sexta-feira, 30 de março de 2012

Distribuição global de emissões de carbono

Mapa interativo mostra distribuição desigual de emissões de carbono

A emissão de carbono, que acentua o aquecimento global, ocorre de forma desigual no mundo - por isso, as consequências das mudanças climáticas não são as mesmas em todos os países. Para mostrar estas diferenças, um jornalista e um programador criaram um mapa interativo, o "Mapa do Carbono", lançado nesta quinta-feira (29/03/2012). Nele, o tradicional mapa mundi aparece de uma forma totalmente diferente. Os tamanhos dos países foram distorcidos para mostrar o peso relativo de cada um nas emissões globais de carbono e nas consequências do aquecimento global, de acordo com dados do Banco Mundial.
O objetivo é dimensionar a responsabilidade e a vulnerabilidade de cada um. Assim, no quesito emissão de carbono atual, China, Índia, Japão, Estados Unidos e Europa ganham formas gigantes, porque são os maiores emissores. América do Sul e África têm formas menores. Já quando se analisa o acumulado de emissões desde 1850 (sendo que "a maior parte delas ainda continua no ar", segundo projeto), o peso da Ásia diminui e a responsabilidade recai sobre América do Norte e Europa.
OBS: Em todas as variáveis, o Brasil é apresentado com um tamanho menor do que o real. Isto indica que nem sua responsabilidade nas emissões globais nem na vulnerabilidade são altas, em comparação com o resto do mundo.


Amanda Rossi  / Globo Natureza, em São Paulo. Leia mais em:

quinta-feira, 29 de março de 2012

Desinfecção doméstica

Na falta de água previamente tratada podemos recorrer a procedimentos práticos para melhrar a  qualidade da água "in natura"!

DESINFECÇÃO EM VASILHAMES
a) COM IODO
        Material:
-  Solução de iodo 8%;
-  hipossulfito de sódio a 15%;
-  dois frascos com conta-gotas de cor âmbar;
-  um garrafão de 20 litros com rolha de borracha ou cortiça.
        Procedimento:
1) Coloca-se 20 gotas de solução de iodo no garrafão com água;
2) Após uma hora de repouso adiciona-se 20 gotas da solução de hipossulfito e deixa-se em repouso por mais uma hora;
3) Repete-se a operação até que a água fique amarelada, indicativo de iodo residual.

b) COM CLORO
       Material:
- um garrafão de 20 litros com rolha de borracha ou cortiça;
- um vasilhame de 300ml (uma meia garrafa!);
- um frasco de pó desinfetante;
- uma colher das de sopa;
- uma colherinha das de café.
       Procedimento:
1) coloca-se pó desinfetante na meia garrafa na seguinte proporção:
                   - teor de cloro de 30% duas colherinhas;
                   - teor de cloro de 50% uma colherinha;
2) enche-se a meia garrafa de água, agita-se por 3 minutos e deixa-se em repouso por 1 hora;
3) sem agitação enche-se a colher das de sopa com a água da meia garrafa e coloca-se no garrafão, enchendo-o a seguir com a água a desinfe­tar;
4) consumir a partir de meia horas após.

Observações;
1) No caso de um pote de duas latas de água, despejar a primeira lata de água, colocar duas colheres da solução clorada e despejar a segunda lata de água.
2) No caso de verduras colocar uma colher das de sopa para cada cinco litros de água e deixar de molho por, pelo menos, meia hora.
       ATENÇÃO! A validade da solução clorada é de três dias!

DESINFECÇÃO DA ÁGUA DO FILTRO
(Orientação prática para a dosagem de água sanitária, adotada pela COPASA-MG em seu programa de saneamento rural):
1. Colocar na bilha (quartinha) toda a água que se possa retirar do filtro pela torneirinha, sem precisar colocá-lo inclinado;
2. Colocar na parte de baixo do filtro três (03) gotas de água sanitária para cada litro de água que você colocar na parte de cima do filtro;
3. Durante a noite, use apenas a água da quartinha;
4. Pela manhã, você já pode usar a água do filtro normalmente.

Instruções para limpeza de uma caixa d'água

O ideal que sua casa não tivesse caixa de água para que toda a água consumida tivesse as características de potabilidade mantidas como saiu da Estação de Tratamento. Infelizmente quando os sistemas de distribuição não garante a constância do fornecimento, construímos caixas de água para armazenar o líquido para consumo quando não tiver água na rede. a água na caixa perde a qualidade pois o desinfetante, em geral cloro ou derivados deste, perde o potencia de reação ou sai para a atmosfera. É muito importante que a caixa d'água de sua casa seja lavada pelo menos uma vez por ano.
Siga esse procedimento:
1.  Feche o registro impedindo que entre água na caixa d'água;
2.  Esvazie a caixa d'água abrindo todas as torneiras da casa;
3.  Quando a caixa estiver quase vazia, tampe as saídas para que a água suja que restou seja usada na limpeza e para que a sujeira não desça pelo cano. Esfregue as paredes e o fundo da caixa;
4.  Use somente panos e escova para a limpeza (nunca use sabão, detergente ou outros produtos de limpeza);
5.  Retire a água e o material que restaram da limpeza usando pá, balde e panos, deixando a caixa totalmente limpa;
6. Deixe entrar água na caixa até encher, colocando um litro de água sanitária para cada mil litros de água;
7.  Não use de forma alguma esta água nas duas horas seguintes;
8.  Passadas estas duas horas feche o registro ou a bóia de entrada para não entrar água na caixa;
9.  Esvazie a caixa pelas torneiras usando esta água para limpar e desinfetar os canos;
10. Tampe a caixa para que não entre pequenos animais e poeira;
11. Anote do lado de fora a data da limpeza;
12. Finalmente abra a entrada de água. Esta água já pode ser usada.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Azeite de oliva pode prevenir doenças

Estudo realizado pela University of Bordeaux e pelo National Institute of Health and Medical Research (INSERM), na França, e publicado no periódico Neurology sugere que o consumo de azeite de oliva pode ajudar a prevenir AVC (acidente vascular cerebral) em pessoas mais velhas.
Em estudos anteriores, o azeite de oliva também já foi associado à prevenção de muitos fatores de risco cardiovascular, como diabetes, pressão alta, colesterol alto e obesidade.
As propriedades nutricionais e terapêuticas do azeite vêm sendo demonstradas em vários trabalhos científicos. Há muitas evidências de que esse tipo de gordura pode ter efeitos benéficos na prevenção de doenças cardiovasculares e do câncer, principalmente o azeite não refinado ou virgem.
Ele é praticamente isento de gordura saturada e contêm, além da típica gordura monoinsaturada, presente em todos os tipos de azeite, altas concentrações de vitamina E, beta caroteno e polifenóis, associação de compostos que parece ser a responsável pela sua atividade antioxidante e antiinflamatória.
O azeite pode ser utilizado à temperatura ambiente, como pode ser aquecido em alimentos cozidos. Só não vale fritar ou abusar de temperaturas altas, pois quanto maior o calor, maiores as perdas dos seus compostos benéficos Apesar de tantos benefícios, o azeite é tão calórico quanto à banha de porco. Fornece 9 calorias por grama do produto e pode inviabilizar dietas para manter um peso ideal. 

Para uma farrinha caseira do fim de semana

CARNE AO MOLHO DE CERVEJA
Por Juliana Stelli, do Pitadinha (reprodução)
Esta receita dá um toque diferente e super saboroso à carne.
COMO FAZER
Ingredientes:
- 500g de patinho cortado em cubos
- 1/2 xícara de cebola picada
- 2 dentes de alho picados
- 2 xícaras de cerveja preta
- 200g de extrato de tomate
- Sal e pimenta do reino a gosto
- 1 fio de azeite/óleo para refogar

Modo de fazer:
- Tempere a carne com o sal e a pimenta.
- Refogue a cebola e o alho no azeite em uma panela de pressão.
- Com fogo bem alto, junte a carne ao refogado e deixe dourar levemente.
- Acrescente a cerveja e o molho de tomate, misture bem, tampe a panela e mantenha o fogo médio.
- Conte 20 minutos após a panela obter pressão e verifique o ponto da carne. Acerte o sal do molho, se necessário.
Fonte: Yahoo! Brasil – http://br.mulher.yahoo.com/carne-ao-molho-de-cerveja.html


segunda-feira, 26 de março de 2012

Momento lírico 06

      
         SOLITÁRIO ANOITECER
      (Karl Fern)

Sob o clarão do sol poente
Num painel bem colorido
Por entre nuvens atrevido
Um raio de luz saliente
Ilumina assim de repente
Um último galho florido.
No dia quase adormecido
Ouve-se o último gorjeio
De um pássaro sem receio
Em seu poleiro escondido
Nem pensa em ser abatido
Por um gavião em passeio.
E o anoitecer vem em meio
A ausência da luz solar
Vem a iluminação do luar
A lua conduz em seu seio
O despertar de um anseio
Flui romantismo no ar.
Aos poucos, bem devagar
Sopra um leve friozinho
Alcança seu corpo sozinho
E começa a lhe mostrar
Quanto lhe podia amparar
Uma bicada de carinho.
E o solitário passarinho,
No anoitecer do sertão
Os acordes da sua canção
Não ressoam em outro ninho
E ele segue em seu cantinho
Curtindo dolorosa solidão.
E nessa noite de verão
Depois de uma chuva fina
A longa madrugada termina
Seus gorjeios não mais virão
Pois um corpo está chão
Sem vida, cumpriu sua sina.
O amor é como uma vacina
Em passarinhos ou humanos
Não viva sob os enganos
Pois o tempo nos ensina
A alegria do viver termina
Se na cama só há panos.

CAMPINA GRANDE - A Rainha da Borborema



Cidade serrana, localizada sobre o Planalto da Borborema, no Agreste da Paraíba, a 130 quilômetros de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. Servida por duas estradas federais,  a BR 230, a Transamazônica, e a BR 104, ambas muito bem conservadas, ligando a cidade ao resto do país. É a segunda maior cidade da Paraíba, superada somente pela capital, tendo uma população de aproximadamente 350 mil habitantes, e também uma das maiores cidades do interior brasileiro e a 2ª maior do interior nordestino. 
Elevada a cidade em 1864, a Rainha da Borborema se originou da conquista por portugueses de um aldeamento dos índios Cariris (1697) e consequente fundação do povoado. Naquele ano o Capitão-Mor Teodósio de Oliveira Ledo, vindo das bandas do Piranhas, aqui estabeleceu um aldeamento de índios Ariús que ele trouxera consigo. No ano seguinte veio o frade do Convento de Santo Antônio para catequizá-los. Apesar de Tedósio ter sido o primeiro a estabelecer-se, a localidade já era conhecida por Campina Grande. 
Situada em uma posição geográfica favorável, ponto de encontro entre a produção e o consumo, essa localização determinou sua expansão comercial e de serviços. Seu crescimento deveu-se, pois, à expansão mercantil européia em grandes propriedades agropastoris nas colônias: gado, cana-de-açúcar, mandioca, sisal e notadamente algodão, além de agricultura de subsistência. Portanto é uma cidade de atividade econômica voltada especialmente para o comércio e indústria. 
É conhecida também pelo seu potencial tecnológico, científico e cultural, possuindo atualmente três universidades, uma federal (UFCG), uma estadual (UEPB) e uma de iniciativa privada (FACISA) e sendo considerado atualmente um importante polo internacional de informática na área de softwares. 
Outra importante fonte de renda para sua população é o turismo de eventos, sendo notáveis a festividade conhecida como O Maior São João do Mundo, durante todo o mês de junho, o Encontro para a Nova Consciência, um evento ecumênico e de reflexões, promovido durante o período do Carnaval Nacional, e o Festival de Inverno, um encontro teatral realizado no mês de agosto.

Convocação para reunião ordinária mensal do Partido Verde

PV DE J. DO SERIDÓ FARÁ REUNIÃO NO PRÓXIMO SÁBADO

O PV (Partido Verde) fará sua reunião ordinária mensal no próximo sábado, dia 31/03/12, ás 17:00hs, em sua sede provisória, na Avenida Dr. Rui Mariz, s/n, próximo a loja Maçônica. Desde já o presidente Rosenildo "Brejeiro" convida todos os filiados para participarem.
Para os amigos e conterrâneos que não sabem, eu sou filiado a este partido político, em Jardim do Seridó/RN.

domingo, 25 de março de 2012

Momento lírico 05


NUMA VARANDA ENLUARADA
(Karl Fern)

A paz noturna campeia em minha rua
Silenciosa, adormecida e iluminada,
Enfeitada com o brilho da luz da lua,
Mais lírica por estar mais prateada.

Uma suave brisa meu corpo acaricia
E na varanda me encontra e me acalma.
Minha mente abrandada a aprecia
Um perfume generoso vem-me a alma.

Por sobre os baixos telhados frontais
Diviso o distante perfil do horizonte.
Como a sonhar a visão se estende mais
Rumo ao céu que cai por trás do monte.

Num perfeito e radiante firmamento
Há uma nuvem isolada, estacionária.
Pouco a pouco mudando a todo momento
E desenhando uma figura imaginária.

Parece-me delinear um delicado rosto,
Com cabelos no mais lindo desalinho,
Esvoaçantes como a agradar meu gosto.
Emocionante... assanhando devagarinho...

Incrivelmente, lentamente vou sentindo
Aquele rosto generoso a me olhar.
Penso feliz que ele me está sorrindo,
Quase sinto em desejo me acariciar.

Reconheço mentalmente aquela imagem!
É de alguém, como em um luminoso altar
Enviando-me uma esperançosa mensagem,
Contando-me que em breve vai voltar.

Um suave e insinuante sentimento
Envolve sutilmente meu carente coração,
Sublimando meu ego a cada momento,
Massageando-me com a mais pura emoção.

A solidão submissa vai-se embora,
Nem importa se ela houve de verdade.
Em seu lugar o que interessa nessa hora,
É ter no rosto um sorriso de felicidade.

Cuidado com o consumo exagerado de grãos

Mesmo as versões integrais podem fazer mal se consumidas em excesso
Um dos alimentos mais populares e mais consumidos no mundo tem um gosto indigesto para algumas pessoas. Rico em glúten, o pão feito com farinha de trigo causa um processo degenerativo em pessoas que sensíveis a essa proteína, ou seja, em indivíduos que foram diagnosticados com doença celíaca. Alguns estudos mostram que esse quadro pode aumentar até quatro vezes o risco de morte prematura, causar depressão, facilitar o aparecimento do mal de Alzheimer, déficit de atenção e hiperatividade. Há evidências também que a sensibilidade ao glúten possa ser a causa de muitas condições neurológicas e psiquiátricas.
A maioria dos médicos defende que durante a formação do feto, cérebro e intestinos têm origem nos mesmos tecidos, que formam o sistema nervoso central e o sistema entérico. Daí se dizer que os intestinos são nosso segundo cérebro. Esses órgãos trabalham em sintonia e um afeta o outro: se o sistema gástrico não é saudável, sofremos com ansiedade, depressão, mau humor e ainda abrimos portas a doenças sérias como esquizofrenia. Não surpreende: é nos intestinos que a maioria da serotonina é produzida. Esse neurotransmissor tem diversas funções em nosso organismo, e a sua falta está diretamente ligada à incidência de depressão, ansiedade e distúrbios alimentares.
Mesmo pessoas que não tenham doença celíaca precisam tomar cuidado com o consumo de alimentos que utilizam farinha de trigo refinada.
Consumo de farinha refinada
Mesmo pessoas que não tenham doença celíaca precisam tomar cuidado com o consumo de alimentos que utilizam farinha de trigo refinada em sua composição. Os maiores responsáveis pelos efeitos negativos do trigo são a aglutinina e a lectina, proteínas que se associam rapidamente a carboidratos e não fazem bem ao corpo.
Antes de achar que diminuir o consumo de trigo é fácil, considere o quanto consumimos de alimento processado com farinha de trigo. Ele está no pão, em bolos, biscoitos, tortas e em vários outros alimentos. Colocar outros grãos na dieta para substituir o trigo, principalmente na forma de farinha refinada, é uma boa maneira de evitar esses efeitos. Milho, linhaça, grão de bico e quinua, são alguns exemplos de alimentos que não contém glúten e são ricos em nutrientes importantes, como minerais e vitaminas.
Todos os grãos contribuem para aumentar a resistência à insulina e à leptina, que estão na origem da maioria das doenças crônicas. Portanto, mesmo com as versões citadas a cima, modere o consumo de grãos. Não vacile: os processos inflamatórios, quase sempre silenciosos, destroem a saúde aos poucos, às vezes de forma irreversível.
(Fonte G1)

Para leituras, discussão e debates

EM DEFESA DO AÇUDE COMISSÃO
Para que a polêmica não morra e os poderes públicos assumam uma solução.
PREMISSAS:
1 – Nos meus tempos de infância e adolescência usei esse açude foi nossa fonte de água, carregando-a de galão em galão porque a água do Rio Seridó (das cacimbas de Seu Inácio Soares!) era salobra e não prestava nem para lavar roupa e, assim como eu, muita gente pobre da cidade fazia o mesmo;
2 – Que lá existia uma lavanderia que todas as “lavadeiras” da cidade limpavam suas roupas e demais tecidos dentro deste edifício e que alguém, inexplicavelmente e com muita ignorância histórica, derrubou;
3 – Que o referido açude serviu e ajudou muito gente ainda viva a sobreviver sem passar sede ou adoecer por falta de higiene;
4 – Que com sua evaporação diária, certamente este espelho de água ajuda com alguma parcela a aliviar a quantidade de calor ambiental e aumentar a unidade relativa do ar, melhorando nosso conforto ambiental;
5 – Que nenhuma cidade que se preze abandona ou acaba com seus espelhos d’água urbanos (João Pessoa: Parque Solon de Lucena; Campina Grande: Açude Velho; Rio de Janeiro: Rodrigo de Freitas; Belo Horizonte: Pampulha;... É só pesquisar - ou lembrar por onde passeou ou morou - e ver os inúmeros exemplos);
(Com certeza os caicoenses nem pensam um dia secar o Itans para venderem sua lama e lotearem sua área? E olhe que lá a área um enormemente maior e tem muitas vezes mais lama!)
6 – Que o açude já estava lá quando esses moradores em suas margens chegaram para ocupar suas margens e jogar seus esgotos dentro dele sem nenhuma preocupação em construir pelo menos uma fossa de vergonha;
7 – Que a consciência histórica, ambiental e ecológica dessas pessoas é do tamanho da cabeça do alfinete, ou não têm nenhuma.
COMPARAÇÃO:
As pessoas que querem a destruição do açude, comportam-se exatamente como aquelas que após serem criadas, cuidadas e servidas com todo carinho pelos pais, esquecem de tudo que foi feito e os desprezam. Podemos fazer a seguinte comparação:
a)       quando os avós ou pais ficam velhos mandam para qualquer abrigo para ficarem com suas propriedades (que ele juntou durante anos),  ocuparem sua casa (que sempre foi sua morada)  e gozarem de seus benefícios sociais (barganhando antecipadamente seu espólio, inclusive suas aposentarias);
b)       quando o pobrezinho da Comissão está velho, querem manda-lo “embora” (arrombando-o) para venderem sua lama (que ele juntou durante anos), ocuparem sua bacia hidráulica (que sempre foi sua morada) e gozarem de seus benefícios sociais (barganhando antecipadamente seu espólio, inclusive a valorização imobiliária de sua área);
Então, com o nosso Comissão, em agradecimento pelo seu passado de serventia e sua importância ecológica, devemos revitalizá-lo para que possamos apreciar sua beleza e deixar nossa paisagem mais alegre, tal qual devemos fazer com nossos pais, em agradecimento pelo seu passado de serventia: cuidá-los e deixá-los viver na velhice uma renovação e revigorá-los para que possamos apreciar suas felicidades e alegrias.
CONCLUSÃO:
Quero dizer para estas pessoas que pensam acabar com o Açude da Comissão, que desarmem seus espíritos e vamos juntos salvar nosso histórico reservatório, exigindo dos poderes públicos seu tombamento oficial e, consequentemente, o projeto e construção da drenagem das águas servidas afluentes para sua bacia hidráulica e eliminar seus capinzais, despoluindo-o, e construir em seu entorno uma pista dupla para ciclistas e para pedestres desenvolverem suas caminhadas, certamente com ar, temperatura e paisagem mais saudáveis e confortáveis.
Secar o açude apenas fará com que os esgotos que hora se acumulam em sua bacia se espalhem pelo resto da cidade canal abaixo, prejudicando uma área muito maior e com muito mais gente.
Vamos fazer como os londrinos que a mais de cem anos atrás uniram-se para salvar o Rio Tâmisa! Ou será que estamos mais de cem anos atrasados ou simplesmente pior: ainda estamos imbuídos do espírito ganancioso dos colonizadores europeus.
Só a construção da rede coletora de esgotos resolve o problema do mau cheiro e das doenças que podem estar vindo de suas águas. E só eliminando o capinzal de suas margens é que vamos acabar com a proliferação de mosquitos que atormenta as pessoas da vizinhança.

Paisagens de Jardim do Seridó / RN





Textos recomendados

Se o leitor gosta de informações sobre história da antiguidade, recomendamos ler o resumo histórico sobre Alexandria, no Antigo Egito, publicado no sítio SÓ BIOGRAFIAS, na página
http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/Alexandria.html

Momento lírico 04


FELICIDADE
(Karl Fern)

Será que existe as tais vidas passadas?
Almas gêmeas, reencarnações, coisas assim?
Como entender que após tantas andadas,
Só agora tu vieste ter a mim!

Terá sido um singelo golpe da sorte?
Talvez um destino previamente traçado?
Ou foi o meu instinto sagaz e forte,
Em local e no momento abençoado?

Lindas explicações, sonhos bem lembrados.
Formulação de pensamentos subjetivos.
Não importa, eu me sinto premiado,
Envolvido de mansinho em teus motivos.

Um sorriso que me encantou de alegria!
A ternura de um olhar mais que brilhante!
Teu cheirinho embriagante noite e dia.
Feliz abraço carinhoso e flamejante.

O teu beijo doce, delicioso e atrevido.
Essa pele tênue a meu tato excitada.
Em tuas carícias com afeição fui envolvido,
Na intimidade de teu corpo fiz morada,

Se isso for pra se viver eternamente,
Nesse prazer com tamanha intensidade.
Acredito desde já que finalmente
Eu encontrei minha real felicidade!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Tanques Sépticos - Evolução Histórica

O tanque séptico, mais conhecido como "fossa séptica" vem sendo utilizado há pouco mais de 100 anos. Foi a primeira unidade inventada para o tratamento de esgotos e até hoje e a mais extensivamente empregada, em todos os países.
Na pequena cidade de Versoul, no Departamento de Alto Saorne, França, o construtor Jean Louis Mouras, repugnava-se com o trabalho dos operários que executavam a limpeza dos fossos estanques, onde se acumulavam, durante certo tempo, os excrementos domésticos. Naquela época os dejetos ou eram simplesmente despejados nas vias públicas durante a madrugada, ou eram acumulados em fossos para limpeza periódica.
E assim, ele criou e patenteou seu primeiro tanque séptico (1881) com o título "Eliminador Automático de Excrementos". Os resultados foram considerados misteriosos e surpreendentes e recebeu o apoio do chefe religioso local, abade Moigno, cujas iniciativas para difusão da nova invenção foram coroadas de pleno êxito.
Em pouco tempo o tanque séptico generalizou-se na França e nos países vizinhos. O aparecimento do tanque séptico na Grã Bretanha veio logo depois, tendo sido patenteado pelo Eng. Donald Cameron, a quem se deve a denominação "tanque séptico" (1896). O inglês passou a aplicar o seu tanque de tratamento de esgotos não só nas residências como também em pequenas aglomerações e até mesmo cidades. Os seus negócios prosperaram muito e ultrapassaram as fronteiras da ilha, com a venda de projetos e de licenças nos Estados Unidos e em outros países.
Os defeitos e as limitações dos tanques sépticos foram estudados a partir do final do século. O Eng. Clarck, pesquisador da famosa Estação Esperimental de Lawrence, Mass., foi o primeiro a propor a idéia de subdivisão interna dos tanques, com o propósito de melhorar as suas condições de funcionamento (1899).
Depois KarI Imhoff, engenheiro alemão foi encarregado de sanear o Vale do Emscher. Baseado nas observações do engenheiro inglês, W.D.Travis, na cidade de Hampton, e o seu “tanque hidrolítico" com dois compartimentos ou duas câmaras (1903), ele idealizou o novo tipo de unidade que passou a ser designado por "Tanque Emscher" ou "Tanque Imhoff (1905) e publicou largamente sobre o assunto.
Nos Estados Unidos avalia-se que cerca de 30% de toda a população serve-se de tanques sépticos e 85% das novas habitações construídas fora das áreas servidas por redes de esgotos são equipadas com esses tanques.
No Brasil a aplicação pioneira parece ter sido o grande tanque construído em Campinas para o tratamento dos esgotos urbanos (1892), mas começaram a ser difundidos de modo mais generalizado a partir dos últimos anos da década de 1930.

 
Fonte: MELO, V. O. & AZEVEDO NETTO, J. M. - Instalações Prediais Hidráulico-Sanitárias, Ed. Edgard Blücher Ltda, São Paulo, 1988.

Momento lírico 03


                      A VIDA SEM ROMANCE
                              (de Karl Fern)

Neste mundo cruel e cibernético
Repleto de incontáveis computadores
Movido a autômatos e alimentadores
De espírito puramente energético
Parece até que ser correto e ético
É não admirar a beleza das flores.

Desprezam-se as formas de amores
O mais nobre dos humanos sentimentos
Vive-se em um mundo de tormentos
Ao deguste de artificiais sabores
Como um grande grupo de atores
Ao prazer das palmas de momentos.

E assim vão se passando como os ventos
As gerações renovadas endurecendo
E a humanidade continuamente perdendo
Submisso às grandezas dos inventos
Renegando seus mais divinos alentos
O único desejo é continuar ir vivendo.

E o amor com sua nobreza vai morrendo
O romantismo aos poucos sucumbindo
Os sentimentos das paixões vão sumindo
O sexo com as drogas sobrevivendo
E a natureza contrariada reflui sofrendo
E a infelicidade a todos consumindo.

E o futuro parece ficar se resumindo
A um mundo robotizado sem atitude
Incapaz de reviver qualquer virtude.
De amar e ser amado, se curtindo
Naquilo que Deus deixou de mais lindo
O amor de um casal, na sua plenitude.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Filtração domiciliar

FILTRAÇÃO 
. 
                A filtração consiste em um processo de tratamento no qual se faz passar água por um meio poroso para tirar alguns tipos de impurezas. Pode-se afirmar que a filtração domiciliar constitui um hábito cultural dos brasileiros.
É controvertida, no entanto, a necessidade de uso desses dispositivos. a seu favor argumenta-se que constitui a última barreira sanitária capaz de reter eventuais partículas, até mesmo microrganismos presentes na água. Há porém, argumentos contrários a sua utilização como tratamento único, como:   É claro que em locais onde a água bruta tem qualidade físico-química e bacteriológica comprometida, destinar exclusi­vamente ao filtro domiciliar a função de condicionar a água é incorreto. Po­rém, quando a turbidez (água barrenta) não é excessivamente elevada a ponto de entupir o filtro com muita freqüência, a combinação filtro-desinfecção domiciliar pode resultar em uma água com razoáveis condições de consumo.
- baixa eficiência e irregularidade na remoção da turbidez e de patogênicos;
- formação de uma película biológica, em torno do elemento filtrante, na qual pode ocorrer o desenvolvimento  de patogênicos oportunistas;
- nos países desenvolvidos, não é empregada a filtração domiciliar, uma vez que é inteiramente confiável a qualidade da água do sistema público, embora ali também não sejam empregados reservatórios domiciliares.
                É oportuno lembrar que os filtros domiciliares - de vela, areia ou outro material filtrante - desenvolvem uma camada biológica na superfície filtrante que deve ser removida durante a operação de limpeza.
                Se os filtros ditos aqui de caseiros não forem tratados cuidadosamente sua eficiência irá se tornar extremamente limitada. Há registros de casos em que a água filtrada tinha um maior teor de bactérias que a não filtrada. Mesmo bem operados. Para efeito de ser bebida, não é recomendada a utilização destas unidades sem que a água seja fervida ou desinfetada após a filtração.

Filtro de Vela
Os de vela são os caseiros mais tradicionais. Uma operação importante neste tipo de filtro é a limpeza. Nunca se deve empregar material abrasivo neste processo. É muito comum o emprego de sal, açúcar, bucha metálica, areia fina, etc, porém esta prática não é recomendável pois estes materiais corroem a superfície da vela aumentando sua permeabilização e comprometendo sua eficiência.

Filtro de areia
Próprios para maiores consumos, nestes tipos de filtros a limpeza deve ser realizada através de raspagem de aproximadamente um centímetro da sua camada superficial da areia, quando o filtro começar a perder sua capacidade de filtração, ou seja, quando começar a "entupir". Após dez limpezas, o leito filtrante deve ter sua espessura original reconstituída, ou seja, a camada de areia deve ser completada novamente para 25 centímetros.
                É usual uma camada de carvão vegetal, moído e sem pó, na parte inferior do filtro, objetivando a adsorção de compostos responsáveis pela presença de sabor ou odor.