e da televisão brasileira, foi o primeiro noticiário de radiojornalismo do Brasil que não se limitava a ler as notícias recortadas dos jornais, pois as matérias eram enviadas por uma agência internacional de notícias sob o controle dos Estados Unidos da América.
inicialmente criado para fazer a propaganda do lado cultural-ideológico dos Estados Unidos durante a guerra e direcionada ao povo brasileiro, o repórter Esso era patrocinado por uma empresa estadunidense chamada Standard Oil Company of Brazil, conhecida como Esso do Brasil. Os locutores que fizeram maior sucesso no noticioso foram: Gontijo Teodoro, Luiz Jatobá e Heron Domingues. Os slogans mais famosos eram: O Primeiro a Dar as Últimas e Testemunha Ocular da História.
DATAS: No rádio foi de 28 de agosto de 1941 a 31 de dezembro de 1968 (Rádio Nacional e Rádio Globo do Rio de Janeiro). Na TV, de 10 de abril de 1952 até 31 de dezembro de 1970 (TV Tupi e na TV Record)
Fonte: WIKIPEDIA

Momento lírico 65

ROSA DE AMOR
(Karl Fern)

Rosa púrpura perfumada
De singela e mimosa beleza
Faça sorrir a minha amada
Com ternura e delicadeza.

Matize sua tez de menina
Delicie com seu suave odor
Entreabra sua boca divina
Num leve sorriso de amor.

Dê-lhe o manto da felicidade
Deixando minha lembrança
Levando-a a sentir saudade
Inferindo-lhe total confiança.

Leve-a a sonhar uma cena
Da mais comovente paixão
Pensando em mim, serena,
Com pura e profunda afeição.

Ser de generosos pendores
Musa de cálida formosura
Como rainha magna das flores
Afague tão cativante criatura!

domingo, 26 de agosto de 2012

Momento lírico 64

MIMOSA CRIAÇÃO
(Karl Fern)

Esculpida pela vontade divina
Fruto de uma simples costela
Surgiu uma fêmea altiva e bela!
Do pátio do Paraíso se ergueu
Sob o brilho do sol resplandeceu
Poderosa, sublime e singela.

De Deus mereceu sua tutela
Lhe dando formusura e poderes
Tornou a mais mimosa dos seres
Com eternos semblantes risonhos
Fonte dos mais sublimes sonhos
O corpo dos sensuais prazeres.

Origem dos iluminados dizeres
Do fiel e sentimental compositor
Do romance do profícuo escritor
Inspirados em incólumes virtudes
Imputam-lhes perfeitas atitudes
Enobrecendo a criação do autor.

Símbolo do que é mais sedutor
Do homem é seu máximo mister
Pena daquele que não souber
Venerá-la por enquanto viver
Assim jamais poderá entender
Quão fascinante é uma MULHER!

Um heroi da humanidade

Neil Alden Armstrong (5 de agosto de 1930 – 25 de agosto de 2012)
Astronauta estadunidense, o piloto de teste, engenheiro aeroespacial, professor universitário, aviador naval de Estados Unidos e a primeira pessoa a andar na Lua (20 de julho de 1969).
Como comandante da missão Apollo 11, Armstrong se tornou o primeiro ser humano a colocar o pé na lua, oportunidade em que ele disse: "Esse é um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade". Tinha 38 anos na ocasião.
Mesmo tendo sido protagonista de um dos maiores feitos de toda a história da humanidade, ele não fazia festa por sua realização. "Eu acho que todos devem ser reconhecidos pelo seu trabalho diário", disse Armstrong em uma entrevista ao programa "60 minutes", da CBS, em 2005.
Vai-se o herói e fica o exemplo de coragem e de tenacidade do ser humano!

sábado, 25 de agosto de 2012

Saúde bucal

Momento lírido 63


DEVANEIO 2
(Karl Fern)

Chuva que cai fria fininha suave
Umedece a calçada
A rua
O jardim agua.
Respinga em mim,
Ressoa no telhado
Deixa tudo molhado
Esconde o céu estrelado
Contínua, fecunda, benvinda...
Oh chuva querida
De suave cantiga
Caindo gotinha a gotinha
Persistente, mansinha.
Faz-me sonolento,
Preguiçoso, dengoso, carente, triste, pensativo,
Dolente, cativo...
Assim como eu, você segue também,
Buscando companhia,
Mas continua caindo... sozinha.
Nem a ajuda do vento
Lhe trás novo alento,
Olhai meu tormento
Sem rumo no mundo
Somos solitários os dois,
Logo mais sem depois!

Momento lírico 62



UM SENTIMENTO OTIMISTA
(Karl Fern)

Convicção emotiva das possibilidades
Um horizonte luminoso vislumbrado
Designios de sorte ou eventualidades
Venturoso desejo de futuro abençoado.

Confiança em uma dádiva imaginativa
Da uma sonhada luz mais preferida
Mesmo quando se anuncia negativa
E com relutância para ser concebida.

O sentido de crença deste sentimento
Envolve otimismo, convicção e firmeza
Alivia os desconfortos de um tormento
Conforma quem está preso na tristeza.

Virtude humana de ordem emocional
Próprio dos que creêm com perseverança
Torna-se perspectiva sublime e pessoal
Conforto daquele que tem ESPERANÇA!

Foto: SANGRIA DO ZANGARELHAS (Fev / 2004)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

25 de Agosto - Dia da careta


Não há como negar, todo mundo faz caretas durante o dia a dia. Seja para reclamar de algo, ao se assustar, se machucar, comer algo ruim, brigar com a namorada, dar uma de sapeca com a língua de fora ou apenas para se divertir, não tem jeito, logo aquela caretinha aparece no rosto das pessoas, seja criança ou adulto.
As caretas antigamente eram muito mal vistas, pois eram consideradas desrespeito contra os mais velhos, normalmente alvo de tais expressões, feitas especialmente por crianças malcriadas.
No Brasil, é de costume celebrar-se o Dia Nacional da Careta no dia 25 de agosto. Neste dia também se comemoram Dia do Soldado, Dia do Feirante, Dia do Catequista, Dia das Obras Pontifícias e Dia das Vocações Leigas.

25 de Agosto: Dia do soldado


A comemoração tem por objetivo homenagear o trabalho dos membros do Exército Brasileiro e foi instituída em razão de ser a dia de nascimento de Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias (1803-1880), o mais famoso militar da história brasileira, nascido na fazenda de Tuquaru, perto da vila de Porto da Estrela, hoje Duque de Caxias, RJ. Com pouco mais de 20 anos já era capitão. Destacou-se lutando e defendendo o governo imperial de D. Pedro II (1825-1891) em confrontos externos e internos.
A graduação mais rasa na hierarquia militar, o termo soldado deriva do latim solidarius – alguém que é pago para servir. As principais atividades de um soldado é a luta pela paz, dentro e fora do país, e o auxílio à população em situações de calamidade.
Com a finalidade de proporcionar ao jovem o aprendizado de valores de civilidade, no Brasil o serviço militar é obrigatório para os brasileiros do sexo masculino ao completar 18 anos, legalmente desde 1908, em alguma das forças armadas, seja Marinha, Exército ou Aeronáutica.
Já foi uma data mais comemorada, mas o Dia do Soldado foi perdendo espaço e significância dentro das próprias forças armadas brasileiras em comparação, principalmente com relação ao dia 7 de Setembro, quando é comemorada a independência do Brasil de Portugal.

Concordo!

 
Fonte: FACEBOOK

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Dicas de emergência

Anatomia do olho

O olho humano é um órgão da visão, no qual uma imagem óptica do mundo externo é produzida e transformada em impulsos nervosos e conduzida ao cérebro, mais precisamente no córtex visual, onde ocorre o processamento das imagens recebidas pelo olho direito e esquerdo completando a sensação visual.

Humor – O pesadelo de Chico


O meu grande amigo e artista sanfoneiro jardinense conhecido como Chico de Manuel de Rita, contou que a poucos dias sonhou que tinha morrido. E esse sonho lhe deixou muito preocupado. Ele disse que chegou na porta do céu e foi logo entrando, mas foi barrado por São Pedro!
São Pedro (já meio brabo!): - Ei rapaz! Não é assim não! Chega e vai logo entrando? Consta aqui que você tem uma pendência muito grave para pagar no inferno!
Chico (muito surpreso!): - Eeeuuu!!! Eu levei uma vida na Terra que faz gosto contar! Eu sempre fiz o bem pra quem precisou de mim! Nunca desejei o mal a ninguém! Nunca roubei, nunca menti, sempre vivi do meu suor ...
São Pedro (lhe interrompendo!): - Você tá querendo me enrolar cabra! Consta aqui um pecado muito grave!
Chico (mais surpreso ainda!): - Hômi! Valha-me Santo Deus! Que pecado foi esse?
São Pedro (imediatamente!): - Consta aqui que um dia você votou no BACURAU!...

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Humor - O "causo" do caminhão de coca-cola


      Contaram-me que aconteceu em Santana dos Garrotes, Sertão da Paraíba. Seu Raimundo era dono de uma bodeguinha na cidade e foi fazer umas compras em Piancó. Em Piancó ele conheceu uma novidade: um caminhão da coca-cola, vendendo o tal refrigerante que nem ele antes conhecia. Mas ao provar a tal da coca adorou e achou que seria também um sucesso em sua venda. Conversa vai conversa vem, conseguiu a promessa dos vendedores que eles passariam em Santana na quinta-feira seguinte. Seu Raimundo, querendo fazer uma surpresa para seus fregueses, não disse nada na cidade e ficou aguardando ansioso a chegada do caminhão à Santana, pela primeira vez. Chegou o dia combinado, mas o caminhão não aparecia e tome ansiedade em Seu Raimundo, que já imaginava até que o tal carro estava quebrado em virtude da péssima estrada. Já estava entardecendo quando chegou ao seu estabelecimento um antigo morador da zona rural que vinha de seu sítio lá das bandas da estrada, Seu Raimundo resolveu tomar informações.
      Seu Raimundo (perguntando impaciente): - Joca! Quando você vinha pra cá, por acaso não avistou na estrada um caminhão de coca?
      Seu Joca (meio assustado!): - Vôte Home!... Eu já vi durante esses meu setenta ano, caminhão véio, quebrado, virado, amassado, de todo jeito! Agora, de “coca” nunca vi não sinhô! E no dia que eu ver um, eu vou é correr assombrado!!!

Humor - Soletrado atual

       Por exemplo, para se ditar o nome "CARLOS" antes dizia-se assim: C de Cláudio, A de Antônio, R de Roberto, L de Luís, O de Olivia e S de Severino. 
       Hoje é assim:

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Álcool x Direção

Momento lírico 61


O MENESTREL
(Karl Fern)
Quis um menestrel sonhador
Encantar a venerável amada
Com uma canção refinada
Que narrasse todo seu amor.
E assim o enamorado cantor
Principiou sua peça cantada. 

Mas tudo que o poeta intuía
Nunca lhe deixava satisfeito.
O poema que queria perfeito
E a mais enternecida melodia
Não demonstrava toda fantasia
Que lia em seu próprio peito. 

Escrevia motes de ansiedade,
Confessava a enorme emoção,
Falava do enfeitiçado coração...
E embevecido nessa felicidade,
Sentiu que um amor de verdade
Não caberia numa única canção. 

Tal como o exultante menestrel,
Também manifesto emocionado
Que não me percebo habilitado
Pra descrever com lápis e papel,
Lousa ou quadro e giz ou pincel
A sensação de estar apaixonado!

sábado, 18 de agosto de 2012

Momento lírico 60

VOCÊ NASCEU PRA MIM
(Karl Fern)

Você nasceu só para mim
Deliciosa fonte de inspiração
Rosa preciosa de meu jardim
Com viçosa haste da emoção

Colorida de prazer e afeição
Aromatiza minha existência
Enternece em viva sedução
Perfuma com suave essência.

Da régia flor tem aparência
Com pétalas da cor do vinho
Em sua mimosa florescência
Fascina-me com seu carinho.

Genuína rosa sem espinho
Ornada com singelo carmim
Engalanando meu caminho
Você nasceu só para mim!


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Como salvar de um engasgo

Ninguém deseja passar pela situação em que a vida de alguém dependa de uma ação sua. Mas, como não podemos prever se isso vai ou não acontecer, nada melhor do que estar preparado.
Uma dessas situações, a que qualquer um está sujeito e a qualquer momento, é o engasgo. Um pedaço de alimento mal mastigado ou engolido de forma inadequada, acidentes com objetos e até mesmo secreções, como catarro, podem obstruir as vias respiratórias e ficar preso na garganta, causando asfixia e podendo levar à morte em poucos minutos. O que fazer?
Para esta situação existe uma técnica denominada de “Manobra de Heimlich”. Ela foi descrita em 1974 pelo médico estadunidense Henry Heimlich, nascido em Wilmington, Delaware (1920), sendo reconhecida pela Cruz Vermelha e difundida mundialmente.
A técnica consiste em se induzir uma tosse artificial que expele o objeto que esteja bloqueando a respiração da vítima, pois a pressão exercida pela mão sobre final do diafragma, comprime os pulmões e empurra o objeto estranho para fora da traquéia.
Aprenda agora mesmo esse procedimento, que pode salvar vidas, observando a figura esquemática abaixo.